Publicidade

Cidades

Home > Noticias > null

Aos 113 anos, morre quilombola mais velho do país em Mato Grosso

Antônio Mulato, como era conhecido, sofria de mal de Parkinson e Alzheimer e estava internado há 10 dias no Pronto-Socorro de Várzea Grande em MT

Portal Amazônia, com informações da Agência Brasil

jornalismo@portalamazonia.com


Morreu no último sábado (15) Antônio Benedito da Conceição, o quilombola mais velho do país. Antônio Mulato, como era conhecido, tinha 113 anos de idade e era líder e símbolo da Comunidade Quilombola Mata Cavalo, localizada no município de Nossa Senhora do Livramento, em Mato Grosso.

Por meio de nota, procuradores da República em Mato Grosso lamentaram a morte da liderança, conhecida também por engajar-se nas lutas por igualdade racial.
     
Foto: Divulgação/Acervo Pessoal
 
Em 1940 ele foi responsável pela primeira escola pública do Brasil em uma comunidade quilombola.Mulato sofria de mal de Parkinson e Alzheimer e estava internado há 10 dias no Pronto-Socorro de Várzea Grande, em Mato Grosso.

De sua descendência, além dos 13 filhos, deixou 38 netos, 44 bisnetos, 29 tataranetos e quatro trinetos.
Cidades

Aos 113 anos, morre quilombola mais velho do país em Mato Grosso

Antônio Mulato, como era conhecido, sofria de mal de Parkinson e Alzheimer e estava internado há 10 dias no Pronto-Socorro de Várzea Grande em MT

Portal Amazônia, com informações da Agência Brasil

jornalismo@portalamazonia.com


Morreu no último sábado (15) Antônio Benedito da Conceição, o quilombola mais velho do país. Antônio Mulato, como era conhecido, tinha 113 anos de idade e era líder e símbolo da Comunidade Quilombola Mata Cavalo, localizada no município de Nossa Senhora do Livramento, em Mato Grosso.

Por meio de nota, procuradores da República em Mato Grosso lamentaram a morte da liderança, conhecida também por engajar-se nas lutas por igualdade racial.
     
Foto: Divulgação/Acervo Pessoal
 
Em 1940 ele foi responsável pela primeira escola pública do Brasil em uma comunidade quilombola.Mulato sofria de mal de Parkinson e Alzheimer e estava internado há 10 dias no Pronto-Socorro de Várzea Grande, em Mato Grosso.

De sua descendência, além dos 13 filhos, deixou 38 netos, 44 bisnetos, 29 tataranetos e quatro trinetos.

TAG quilombolamorteantonio mulato