Publicidade

Saúde

Cinco profissionais desistem das vagas do Mais Médicos no Acre

No Acre, as 104 vagas deixadas pelos cubanos no programa foram distribuídas em 20 municípios e dois distritos indígenas


O Ministério da Saúde confirmou, nesta quinta-feira (4), que cinco profissionais desistiram do programa Mais Médicos nos primeiros três meses do ano no Acre. O número representa 5% das vagas deixadas no estado com a saída dos médicos cubanos do programa em novembro de 2018.


Um dos médicos que pediu desligamento do programa foi Endison Onofre. Ele é acreano formado no Brasil e estava trabalhando desde novembro no município do Bujari, no interior do estado.


“Atuei lá na cidade de novembro até fevereiro. Logo que abriu o edital, me inscrevi e em uma semana eu já estava atuando. Mas, saí por conta da residência para fazer especialização em pediatria”, afirmou o médico.

 

Foto: Karina Zambrana /ASCOM/MS


Conforme o Ministério da Saúde, as desistências ocorreram nas cidades de Assis Brasil, Bujari, Cruzeiro do Sul, Manoel Urbano e Santa Rosa do Purus, no interior do estado, sendo que em cada cidade um profissional deixou o programa.


No Acre, as 104 vagas deixadas pelos cubanos no programa foram distribuídas em 20 municípios e dois distritos indígenas. Segundo o Ministério da Saúde, o salário é de R$ 11.800.


Dados nacionais


Em todo país foram 1.052 desistências, sendo que 14 foram em distritos indígenas. De acordo com o Ministério da Saúde, ainda está sob análise a oferta destas vagas em um novo edital. São Paulo é o estado com o maior número de vagas abertas (181), seguindo de Bahia (11) e Minas Gerais (104).


Em novembro do ano passado, um edital foi aberto para ocupar as 8.517 vagas deixadas pelos cubanos no programa em todo o país. No total, 7.120 vagas foram preenchidas por brasileiros formados no Brasil.


As vagas remanescentes foram, então, oferecidas a médicos formados no exterior, que deveriam ter se apresentado aos seus postos de trabalho entre os dias 28 e 29 de março.


Cronologia do Mais Médicos


- Em novembro de 2018, Cuba anuncia saída do programa
- No mesmo mês governo publica edital com as vagas
- 8.517 vagas foram abertas
- No primeiro edital, todas as vagas foram ofertadas aos médicos com registro no CRM do Brasil
- Um segundo edital foi lançado para preencher 1.397 vagas remanescentes com brasileiros formados no exterior
- Em janeiro de 2019, os médicos brasileiros começaram a se apresentar aos municípios
- No final de março de 2019, os médicos formados no exterior se apresentaram aos municípios

Saúde

Home > Noticias > null

Cinco profissionais desistem das vagas do Mais Médicos no Acre

No Acre, as 104 vagas deixadas pelos cubanos no programa foram distribuídas em 20 municípios e dois distritos indígenas


O Ministério da Saúde confirmou, nesta quinta-feira (4), que cinco profissionais desistiram do programa Mais Médicos nos primeiros três meses do ano no Acre. O número representa 5% das vagas deixadas no estado com a saída dos médicos cubanos do programa em novembro de 2018.


Um dos médicos que pediu desligamento do programa foi Endison Onofre. Ele é acreano formado no Brasil e estava trabalhando desde novembro no município do Bujari, no interior do estado.


“Atuei lá na cidade de novembro até fevereiro. Logo que abriu o edital, me inscrevi e em uma semana eu já estava atuando. Mas, saí por conta da residência para fazer especialização em pediatria”, afirmou o médico.

 

Conforme o Ministério da Saúde, as desistências ocorreram nas cidades de Assis Brasil, Bujari, Cruzeiro do Sul, Manoel Urbano e Santa Rosa do Purus, no interior do estado, sendo que em cada cidade um profissional deixou o programa.


No Acre, as 104 vagas deixadas pelos cubanos no programa foram distribuídas em 20 municípios e dois distritos indígenas. Segundo o Ministério da Saúde, o salário é de R$ 11.800.


Dados nacionais


Em todo país foram 1.052 desistências, sendo que 14 foram em distritos indígenas. De acordo com o Ministério da Saúde, ainda está sob análise a oferta destas vagas em um novo edital. São Paulo é o estado com o maior número de vagas abertas (181), seguindo de Bahia (11) e Minas Gerais (104).


Em novembro do ano passado, um edital foi aberto para ocupar as 8.517 vagas deixadas pelos cubanos no programa em todo o país. No total, 7.120 vagas foram preenchidas por brasileiros formados no Brasil.


As vagas remanescentes foram, então, oferecidas a médicos formados no exterior, que deveriam ter se apresentado aos seus postos de trabalho entre os dias 28 e 29 de março.


Cronologia do Mais Médicos


- Em novembro de 2018, Cuba anuncia saída do programa
- No mesmo mês governo publica edital com as vagas
- 8.517 vagas foram abertas
- No primeiro edital, todas as vagas foram ofertadas aos médicos com registro no CRM do Brasil
- Um segundo edital foi lançado para preencher 1.397 vagas remanescentes com brasileiros formados no exterior
- Em janeiro de 2019, os médicos brasileiros começaram a se apresentar aos municípios
- No final de março de 2019, os médicos formados no exterior se apresentaram aos municípios

TAG