Publicidade

Cidades

Com a cheia do Rio Negro, a rua dos Barés, no Centro de Manaus, está interditada

O nível do rio ultrapassou a cota de emergência de 29 metros e a água começou a invadir partes mais baixas da cidade, principalmente no Centro Comercial

Portal Amazônia, com informações do G1 Amazonas

jornalismo@portalamazonia.com


A rua dos Barés, no Centro de Manaus, foi interditada após a subida do nível do rio Rio Negro. O nível do rio já ultrapassou a cota de emergência de 29 metros e a água começou a invadir partes mais baixas da cidade. Além do Centro da capital, outro 14 bairros estão na iminência de serem alagados, segundo monitoramento feito pela Defesa Civil. Manaus já decretou situação de emergência por conta da cheia e dos alagamentos que já aparecem.


Com o nível do rio alto, a água invadiu a rua dos Barés, e o tráfego de veículos está prejudicado. Comerciantes já alegam a queda no movimento por conta da dificuldade que os consumidores encontram ao passar pela rua invadida pela água. 
 
Foto:Reprodução/Rede Amazônica
 

Na última sexta-feira (7), o rio atingiu a cota de 29,19 - de emergência para inundações. Conforme o Serviço Geológico do Brasil (CPRM), a cota máxima pode variar entre 29,18 metros a 29,33 metros.


Em 2012, a cota máxima já atingida pelo rio foi de 29,97 metros, que deixou boa parte do centro comercial de Manaus alagado.


Situação de Emergência


O decreto publicado na última quarta-feira (%), possibilita que a prefeitura promova ações de combate aos danos causados pela enchente dos rios Negro e Amazonas pelo prazo de 180 dias. E, solicite caso necessário, recursos do governo federal.


A Prefeitura também prevê a intensificação de ações nos próximos dias, como a construção de pontes em áreas alagadas e será feito o trabalho de vacinação, de prevenção a moléstias. 
 
Foto:Reprodução/Rede Amazônica
 

Defesa Civil


Até o momento, o monitoramento realizado pela Defesa Civil identificou que 2.271 famílias que podem ser afetadas pelo fenômeno nos 15 bairros passíveis de alagação.


Ainda de acordo com a Defesa Civil de Manaus, os bairros mais afetados pela cheia são: São Jorge, Colônia Antônio Aleixo, Aparecida, Educandos, Presidente Vargas, Mauazinho, Tarumã, Raiz, Betânia, Centro, Santo Antônio, Cachoeirinha, Glória, Compensa, Puraquequara, além de algumas áreas das zonas rural e ribeirinha.


O governo estadual anunciou que vai fornecer ajuda humanitária aos moradores; com fornecimento de cestas básicas, kit higiene, colchões e kit dormitório suspenso, com rede, mosquiteiro e lençol.


A assistência também se estenderá a 30 municípios das calhas do Alto Solimões e do Amazonas. 

Cidades

Home > Noticias > null

Com a cheia do Rio Negro, a rua dos Barés, no Centro de Manaus, está interditada

O nível do rio ultrapassou a cota de emergência de 29 metros e a água começou a invadir partes mais baixas da cidade, principalmente no Centro Comercial

Portal Amazônia, com informações do G1 Amazonas

jornalismo@portalamazonia.com


A rua dos Barés, no Centro de Manaus, foi interditada após a subida do nível do rio Rio Negro. O nível do rio já ultrapassou a cota de emergência de 29 metros e a água começou a invadir partes mais baixas da cidade. Além do Centro da capital, outro 14 bairros estão na iminência de serem alagados, segundo monitoramento feito pela Defesa Civil. Manaus já decretou situação de emergência por conta da cheia e dos alagamentos que já aparecem.


Com o nível do rio alto, a água invadiu a rua dos Barés, e o tráfego de veículos está prejudicado. Comerciantes já alegam a queda no movimento por conta da dificuldade que os consumidores encontram ao passar pela rua invadida pela água. 
 
Foto:Reprodução/Rede Amazônica
 

Na última sexta-feira (7), o rio atingiu a cota de 29,19 - de emergência para inundações. Conforme o Serviço Geológico do Brasil (CPRM), a cota máxima pode variar entre 29,18 metros a 29,33 metros.


Em 2012, a cota máxima já atingida pelo rio foi de 29,97 metros, que deixou boa parte do centro comercial de Manaus alagado.


Situação de Emergência


O decreto publicado na última quarta-feira (%), possibilita que a prefeitura promova ações de combate aos danos causados pela enchente dos rios Negro e Amazonas pelo prazo de 180 dias. E, solicite caso necessário, recursos do governo federal.


A Prefeitura também prevê a intensificação de ações nos próximos dias, como a construção de pontes em áreas alagadas e será feito o trabalho de vacinação, de prevenção a moléstias. 
 
Foto:Reprodução/Rede Amazônica
 

Defesa Civil


Até o momento, o monitoramento realizado pela Defesa Civil identificou que 2.271 famílias que podem ser afetadas pelo fenômeno nos 15 bairros passíveis de alagação.


Ainda de acordo com a Defesa Civil de Manaus, os bairros mais afetados pela cheia são: São Jorge, Colônia Antônio Aleixo, Aparecida, Educandos, Presidente Vargas, Mauazinho, Tarumã, Raiz, Betânia, Centro, Santo Antônio, Cachoeirinha, Glória, Compensa, Puraquequara, além de algumas áreas das zonas rural e ribeirinha.


O governo estadual anunciou que vai fornecer ajuda humanitária aos moradores; com fornecimento de cestas básicas, kit higiene, colchões e kit dormitório suspenso, com rede, mosquiteiro e lençol.


A assistência também se estenderá a 30 municípios das calhas do Alto Solimões e do Amazonas. 

TAG rua dos bares manaus alagamento cheia rio negro 2019rio negrosituacao de emergenciamanaus