Publicidade

Cidades

Home > Noticias > null

Avião faz pouso forçado de barriga na pista do Aeroporto de Manaus e deixa passageiros em pânico; veja vídeo

"O avião começou a balançar e as pessoas começaram a se desesperar", conta passageiro do avião que caiu de barriga na pista do Aeroporto de Manaus

William Costa

william.costa@portalamazonia.com


Era 11h57 da manhã, deste sábado (15), e o vôo 5914, da MAP Linhas Aéreas, aeronave modelo ATR 42, prefixo PR-MPN, que decolou do Aeroporto Internacional de Manaus com destino à Carauari, interior do Amazonas, minutos depois retornou e fez um pouso de emergência, de barriga na cabeceira da pista do aeroporto. 34 pessoas estavam na aeronave e duas pessoas tiveram ferimentos leves.


Segundo nota da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), a aterrissagem da aeronave ocorreu às 12h08, depois que apresentou problemas técnicos.
 
Foto:Acervo Pessoal/Darlém Maia
 

Um dos passageiros, o estudante e direito Darlém Maia, de 24 anos, relatou à equipe do Portal Amazônia os momentos de pânico vividos dentro da aeronave.


"A gente tava perdendo a vista do que era cidade, passando a ponte jornalista Phellipe Daou, estávamos nas nuvens, literalmente, quando as pessoas começaram a perceber que a aeronave começou a balançar, e dar sinais de pane, e em um momento algo apitou, como um sinal de alerta. E em nenhum momento o piloto ou os comissários alertaram os passageiros de que estávamos em risco. As pessoas que perceberam e começaram a falar que o avião estava caindo, e que íamos descer no rio. Eu tentei ficar calmo e não me desesperar, mas as pessoas começaram a se desesperar. Aí o avião começou a descer rápido e as pessoas começaram a se desesperar mais ainda, foi quando houve o impacto na ponta da pista. Deu tempo de voltar para o aeroporto", conta.


Sobre ter percebido algo diferente no voo, Darlém lembra que a temperatura estava alta dentro da aeronave.


"Não havia fumaça, mas estava muito quente dentro do avião. Eu até comentei com um amigo que eu estava suando demais", lembra.


Após o pouso forçado, houve pânico entre os passageiros.


"Com a queda, os passageiros ficaram em pânico, pois o avião começou a apresentar sinais de fumaça, incêndio, e as comissárias alertaram a gente do risco de explosão. A comissária da frente se nengou a abrir a porta da saída de emergência, mesmo a gente gritando pedindo para ela abrir, e um amigo meu se exaltou e ela não abriu e ela disse que não poderia abrir. E então a comissária de trás abriu a porta de entrada da escada e todo mundo correu para pular da aeronave, e houve muito tumulto pelos empurrões, crianças chorando, e mulheres gritando, desmaios, e teve uma mulher que caiu e se machucou, quando a gente tava indo para a mata, se distanciando do avião. Iisso não foi pouso forçado, foi queda mesmo, nenhuma roda foi ativada, caímos de barriga na pista", lembra.


Veja vídeo após a queda da aeronave





Na mata, os passageiros se abrigavam para fugir do risco de incêndio e acompanharam o corpo de bombeiros fazendo o rescaldo do avião.


"Minutos depois da queda do avião, o Corpo de Bombeiros começou a jogar água, para evitar o incêndio e estávamos nas áreas de mata do aeroporto acompanhando, e um tempo depois mandaram um ônibus para buscar a gente nas proximidades da pista", conta.


Sobre o atendimento de socorro prestado pela MAP, Darlém conta que receberam os auxílios, mas foi demorado.


"A MAP, depois de quase uma hora que o ônibus da Infraero tinha ido buscar a gente na pista e nos deixado no saguão de embarque, apareceu com uma representante da empresa para nos prestar assistência com hotel, alimentação e voucher para táxi, mas no avião não, eles não nos avisaram nada dentro da aeronave, mesmo nós, passageiros, perguntando para a tripulação", conta Darlém.
   
Foto:Acervo Pessoal/Darlém Maia
 
As duas pessoas feridas receberam os primeiros socorros ainda no Aeroporto, e foram encaminhadas para atendimento médico.


Em nota, a MAP Linhas Aéreas, informou que a houve um pouso de emergência da aeronave por problemas técnicos, e que o piloto seguiu todas as normas padrão para o tipo de ocorrência, agindo corretamente dentro dos procedimentos internacionais de segurança de voo, e não houve maiores incidentes. A empresa ressalta que já prestou assistência aos passageiros realocando-os em hotéis, e que serão embarcados em um voo, neste domingo (16).


As causas do acidente serão investigadas pelo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA VII), órgão da Força Aérea Brasileira (FAB).


A Infraero informou, por meio de nota, que com o pouso de emergência, a pista do Aeroporto de Manaus está fechada, até que haja a remoção completa da aeronave, prevista para 19h, deste sábado (15).


Até o fechamento desta matéria, voos que chegariam foram transferidos para outros Aeroportos e pelo menos cinco voos que decolariam de Manaus foram cancelados.

Mais informações sobre a situação dos voos e liberação das pistas podem ser consultados em http://voos.infraero.gov.br.
Cidades

Avião faz pouso forçado de barriga na pista do Aeroporto de Manaus e deixa passageiros em pânico; veja vídeo

"O avião começou a balançar e as pessoas começaram a se desesperar", conta passageiro do avião que caiu de barriga na pista do Aeroporto de Manaus


Era 11h57 da manhã, deste sábado (15), e o vôo 5914, da MAP Linhas Aéreas, aeronave modelo ATR 42, prefixo PR-MPN, que decolou do Aeroporto Internacional de Manaus com destino à Carauari, interior do Amazonas, minutos depois retornou e fez um pouso de emergência, de barriga na cabeceira da pista do aeroporto. 34 pessoas estavam na aeronave e duas pessoas tiveram ferimentos leves.


Segundo nota da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), a aterrissagem da aeronave ocorreu às 12h08, depois que apresentou problemas técnicos.
 
Foto:Acervo Pessoal/Darlém Maia
 

Um dos passageiros, o estudante e direito Darlém Maia, de 24 anos, relatou à equipe do Portal Amazônia os momentos de pânico vividos dentro da aeronave.


"A gente tava perdendo a vista do que era cidade, passando a ponte jornalista Phellipe Daou, estávamos nas nuvens, literalmente, quando as pessoas começaram a perceber que a aeronave começou a balançar, e dar sinais de pane, e em um momento algo apitou, como um sinal de alerta. E em nenhum momento o piloto ou os comissários alertaram os passageiros de que estávamos em risco. As pessoas que perceberam e começaram a falar que o avião estava caindo, e que íamos descer no rio. Eu tentei ficar calmo e não me desesperar, mas as pessoas começaram a se desesperar. Aí o avião começou a descer rápido e as pessoas começaram a se desesperar mais ainda, foi quando houve o impacto na ponta da pista. Deu tempo de voltar para o aeroporto", conta.


Sobre ter percebido algo diferente no voo, Darlém lembra que a temperatura estava alta dentro da aeronave.


"Não havia fumaça, mas estava muito quente dentro do avião. Eu até comentei com um amigo que eu estava suando demais", lembra.


Após o pouso forçado, houve pânico entre os passageiros.


"Com a queda, os passageiros ficaram em pânico, pois o avião começou a apresentar sinais de fumaça, incêndio, e as comissárias alertaram a gente do risco de explosão. A comissária da frente se nengou a abrir a porta da saída de emergência, mesmo a gente gritando pedindo para ela abrir, e um amigo meu se exaltou e ela não abriu e ela disse que não poderia abrir. E então a comissária de trás abriu a porta de entrada da escada e todo mundo correu para pular da aeronave, e houve muito tumulto pelos empurrões, crianças chorando, e mulheres gritando, desmaios, e teve uma mulher que caiu e se machucou, quando a gente tava indo para a mata, se distanciando do avião. Iisso não foi pouso forçado, foi queda mesmo, nenhuma roda foi ativada, caímos de barriga na pista", lembra.


Veja vídeo após a queda da aeronave





Na mata, os passageiros se abrigavam para fugir do risco de incêndio e acompanharam o corpo de bombeiros fazendo o rescaldo do avião.


"Minutos depois da queda do avião, o Corpo de Bombeiros começou a jogar água, para evitar o incêndio e estávamos nas áreas de mata do aeroporto acompanhando, e um tempo depois mandaram um ônibus para buscar a gente nas proximidades da pista", conta.


Sobre o atendimento de socorro prestado pela MAP, Darlém conta que receberam os auxílios, mas foi demorado.


"A MAP, depois de quase uma hora que o ônibus da Infraero tinha ido buscar a gente na pista e nos deixado no saguão de embarque, apareceu com uma representante da empresa para nos prestar assistência com hotel, alimentação e voucher para táxi, mas no avião não, eles não nos avisaram nada dentro da aeronave, mesmo nós, passageiros, perguntando para a tripulação", conta Darlém.
   
Foto:Acervo Pessoal/Darlém Maia
 
As duas pessoas feridas receberam os primeiros socorros ainda no Aeroporto, e foram encaminhadas para atendimento médico.


Em nota, a MAP Linhas Aéreas, informou que a houve um pouso de emergência da aeronave por problemas técnicos, e que o piloto seguiu todas as normas padrão para o tipo de ocorrência, agindo corretamente dentro dos procedimentos internacionais de segurança de voo, e não houve maiores incidentes. A empresa ressalta que já prestou assistência aos passageiros realocando-os em hotéis, e que serão embarcados em um voo, neste domingo (16).


As causas do acidente serão investigadas pelo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA VII), órgão da Força Aérea Brasileira (FAB).


A Infraero informou, por meio de nota, que com o pouso de emergência, a pista do Aeroporto de Manaus está fechada, até que haja a remoção completa da aeronave, prevista para 19h, deste sábado (15).


Até o fechamento desta matéria, voos que chegariam foram transferidos para outros Aeroportos e pelo menos cinco voos que decolariam de Manaus foram cancelados.

Mais informações sobre a situação dos voos e liberação das pistas podem ser consultados em http://voos.infraero.gov.br.

TAG voo 5914Carauarivoo canceladovoo manaus carauariaeroporto internacional eduardo gomes manausMAP Linhas Aéreasqueda barriga aviao manaus