Publicidade

Internacional

Home > Noticias > null

Colombianos elegem novos governadores e prefeitos

Os representantes eleitos assumirão os cargos no dia 1º de janeiro de 2016, sendo que os mandatos são de quatro anos

Portal Amazônia, com informações da Agência Brasil


BRASÍLIA - A população da Colômbia escolheu novos governadores e prefeitos no último domingo (25). Os representantes administrarão o país após o fim do conflito armado com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Os representantes eleitos no domingo assumirão os cargos em 1º de janeiro, sendo que os mandatos são de quatro anos. Eles serão os responsáveis pelo novo desenho do país após o processo de paz com o grupo guerrilheiro Farc.O presidente Juan Manuel Santos comemorou a vitória de seus aliados em diversos estados e cidades e destacou a tranquilidade do dia de votações e o triunfo da coalizão que defende o processo de paz com as Farc. "Celebro os bons resultados dos partidos que formam a coalizão governista. Foi um triunfo gigantesco. O povo confirma que quer a paz e continuar gerando prosperidade para todos", disse.As legendas governistas conquistaram os governos de 26 dos 32 estados, sendo que o partido opositor do ex-presidente Álvaro Uribe não conseguiu eleger nenhum governador.  A oposição também foi derrotada nas prefeituras das principais cidades do país. Em Bogotá, onde a prefeitura é considerada o segundo cargo mais importante do país, venceu Enrique Peñalosa, pondo fim a 12 anos dos progressistas no poder e vencendo o candidato de Santos, Rafael Pardo.Para muitos especialistas, as eleições do último domingo eram uma espécie de primárias para o pleito que decidirá o sucessor de Santos em 2018.Outra das vitórias registradas ontem foi a redução da violência durante o período de votação, que no passado era exercido principalmente pelas Farc. O ministro de Defesa, Luis Carlos Villegas, informou que, em todo o país, houve apenas sete casos de desrespeito à ordem pública, em sua maioria no departamento de Choco, e quase todos atribuídos ao grupo guerrilheiro Exército de Libertação Nacional (ELN).
Internacional

Colombianos elegem novos governadores e prefeitos

Os representantes eleitos assumirão os cargos no dia 1º de janeiro de 2016, sendo que os mandatos são de quatro anos

Portal Amazônia, com informações da Agência Brasil


BRASÍLIA - A população da Colômbia escolheu novos governadores e prefeitos no último domingo (25). Os representantes administrarão o país após o fim do conflito armado com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Os representantes eleitos no domingo assumirão os cargos em 1º de janeiro, sendo que os mandatos são de quatro anos. Eles serão os responsáveis pelo novo desenho do país após o processo de paz com o grupo guerrilheiro Farc.O presidente Juan Manuel Santos comemorou a vitória de seus aliados em diversos estados e cidades e destacou a tranquilidade do dia de votações e o triunfo da coalizão que defende o processo de paz com as Farc. "Celebro os bons resultados dos partidos que formam a coalizão governista. Foi um triunfo gigantesco. O povo confirma que quer a paz e continuar gerando prosperidade para todos", disse.As legendas governistas conquistaram os governos de 26 dos 32 estados, sendo que o partido opositor do ex-presidente Álvaro Uribe não conseguiu eleger nenhum governador.  A oposição também foi derrotada nas prefeituras das principais cidades do país. Em Bogotá, onde a prefeitura é considerada o segundo cargo mais importante do país, venceu Enrique Peñalosa, pondo fim a 12 anos dos progressistas no poder e vencendo o candidato de Santos, Rafael Pardo.Para muitos especialistas, as eleições do último domingo eram uma espécie de primárias para o pleito que decidirá o sucessor de Santos em 2018.Outra das vitórias registradas ontem foi a redução da violência durante o período de votação, que no passado era exercido principalmente pelas Farc. O ministro de Defesa, Luis Carlos Villegas, informou que, em todo o país, houve apenas sete casos de desrespeito à ordem pública, em sua maioria no departamento de Choco, e quase todos atribuídos ao grupo guerrilheiro Exército de Libertação Nacional (ELN).

TAG