Saúde

Brasil cria barreira sanitária contra aftosa em Roraima

Medida foi adotada após confirmação de casos da doença na Colômbia. Ministério da Agricultura explica que a Venezuela tem uma extensa fronteira com o país vizinho e por isso foi necessário fazer o reforço na divisa

Portal Amazônia, com informações da Agência Brasil


Depois da comprovação de focos de febre aftosa na Colômbia, o Brasil criou uma barreira de proteção sanitária na fronteira com a Venezuela, pela cidade roraimense de Pacaraima. As informações são da Agência Brasil. 

 

Foto:Chico Valdiner/Governo de Mato Grosso

 

O Ministério da Agricultura explica que a Venezuela tem uma extensa fronteira com a Colômbia, por isso foi necessário fazer o reforço na divisa com o país vizinho.

Além do mais, é intensa a circulação de veículos e pessoas com produtos de origem animal in natura, entre a Venezuela e Pacaraima, o que justifica a fiscalização rigorosa.

Segundo informações da Superintendência Federal de Agricultura de Roraima, a barreira de proteção é formada por três equipes permanentes: uma na entrada de Pacaraima, a segunda na saída do município e a terceira em possíveis passagens clandestinas localizadas ao longo da fronteira seca com o país vizinho.

A operação já deu resultado: Na primeira semana de atuação, foram apreendidos mais de 40 quilos de produtos, entre carnes, queijos e embutidos.
  

A ação é por tempo indeterminado e, enquanto isso, o Ministério da Agricultura segue acompanhando as medidas adotadas pela Colômbia para conter a proliferação do vírus.

Roraima tem cerca de 800 mil cabeças de gado e foi declarada área livre de aftosa em abril deste ano.

O Brasil é reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal como livre da doença, com vacinação, e tem o maior rebanho comercial do mundo, com 217 milhões de cabeças.


Saúde

Brasil cria barreira sanitária contra aftosa em Roraima

Medida foi adotada após confirmação de casos da doença na Colômbia. Ministério da Agricultura explica que a Venezuela tem uma extensa fronteira com o país vizinho e por isso foi necessário fazer o reforço na divisa

Portal Amazônia, com informações da Agência Brasil


Depois da comprovação de focos de febre aftosa na Colômbia, o Brasil criou uma barreira de proteção sanitária na fronteira com a Venezuela, pela cidade roraimense de Pacaraima. As informações são da Agência Brasil. 

 

Foto:Chico Valdiner/Governo de Mato Grosso

 

O Ministério da Agricultura explica que a Venezuela tem uma extensa fronteira com a Colômbia, por isso foi necessário fazer o reforço na divisa com o país vizinho.

Além do mais, é intensa a circulação de veículos e pessoas com produtos de origem animal in natura, entre a Venezuela e Pacaraima, o que justifica a fiscalização rigorosa.

Segundo informações da Superintendência Federal de Agricultura de Roraima, a barreira de proteção é formada por três equipes permanentes: uma na entrada de Pacaraima, a segunda na saída do município e a terceira em possíveis passagens clandestinas localizadas ao longo da fronteira seca com o país vizinho.

A operação já deu resultado: Na primeira semana de atuação, foram apreendidos mais de 40 quilos de produtos, entre carnes, queijos e embutidos.
  

A ação é por tempo indeterminado e, enquanto isso, o Ministério da Agricultura segue acompanhando as medidas adotadas pela Colômbia para conter a proliferação do vírus.

Roraima tem cerca de 800 mil cabeças de gado e foi declarada área livre de aftosa em abril deste ano.

O Brasil é reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal como livre da doença, com vacinação, e tem o maior rebanho comercial do mundo, com 217 milhões de cabeças.

TAG febre aftosainspecao sanitariaVenezuelaColombiaRoraimaPacaraimaagropecuariabovinosaude