Publicidade

Esportes

Circuito de MMA Amador projeta nova safra de lutadores do Amazonas

Com 130 inscritos, evento reúne lutadores que buscam um espaço no MMA. Amazonas é celeiro de talentos nas lutas

Gabriel Seixas e Ronaldo Lima


MANAUS – O Amazonas é um dos maiores celeiros de MMA do Brasil. Enquanto uns levam o nome do Estado para os principais eventos do planeta, outros ainda buscam um lugar ao sol no esporte. E a nova geração das artes marciais mistas do Amazonas terá a oportunidade de mostrar talento no Circuito de MMA Amador, que inicia neste sábado (3), às 17h, e vai até domingo (4), no Shopping Via Norte.
Além de buscar espaço no MMA profissional, os competidores ainda terão uma motivação extra no evento: o formato será semelhante ao do TUF Brasil, com os lutadores divididos em equipes azul e vermelha. A equipe azul terá o comando de Erick 'Índio Brabo' da Silva, enquanto a equipe vermelha será liderada por Dileno Lopes, mais novo amazonense contratado pelo UFC. Curiosamente, Índio Brabo e Dileno representam o Amazonas na última edição do TUF.
'Índio Brabo' e Dileno Lopes serão os líderes das equipes no Circuito de MMA Amador. Foto: Divulgação
O formato do circuito é inédito na Região Norte. Segundo o idealizador da competição, Márcio Pontes, 130 atletas estão inscritos. “Eu fico feliz por fazer parte dessa semente que foi plantada. Eu vivo e respiro lutas, sempre criando ideias pra que o nosso esporte cresça. Acredito que vamos ter excelentes combates e o público vai se surpreender com uma garotada muito forte, mostrando que o talento do Amazonas é a luta”, disse Pontes.
Erick 'Índio Brabo' da Silva avalia que o fomento do MMA amador como transição para o profissional é uma evolução no esporte amazonense. “Eu rodo o Brasil inteiro treinando e vejo a dificuldade dos amadores entrarem numa carreira profissional. Quando eu comecei a lutar, com 17 anos, não tinha MMA amador. De repente eu poderia ter me organizado mais. Graças a Deus não me atrapalhou, mas é uma ótima iniciativa”, valorizou.
Dileno Lopes crê que o circuito é a oportunidade da vida de muitos atletas para sonhar com um futuro vitorioso no MMA. “Eu sempre me inspirei nas pessoas que já estavam lá fora, como José Aldo, Marcos Loro, e sempre sonhei em ter uma carreira profissional. Chegar no UFC era meu sonho. E pra quem tá começando agora é a hora de mostrar talento, de mostrar que eles têm condições de chegar onde estamos. Se eu pudesse voltar no tempo e começar junto com eles, essa seria minha oportunidade”, observou.Lutas profissionaisO evento para amadores também será incrementado por lutas profissionais. Uma delas é entre o venezuelano lutador de muay thai, Rubem Vilvicencio, e o amazonense Emerson Krato.O público também acompanhará o combate entre Sérgio Ribeiro, da MPBJJ, e Jorge Leal, da equipe Alfa Fight. "O Márcio veio com essa ideia para inovar e dar oportunidade pra novos talentos que não tem oportunidade de entrar em grandes eventos. Creio que isso só vai melhorar a vida dos atletas e estou pronto pra fazer a luta principal de profissionais no domingo", disse Sérgio.
Sérgio Ribeiro (à esq.) será uma das atrações do MMA profissional no evento. Foto: Emanuel Mendes Siqueira/Sejel-AMNovos talentos
Mesmo com pouco tempo de UFC, Dileno é referência para muitos dos atletas que buscam espaço na modalidade. É o caso de Emerson Couto, da equipe Segadilha. “Todo mundo tem uma esperança de crescer nesse esporte e creio que todo mundo vai dar seu máximo”, disse o lutador, oriundo do jiu-jítsu e há três anos nas lutas, mas sem nenhum combate profissional.
Outra cara nova que estará no circuito é Carmen Maura, também da equipe Segadilha. “O MMA entrou agora pra mim, mas treinei muito e venho pra ganhar. É uma oportunidade única porque geralmente abre só pro masculino”, observou a lutadora, que treina jiu-jítsu há dois anos.
As mulheres estarão em bom número no Circuito de MMA Amador. É o caso de Débora Alves, mais uma atleta que possui o jiu-jítsu como base – rotina entre os lutadores amazonense. “Estou com um ano de jiu-jítsu. Já lutei o Brasileiro, o Amazonense, e agora quero entrar no MMA. Não quero parar o jiu-jítsu, mas sempre via meus amigos treinando MMA e me apaixonei”.
Seja no juvenil, no adulto ou no feminino, o evento pretende projetar ainda mais talentos do MMA amazonense. “O Amazonas respira isso, nós não temos outro esporte. A luta está enraizada na gente. Não temos outro esporte que se destaque no cenário nacional e internacional, nem mesmo o futebol. Estou muito feliz pelo que está acontecendo e espero ver esses atletas tão logo se destacando em grandes eventos”, finalizou Márcio Pontes.

Esportes

Home > Noticias > null

Circuito de MMA Amador projeta nova safra de lutadores do Amazonas

Com 130 inscritos, evento reúne lutadores que buscam um espaço no MMA. Amazonas é celeiro de talentos nas lutas

Gabriel Seixas e Ronaldo Lima


MANAUS – O Amazonas é um dos maiores celeiros de MMA do Brasil. Enquanto uns levam o nome do Estado para os principais eventos do planeta, outros ainda buscam um lugar ao sol no esporte. E a nova geração das artes marciais mistas do Amazonas terá a oportunidade de mostrar talento no Circuito de MMA Amador, que inicia neste sábado (3), às 17h, e vai até domingo (4), no Shopping Via Norte.
Além de buscar espaço no MMA profissional, os competidores ainda terão uma motivação extra no evento: o formato será semelhante ao do TUF Brasil, com os lutadores divididos em equipes azul e vermelha. A equipe azul terá o comando de Erick 'Índio Brabo' da Silva, enquanto a equipe vermelha será liderada por Dileno Lopes, mais novo amazonense contratado pelo UFC. Curiosamente, Índio Brabo e Dileno representam o Amazonas na última edição do TUF.
'Índio Brabo' e Dileno Lopes serão os líderes das equipes no Circuito de MMA Amador. Foto: Divulgação
O formato do circuito é inédito na Região Norte. Segundo o idealizador da competição, Márcio Pontes, 130 atletas estão inscritos. “Eu fico feliz por fazer parte dessa semente que foi plantada. Eu vivo e respiro lutas, sempre criando ideias pra que o nosso esporte cresça. Acredito que vamos ter excelentes combates e o público vai se surpreender com uma garotada muito forte, mostrando que o talento do Amazonas é a luta”, disse Pontes.
Erick 'Índio Brabo' da Silva avalia que o fomento do MMA amador como transição para o profissional é uma evolução no esporte amazonense. “Eu rodo o Brasil inteiro treinando e vejo a dificuldade dos amadores entrarem numa carreira profissional. Quando eu comecei a lutar, com 17 anos, não tinha MMA amador. De repente eu poderia ter me organizado mais. Graças a Deus não me atrapalhou, mas é uma ótima iniciativa”, valorizou.
Dileno Lopes crê que o circuito é a oportunidade da vida de muitos atletas para sonhar com um futuro vitorioso no MMA. “Eu sempre me inspirei nas pessoas que já estavam lá fora, como José Aldo, Marcos Loro, e sempre sonhei em ter uma carreira profissional. Chegar no UFC era meu sonho. E pra quem tá começando agora é a hora de mostrar talento, de mostrar que eles têm condições de chegar onde estamos. Se eu pudesse voltar no tempo e começar junto com eles, essa seria minha oportunidade”, observou.Lutas profissionaisO evento para amadores também será incrementado por lutas profissionais. Uma delas é entre o venezuelano lutador de muay thai, Rubem Vilvicencio, e o amazonense Emerson Krato.O público também acompanhará o combate entre Sérgio Ribeiro, da MPBJJ, e Jorge Leal, da equipe Alfa Fight. "O Márcio veio com essa ideia para inovar e dar oportunidade pra novos talentos que não tem oportunidade de entrar em grandes eventos. Creio que isso só vai melhorar a vida dos atletas e estou pronto pra fazer a luta principal de profissionais no domingo", disse Sérgio.
Sérgio Ribeiro (à esq.) será uma das atrações do MMA profissional no evento. Foto: Emanuel Mendes Siqueira/Sejel-AMNovos talentos
Mesmo com pouco tempo de UFC, Dileno é referência para muitos dos atletas que buscam espaço na modalidade. É o caso de Emerson Couto, da equipe Segadilha. “Todo mundo tem uma esperança de crescer nesse esporte e creio que todo mundo vai dar seu máximo”, disse o lutador, oriundo do jiu-jítsu e há três anos nas lutas, mas sem nenhum combate profissional.
Outra cara nova que estará no circuito é Carmen Maura, também da equipe Segadilha. “O MMA entrou agora pra mim, mas treinei muito e venho pra ganhar. É uma oportunidade única porque geralmente abre só pro masculino”, observou a lutadora, que treina jiu-jítsu há dois anos.
As mulheres estarão em bom número no Circuito de MMA Amador. É o caso de Débora Alves, mais uma atleta que possui o jiu-jítsu como base – rotina entre os lutadores amazonense. “Estou com um ano de jiu-jítsu. Já lutei o Brasileiro, o Amazonense, e agora quero entrar no MMA. Não quero parar o jiu-jítsu, mas sempre via meus amigos treinando MMA e me apaixonei”.
Seja no juvenil, no adulto ou no feminino, o evento pretende projetar ainda mais talentos do MMA amazonense. “O Amazonas respira isso, nós não temos outro esporte. A luta está enraizada na gente. Não temos outro esporte que se destaque no cenário nacional e internacional, nem mesmo o futebol. Estou muito feliz pelo que está acontecendo e espero ver esses atletas tão logo se destacando em grandes eventos”, finalizou Márcio Pontes.

TAG