Publicidade

Cidades

Home > Noticias > null

Em Belém, Cinema Olympia é exemplo de incentivo e ampliação do acesso à cultura

O Cine Olympia já conta com 107 anos de existência, e é o cinema mais antigo em funcionamento no Brasil

Portal Amazônia, com informações da Agência Belém

jornalismo@portalamazonia.com


Um símbolo de entretenimento e da própria história da cidade de Belém, o Cine Olympia, atualmente com 107 anos de existência, é o espaço mais antigo do gênero, no Brasil, ainda em atividade no mesmo local, que continua a fazer a alegria de todas as idades, por conta da exibição diversificada e gratuita.  
   
Foto:Divulgação/Agência Belém
 


A Prefeitura Municipal de Belém, por meio da Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel), administra o Cine Olympia firmado em um contrato de locação, assumido em 2006, com o grupo Luiz Severiano Ribeiro, antigo proprietário do local, e trabalhou para a obtenção da titularidade, a fim de avançar na gestão, por meio de atividades, possibilidades de parcerias e obras que garantam o bom funcionamento do prédio e da administração em geral.


Acesso


No último domingo, dia 4, o tema da Redação do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) foi sobre “Democratização do Acesso ao Cinema no Brasil”, e o Cine Olympia alinha-se, justamente, ao debate em torno do tema. A política cultural do município de Belém tem garantido o acesso às manifestações e atividades ligadas ao setor, e o Olympia é um bom exemplo disso, visto que, toda a programação do espaço é gratuita e aberta a todos.


O acesso à programação do secular Cine Olympia - o único remanescente, em Belém, dos chamados ‘cinemas de rua -  é a mais uma prova do interesse da gestão municipal em oferecer diversão e mais acesso à cultura, em especial à cinematografia, garantindo programas que contemplam festivais de filmes de outros países, exibições de clássicos do cinema mundial e produções regionais, sem custo algum ao cidadão que frequenta o Olympia, um espaço que integra o Departamento de Ações Culturais (DEAC) da Fumbel.


Se por um lado, o acesso a filmes de qualidade diminuiu, a Fumbel e o Cine Olympia têm feito a sua parte, possibilitado ao público a exibição de programações de renome nacional, como é caso, por exemplo, da mostra dos finalistas do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, promovido pela Academia Brasileira de Cinema, que é feita anualmente, e, que neste ano, ocorreu de 24 de julho a 14 de agosto, gratuitamente, no cinema.

   
Foto:Divulgação/Agência Belém
 



Titularidade e reformas - Segundo informações da Procuradoria Jurídica do Município (PJM), o processo titularidade, isto é, a aquisição do Cinema Olympia pela Prefeitura de Belém, é desenvolvido de acordo com o artigo 6º do Decreto-lei número 3.365, de 21 de junho de 1941, que dispõe sobre desapropriação e instituição de servidão administrativa por utilidade pública.


“Ao longo dos anos, houve algumas dificuldades no trato operacional e legal das atividades que são realizadas no Olympia, por conta do antigo grupo empresarial deter a titularidade do cinema. Agora, depois de alguns anos, conseguimos alcançar a obtenção do Olympia como parte de patrimônio oficial da Prefeitura de Belém”, explica Sílvia Lovaglio, diretora de Ação Cultural da Fumbel.


A Prefeitura de Belém pretende, com a oficialização da titularidade do Cine Olympia, efetivar reformas e serviços de ordem física que garantam melhorias nas instalações daquele espaço cultural, inaugurado em abril de 1912, e da mesma forma incrementar as programações do espaço, localizado às imediações da praça da República.


Cursinho


Dentro do contexto do tema proposto pela redação do Enem, a equipe do Cursinho Pré-vestibular, oferecido pela Prefeitura de Belém, promoveu um debate na tarde desta segunda-feira, 4, sobre o tema da redação. Para a professora do cursinho, Sueanne Freitas, o cinema surgiu para ser discutido como uma garantia constitucional e o fomento do acesso às ações de políticas culturais e a reflexão sobre o tema deve ser de conhecimento dos alunos.


“Todos os textos de apoio têm algo em comum. Mostram o cinema como um grande instrumento cultural. O importante para a preparação desses alunos é que eles tenham tido contato com outros textos, que os ‘alimentasse’ nesse sentido. Textos que trabalhassem o sinônimo de democratização, a questão da cidadania, o exercício da cidadania”, analisou a professora do cursinho.

   
Foto:Divulgação/Agência Belém
 


Os quase quatro milhões de inscritos no Enem que realizaram a primeira prova depararam-se com quatro textos de apoio, ou motivadores, para o desenvolvimento da redação. O terceiro texto se tratava de um quadro apresentado com o recurso de infográficos.


Esse infográfico, com indicadores do site www.meioemensagem.com.br, apontou que 17% da população brasileira, estimada em pouco mais de 210 milhões pessoas (dados do IBGE de 2019), frequenta o cinema. Apesar disso, ainda informava no quadro, que nos últimos cinco anos, a penetração do cinema cresceu 43% entre os brasileiros.


No quarto texto motivador, sob fonte da Agência Nacional de Cinema (Ancine), o candidato tinha uma radiografia que indica a redução do número de salas de exibição ao longo das décadas. Belém já perdeu todos os seus cinemas, chamados ‘de rua’, e o único que ainda resiste é o Cine Olympia, que, com a aquisição da titularidade pela Prefeitura de Belém, vai poder organizar mais mostras de cinema, cuidar do espaço físico e continuar democratizando o acesso da população a filmes renomados e de grande qualidade, de forma gratuita.




   
Cidades

Em Belém, Cinema Olympia é exemplo de incentivo e ampliação do acesso à cultura

O Cine Olympia já conta com 107 anos de existência, e é o cinema mais antigo em funcionamento no Brasil

Portal Amazônia, com informações da Agência Belém

jornalismo@portalamazonia.com


Um símbolo de entretenimento e da própria história da cidade de Belém, o Cine Olympia, atualmente com 107 anos de existência, é o espaço mais antigo do gênero, no Brasil, ainda em atividade no mesmo local, que continua a fazer a alegria de todas as idades, por conta da exibição diversificada e gratuita.  
   
Foto:Divulgação/Agência Belém
 


A Prefeitura Municipal de Belém, por meio da Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel), administra o Cine Olympia firmado em um contrato de locação, assumido em 2006, com o grupo Luiz Severiano Ribeiro, antigo proprietário do local, e trabalhou para a obtenção da titularidade, a fim de avançar na gestão, por meio de atividades, possibilidades de parcerias e obras que garantam o bom funcionamento do prédio e da administração em geral.


Acesso


No último domingo, dia 4, o tema da Redação do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) foi sobre “Democratização do Acesso ao Cinema no Brasil”, e o Cine Olympia alinha-se, justamente, ao debate em torno do tema. A política cultural do município de Belém tem garantido o acesso às manifestações e atividades ligadas ao setor, e o Olympia é um bom exemplo disso, visto que, toda a programação do espaço é gratuita e aberta a todos.


O acesso à programação do secular Cine Olympia - o único remanescente, em Belém, dos chamados ‘cinemas de rua -  é a mais uma prova do interesse da gestão municipal em oferecer diversão e mais acesso à cultura, em especial à cinematografia, garantindo programas que contemplam festivais de filmes de outros países, exibições de clássicos do cinema mundial e produções regionais, sem custo algum ao cidadão que frequenta o Olympia, um espaço que integra o Departamento de Ações Culturais (DEAC) da Fumbel.


Se por um lado, o acesso a filmes de qualidade diminuiu, a Fumbel e o Cine Olympia têm feito a sua parte, possibilitado ao público a exibição de programações de renome nacional, como é caso, por exemplo, da mostra dos finalistas do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, promovido pela Academia Brasileira de Cinema, que é feita anualmente, e, que neste ano, ocorreu de 24 de julho a 14 de agosto, gratuitamente, no cinema.

   
Foto:Divulgação/Agência Belém
 



Titularidade e reformas - Segundo informações da Procuradoria Jurídica do Município (PJM), o processo titularidade, isto é, a aquisição do Cinema Olympia pela Prefeitura de Belém, é desenvolvido de acordo com o artigo 6º do Decreto-lei número 3.365, de 21 de junho de 1941, que dispõe sobre desapropriação e instituição de servidão administrativa por utilidade pública.


“Ao longo dos anos, houve algumas dificuldades no trato operacional e legal das atividades que são realizadas no Olympia, por conta do antigo grupo empresarial deter a titularidade do cinema. Agora, depois de alguns anos, conseguimos alcançar a obtenção do Olympia como parte de patrimônio oficial da Prefeitura de Belém”, explica Sílvia Lovaglio, diretora de Ação Cultural da Fumbel.


A Prefeitura de Belém pretende, com a oficialização da titularidade do Cine Olympia, efetivar reformas e serviços de ordem física que garantam melhorias nas instalações daquele espaço cultural, inaugurado em abril de 1912, e da mesma forma incrementar as programações do espaço, localizado às imediações da praça da República.


Cursinho


Dentro do contexto do tema proposto pela redação do Enem, a equipe do Cursinho Pré-vestibular, oferecido pela Prefeitura de Belém, promoveu um debate na tarde desta segunda-feira, 4, sobre o tema da redação. Para a professora do cursinho, Sueanne Freitas, o cinema surgiu para ser discutido como uma garantia constitucional e o fomento do acesso às ações de políticas culturais e a reflexão sobre o tema deve ser de conhecimento dos alunos.


“Todos os textos de apoio têm algo em comum. Mostram o cinema como um grande instrumento cultural. O importante para a preparação desses alunos é que eles tenham tido contato com outros textos, que os ‘alimentasse’ nesse sentido. Textos que trabalhassem o sinônimo de democratização, a questão da cidadania, o exercício da cidadania”, analisou a professora do cursinho.

   
Foto:Divulgação/Agência Belém
 


Os quase quatro milhões de inscritos no Enem que realizaram a primeira prova depararam-se com quatro textos de apoio, ou motivadores, para o desenvolvimento da redação. O terceiro texto se tratava de um quadro apresentado com o recurso de infográficos.


Esse infográfico, com indicadores do site www.meioemensagem.com.br, apontou que 17% da população brasileira, estimada em pouco mais de 210 milhões pessoas (dados do IBGE de 2019), frequenta o cinema. Apesar disso, ainda informava no quadro, que nos últimos cinco anos, a penetração do cinema cresceu 43% entre os brasileiros.


No quarto texto motivador, sob fonte da Agência Nacional de Cinema (Ancine), o candidato tinha uma radiografia que indica a redução do número de salas de exibição ao longo das décadas. Belém já perdeu todos os seus cinemas, chamados ‘de rua’, e o único que ainda resiste é o Cine Olympia, que, com a aquisição da titularidade pela Prefeitura de Belém, vai poder organizar mais mostras de cinema, cuidar do espaço físico e continuar democratizando o acesso da população a filmes renomados e de grande qualidade, de forma gratuita.




   

TAG democratizacao acesso cinema cine olympia belemcinema