Publicidade

Saúde

Casos de malária no AM têm redução de 45% nos primeiros dois meses de 2019

Até fevereiro de 2019, foram registrados 7.489 casos. No mesmo período de 2018, foram registrados 13.837 casos


A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) informou, nessa terça-feira (12), que o Amazonas segue em queda com os casos de malária pelo segundo mês consecutivo em 2019. Segundo os dados do órgão, o estado alcançou a redução significativa nos casos de malária com 45%. Até fevereiro de 2019, foram registrados 7.489 casos. No mesmo período de 2018, foram registrados 13.837 casos.

De acordo com a FVS, Manaus segue com redução de casos em 41%, sendo registrados 1.071 casos até fevereiro de 2019 contra 1.828 casos no ano passado. Quando analisado somente o mês de fevereiro, a redução foi ainda maior com 55,94%. Foram 2.713 casos no Amazonas este ano, contra 6.158 casos no mês de fevereiro de 2018.
 
 
Foto: Arquivo/Agência Brasil
 
Em relação aos municípios da região do Alto Rio Negro, que decretaram situação de emergência em 2018, a redução da doença continua este ano. Liderado por São Gabriel da Cachoeira, que foi o responsável pela maior incidência no Amazonas, a região apresentou a redução de 52%, com 1.453 casos de janeiro a fevereiro de 2019 contra 3.074 casos notificados no mesmo período ano passado. Santa Izabel do Rio Negro também apresenta redução de 44%, com 527 casos até fevereiro de 2019 contra 941 casos de 2018. Barcelos segue em alerta, a redução é de 6%, com 1.048 casos registrados até fevereiro deste ano contra 1.117 casos no mesmo período do ano passado.

A diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Costa Pinto, disse que os indicadores são positivos, porém, o desafio maior é manter a redução durante todo ano. "A mobilização em torno do assunto deve permanecer e implementado a cada momento, para alcançar reduções cada vez mais expressiva, mas, se as atividades diárias no campo não forem executadas  de forma eficiente, infelizmente, os casos podem voltar a aumentar, principalmente, na fase de maior transmissibilidade, a partir de junho”, concluiu Rosemary.

Síntese epidemiológica da malária

A malária apresentou queda no Estado entre os anos de 2005 e 2016, quando as notificações reduziram de 167.018 para 45.476 casos. Observa-se o crescimento da doença em 2017, quando foram registrados cerca de 76 mil casos, entre janeiro e dezembro.

Em 2018, no primeiro trimestre, o aumento chegou quase a 60%, mas finalizou o ano com a redução de 10% com 68.396 casos em 2018 contra os 76.106 casos registrados em 2017. O aumento expressivo de números de casos de malária na calha do Alto Rio Negro resultou no decreto de emergência naquela região.

Sobre a doença

Malária tem tratamento gratuito ofertado em toda a rede de saúde. O paciente deve seguir de forma correta o uso do medicamento para evitar a evolução da doença.
 

Saúde

Home > Noticias > null

Casos de malária no AM têm redução de 45% nos primeiros dois meses de 2019

Até fevereiro de 2019, foram registrados 7.489 casos. No mesmo período de 2018, foram registrados 13.837 casos

Redação

jornalismo@portalamazonia.com


A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) informou, nessa terça-feira (12), que o Amazonas segue em queda com os casos de malária pelo segundo mês consecutivo em 2019. Segundo os dados do órgão, o estado alcançou a redução significativa nos casos de malária com 45%. Até fevereiro de 2019, foram registrados 7.489 casos. No mesmo período de 2018, foram registrados 13.837 casos.

De acordo com a FVS, Manaus segue com redução de casos em 41%, sendo registrados 1.071 casos até fevereiro de 2019 contra 1.828 casos no ano passado. Quando analisado somente o mês de fevereiro, a redução foi ainda maior com 55,94%. Foram 2.713 casos no Amazonas este ano, contra 6.158 casos no mês de fevereiro de 2018.
 
 
Foto: Arquivo/Agência Brasil
 
Em relação aos municípios da região do Alto Rio Negro, que decretaram situação de emergência em 2018, a redução da doença continua este ano. Liderado por São Gabriel da Cachoeira, que foi o responsável pela maior incidência no Amazonas, a região apresentou a redução de 52%, com 1.453 casos de janeiro a fevereiro de 2019 contra 3.074 casos notificados no mesmo período ano passado. Santa Izabel do Rio Negro também apresenta redução de 44%, com 527 casos até fevereiro de 2019 contra 941 casos de 2018. Barcelos segue em alerta, a redução é de 6%, com 1.048 casos registrados até fevereiro deste ano contra 1.117 casos no mesmo período do ano passado.

A diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Costa Pinto, disse que os indicadores são positivos, porém, o desafio maior é manter a redução durante todo ano. "A mobilização em torno do assunto deve permanecer e implementado a cada momento, para alcançar reduções cada vez mais expressiva, mas, se as atividades diárias no campo não forem executadas  de forma eficiente, infelizmente, os casos podem voltar a aumentar, principalmente, na fase de maior transmissibilidade, a partir de junho”, concluiu Rosemary.

Síntese epidemiológica da malária

A malária apresentou queda no Estado entre os anos de 2005 e 2016, quando as notificações reduziram de 167.018 para 45.476 casos. Observa-se o crescimento da doença em 2017, quando foram registrados cerca de 76 mil casos, entre janeiro e dezembro.

Em 2018, no primeiro trimestre, o aumento chegou quase a 60%, mas finalizou o ano com a redução de 10% com 68.396 casos em 2018 contra os 76.106 casos registrados em 2017. O aumento expressivo de números de casos de malária na calha do Alto Rio Negro resultou no decreto de emergência naquela região.

TAG malariaamazonasnovos casos