Cidades

Artista plástico fala sobre o caso de Bruno Borges

Segundo Jorge Rivasplata, Bruno acreditava que é era a reencarnação do filósofo Giordano Bruno

Portal Amazônia, com informações do G1 Acre

jornalismo@portalamazonia.com


Além dos livros criptografados, uma das principais peças do quebra-cabeça sobre o mistério que envolve o desaparecimento do universitário acriano Bruno Borges é a estátua do filósofo Giordano Bruno (1548-1600). O G1 do Acre entrevistou o artista plástico Jorge Rivasplata responsável por fazer a réplica da obra que existe no Campo de Fiori, em Rora.
Segundo Rivasplata, Bruno acreditava que é era a reencarnação do filósofo. "A maioria não entende, mas eu o conheço há muito tempo. Dá para acreditar que foi reencarnado Giordano Bruno nele. Não posso contar mais, a única coisa que posso dizer é que já terminou os livros que ele [Giordano] deixou inconcluso. Queria falar ao seu pai e mãe que não se preocupem, ele está bem e vem apresentar ao mundo esse projeto lindo, fantástico", afirmou o artista plástico.
 

Foto: Arquivo Pessoal

 

Com mais de dois metros, a estátua foi entregue para Bruno no final do dia 16 de março, o artista finalizou a obra no quarto do universitário. Segundo o artista a escultura foi preenchida com espuma, madeira, cascalho e cimento. "A obra não está presa no chão, mas é bem pesada para que não seja tirada do lugar", explicou.
Bruno estudou com Rivasplata e pediu para o professor confeccionar a estátua de Giordano Bruno. Com o valor que beira os R$ 20 mil, o artista contou que acreditou nas teorias do universitário, e por esse motivo, cobrou apenas R$ 7 mil. "Ele se destacou. É muito inteligente, superdotado. Ele viu meu trabalho, gostou e me deu um livro sobre o Giordono. A estátua ficou no fundo da minha casa, Bruno veio buscar em uma caminhonete. Depois fui chamado para terminar, para fixar onde deveria ficar", contou.
Na última conversa entre o artista plástico e Bruno, o jovem pareceu animado com a finalização da estátua e garantiu que todos saberiam de seus planos. "Ele responde: 'a estátua está perfeita, melhor impossível. Estou extremamente satisfeito, mestre Rivas. Logo a apresentaremos ao mundo. Esse trabalho o Acre vai conhecer, o Brasil e o mundo", recordou.
*Com informações do G1 Acre

 

 


Cidades

Artista plástico fala sobre o caso de Bruno Borges

Segundo Jorge Rivasplata, Bruno acreditava que é era a reencarnação do filósofo Giordano Bruno

Portal Amazônia, com informações do G1 Acre

jornalismo@portalamazonia.com


Além dos livros criptografados, uma das principais peças do quebra-cabeça sobre o mistério que envolve o desaparecimento do universitário acriano Bruno Borges é a estátua do filósofo Giordano Bruno (1548-1600). O G1 do Acre entrevistou o artista plástico Jorge Rivasplata responsável por fazer a réplica da obra que existe no Campo de Fiori, em Rora.
Segundo Rivasplata, Bruno acreditava que é era a reencarnação do filósofo. "A maioria não entende, mas eu o conheço há muito tempo. Dá para acreditar que foi reencarnado Giordano Bruno nele. Não posso contar mais, a única coisa que posso dizer é que já terminou os livros que ele [Giordano] deixou inconcluso. Queria falar ao seu pai e mãe que não se preocupem, ele está bem e vem apresentar ao mundo esse projeto lindo, fantástico", afirmou o artista plástico.
 

Foto: Arquivo Pessoal

 

Com mais de dois metros, a estátua foi entregue para Bruno no final do dia 16 de março, o artista finalizou a obra no quarto do universitário. Segundo o artista a escultura foi preenchida com espuma, madeira, cascalho e cimento. "A obra não está presa no chão, mas é bem pesada para que não seja tirada do lugar", explicou.
Bruno estudou com Rivasplata e pediu para o professor confeccionar a estátua de Giordano Bruno. Com o valor que beira os R$ 20 mil, o artista contou que acreditou nas teorias do universitário, e por esse motivo, cobrou apenas R$ 7 mil. "Ele se destacou. É muito inteligente, superdotado. Ele viu meu trabalho, gostou e me deu um livro sobre o Giordono. A estátua ficou no fundo da minha casa, Bruno veio buscar em uma caminhonete. Depois fui chamado para terminar, para fixar onde deveria ficar", contou.
Na última conversa entre o artista plástico e Bruno, o jovem pareceu animado com a finalização da estátua e garantiu que todos saberiam de seus planos. "Ele responde: 'a estátua está perfeita, melhor impossível. Estou extremamente satisfeito, mestre Rivas. Logo a apresentaremos ao mundo. Esse trabalho o Acre vai conhecer, o Brasil e o mundo", recordou.
*Com informações do G1 Acre

 

 

TAG AcreRio BrancoBruno Borgesjovem desaparece