Publicidade

Cidades

Home > Noticias > null

Dezenove municípios do Mato Grosso estão em situação de emergência por causa da estiagem

Danos à lavoura e diminuição da água disponível à população são os principais problema causados pela seca que começou em fevereiro

Isaac Guerreiro

isaac.guerreiro@portalamazonia.com


O Mato Grosso vem sofrendo com a seca desde de fevereiro deste ano. De acordo com a Defesa Civil do Estado, 19 dos 141 municípios já decretaram situação de emergência por causa da forte estiagem. As consequências são sentidas pela economia e diretamente pela população. Segundo o órgão, determinadas regiões do Estado "estão na iminência do exaurimento hídrico".

"Nós estamos vivendo uma estiagem muito severa, atípica no estado do Mato Grosso. Os prejuízos no campo são grandes. Os 19 municípios em estado de emergência estão sendo assistidos com água potável para consumo humano, pois estão sem água no solo. Alguns deles já registram as primeiras chuvas [de início do inverno amazônico], esperamos que em breve o verão termine”, disse o major da Defesa Civil Washington Duarte. Os municípios que decretaram estado de emergência no Mato Grosso são: Sorriso, Ipiranga do Norte, Gaúcha do Norte, Nova Ubiratã, Paranatinga, Marcelandia, Primavera do Leste, Água Boa, Vera, Cláudia, Nova Xavantina, Itanhangá, Novo São Joaquim, Canabrava, Querência, Alto Garças, Santa Cruz do Xingu, Feliz Natal e São Félix do Araguaia. As regiões mais afetadas pela seca são as do Médio e Baixo Rio Araguaia. De acordo com major, os municípios de Nova Ceventina, Canabrava, São Félix e Água Boa estão com o abastecimento comprometido devido ao nível muito baixo dos mananciais. Algumas localidades recebem água de carro pipa.
Um relatório produzido pelo Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária (Imea) apresenta dados de prejuízos financeiros causados pela seca na produção de milho no Estado. De acordo com o documento, mais de R$ 270 milhões de foram perdidos por causa dos problemas causados pelo estiagem.

Em 2015 o Estado de Mato Grosso foi o maior produtor de milho do país. EM 2016, o Estado bateu o recorde de área semeada de soja, com 4,2 milhões de hectares. Contudo, a estiagem reduziu em 6,78% a produção de soja em relação a safra do ano passado.
Cidades

Dezenove municípios do Mato Grosso estão em situação de emergência por causa da estiagem

Danos à lavoura e diminuição da água disponível à população são os principais problema causados pela seca que começou em fevereiro


O Mato Grosso vem sofrendo com a seca desde de fevereiro deste ano. De acordo com a Defesa Civil do Estado, 19 dos 141 municípios já decretaram situação de emergência por causa da forte estiagem. As consequências são sentidas pela economia e diretamente pela população. Segundo o órgão, determinadas regiões do Estado "estão na iminência do exaurimento hídrico".

"Nós estamos vivendo uma estiagem muito severa, atípica no estado do Mato Grosso. Os prejuízos no campo são grandes. Os 19 municípios em estado de emergência estão sendo assistidos com água potável para consumo humano, pois estão sem água no solo. Alguns deles já registram as primeiras chuvas [de início do inverno amazônico], esperamos que em breve o verão termine”, disse o major da Defesa Civil Washington Duarte. Os municípios que decretaram estado de emergência no Mato Grosso são: Sorriso, Ipiranga do Norte, Gaúcha do Norte, Nova Ubiratã, Paranatinga, Marcelandia, Primavera do Leste, Água Boa, Vera, Cláudia, Nova Xavantina, Itanhangá, Novo São Joaquim, Canabrava, Querência, Alto Garças, Santa Cruz do Xingu, Feliz Natal e São Félix do Araguaia. As regiões mais afetadas pela seca são as do Médio e Baixo Rio Araguaia. De acordo com major, os municípios de Nova Ceventina, Canabrava, São Félix e Água Boa estão com o abastecimento comprometido devido ao nível muito baixo dos mananciais. Algumas localidades recebem água de carro pipa.
Um relatório produzido pelo Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária (Imea) apresenta dados de prejuízos financeiros causados pela seca na produção de milho no Estado. De acordo com o documento, mais de R$ 270 milhões de foram perdidos por causa dos problemas causados pelo estiagem.

Em 2015 o Estado de Mato Grosso foi o maior produtor de milho do país. EM 2016, o Estado bateu o recorde de área semeada de soja, com 4,2 milhões de hectares. Contudo, a estiagem reduziu em 6,78% a produção de soja em relação a safra do ano passado.

TAG secaestiagemmunicípiosMato GrossoCuiabá