Publicidade

Cidades

Home > Noticias > null

Cinco estados da Amazônia Legal assinam pacto de combate ao trabalho escravo

Compromisso assinado em Brasília, entre o governo federal, 15 estados e o Distrito Federal quer fortalecer o combate ao trabalho escravo no país

Redação

jornalismo@portalamazonia.com


Trabalho escravo desrespeita do Direitos Humanos. Foto: Reprodução/EBC
 
O trabalho escravo é um grave desrespeito aos Direitos Humanos e que ainda não foi erradicado no Brasil. Nesta terça-feira (13), foi assinado em Brasília, um pacto na tentativa de fortalecer o combate ao trabalho escravo no país entre o governo federal, 15 estados e o Distrito Federal. O documento prevê que sejam criados, até dezembro de 2017, Comissões Estaduais para Erradicação do Trabalho Escravo (Coetrae) e, no caso dos estados que já possuem o órgão, que seja garantido o pleno funcionamento dos grupos.

Os estados da Amazônia Legal que aderiram à inciativa foram: Maranhão, Rondônia, Pará, Tocantins e Mato Grosso,. Além destes Bahia, Paraíba, Ceará, Rio Grande do Norte, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Paraná e Rio Grande do Sul.

A criação das instâncias estaduais está prevista desde 2003, quando foi criado a Comissão Nacional de Erradicação do Trabalho Escravo (Conetrae). As comissões têm a participação de diferentes órgãos do Estado e também de organizações da sociedade civil.

Os signatários se comprometem também a criar planos estaduais para a erradicação do trabalho escravo com metas, indicadores e detalhamento de ações de prevenção ao problema. Desde 1995, foram libertadas cerca de 50 mil pessoas em trabalho análogo à escravidão no Brasil, das quais 1.111 em 2015, de acordo com dados do Ministério do Trabalho.
Cidades

Cinco estados da Amazônia Legal assinam pacto de combate ao trabalho escravo

Compromisso assinado em Brasília, entre o governo federal, 15 estados e o Distrito Federal quer fortalecer o combate ao trabalho escravo no país


Trabalho escravo desrespeita do Direitos Humanos. Foto: Reprodução/EBC
 
O trabalho escravo é um grave desrespeito aos Direitos Humanos e que ainda não foi erradicado no Brasil. Nesta terça-feira (13), foi assinado em Brasília, um pacto na tentativa de fortalecer o combate ao trabalho escravo no país entre o governo federal, 15 estados e o Distrito Federal. O documento prevê que sejam criados, até dezembro de 2017, Comissões Estaduais para Erradicação do Trabalho Escravo (Coetrae) e, no caso dos estados que já possuem o órgão, que seja garantido o pleno funcionamento dos grupos.

Os estados da Amazônia Legal que aderiram à inciativa foram: Maranhão, Rondônia, Pará, Tocantins e Mato Grosso,. Além destes Bahia, Paraíba, Ceará, Rio Grande do Norte, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Paraná e Rio Grande do Sul.

A criação das instâncias estaduais está prevista desde 2003, quando foi criado a Comissão Nacional de Erradicação do Trabalho Escravo (Conetrae). As comissões têm a participação de diferentes órgãos do Estado e também de organizações da sociedade civil.

Os signatários se comprometem também a criar planos estaduais para a erradicação do trabalho escravo com metas, indicadores e detalhamento de ações de prevenção ao problema. Desde 1995, foram libertadas cerca de 50 mil pessoas em trabalho análogo à escravidão no Brasil, das quais 1.111 em 2015, de acordo com dados do Ministério do Trabalho.

TAG Amazonia LegalDireitos Humanostrabalho escravotrabalhoRondoniaParaTocantinsMato GrossoMaranhao