Cidades

Amazonino e Braga seguem para 2º turno em eleição suplementar no Amazonas

Primeiro turno da disputa pelo governo do Estado aconteceu neste domingo (6); mais de dois milhões de eleitores foram às urnas


Foto:Reprodução/Rede Amazônica

 

Cerca de 2,3 milhões de eleitores amazonenses votaram neste domingo (6) na eleição suplementar do governo do Estado e levam os candidatos Amazonino Mendes (PDT) e o vice Bosco Saraiva (PSDB) e Eduardo Braga (PMDB) e seu vice Marcelo Ramos (PR) ao segundo turno. A data do pleito é 27 de agosto.
 

Foto:Reprodução/Rede Amazônica

 

A candidata Rebecca Garcia (PP) e o vice Felipe Souza, do Podemos, ficaram em terceiro lugar, mas não disputam a liderança do governo.

A votação foi encerrada em 49 cidades às 17h. Por conta do fuso horário, 13 cidades encerraram o pleito apenas às 18h, quando o resultado parcial começou a ser divulgado pelo TRE-AM.

Os candidatos

Amazonino Mendes (PDT) nasceu no Amazonas e é formado em Direito. Iniciou sua vida política em 1983, quando foi eleito prefeito de Manaus. Foi eleito para o cargo mais duas vezes, em 1993 e em 2009. Por três vezes foi governador do Estado e nos anos de 1991 e 1992 foi senador.

Eduardo Braga (PMDB) é formado em engenharia e nasceu em  Belém, no Pará. Atualmente senador, foi eleito vereador em 1983, foi deputado estadual e federal, além de já ter governado o Amazonas em dois mandatos. Também foi vice-prefeito de Manaus. 

Posse

Conforme decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski, os vencedores do pleito não poderão ser diplomados pela Justiça Eleitoral até o julgamento do último recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que cassou o mandato do ex-governador José Melo e do ex-vice Henrique Oliveira, por compra de votos na campanha de 2014 e determinou a realização das eleições suplementares. 

Durante coletiva na tarde deste domingo em Manaus, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes informou que as providências para a posse estão sendo tomadas e acredita que "dentro de uma ou duas semanas" o entrave será resolvido. 

O presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas, David Almeida (PSD), assumiu o governo interinamente durante o período de campanha estabelecido aos candidatos ao governo. 

Concorreram também Liliane Araújo (PPS) e Cabo Lobo; Wilker Barreto (PHS) e Professora Jacqueline (PHS); Marcelo Serafim (PSB) e Sirlan Cohen (PMN); José Ricardo (PT) e Sinésio Campos (PT); Jardel (PPL) e Fabiana Campos (PPL); Luiz Castro (Rede) e João Victor Tayah (PSOL).

*Mais informações em instantes
  

 

 


Cidades

Amazonino e Braga seguem para 2º turno em eleição suplementar no Amazonas

Primeiro turno da disputa pelo governo do Estado aconteceu neste domingo (6); mais de dois milhões de eleitores foram às urnas

Redação

jornalismo@portalamazonia.com


Foto:Reprodução/Rede Amazônica

 

Cerca de 2,3 milhões de eleitores amazonenses votaram neste domingo (6) na eleição suplementar do governo do Estado e levam os candidatos Amazonino Mendes (PDT) e o vice Bosco Saraiva (PSDB) e Eduardo Braga (PMDB) e seu vice Marcelo Ramos (PR) ao segundo turno. A data do pleito é 27 de agosto.
 

Foto:Reprodução/Rede Amazônica

 

A candidata Rebecca Garcia (PP) e o vice Felipe Souza, do Podemos, ficaram em terceiro lugar, mas não disputam a liderança do governo.

A votação foi encerrada em 49 cidades às 17h. Por conta do fuso horário, 13 cidades encerraram o pleito apenas às 18h, quando o resultado parcial começou a ser divulgado pelo TRE-AM.

Os candidatos

Amazonino Mendes (PDT) nasceu no Amazonas e é formado em Direito. Iniciou sua vida política em 1983, quando foi eleito prefeito de Manaus. Foi eleito para o cargo mais duas vezes, em 1993 e em 2009. Por três vezes foi governador do Estado e nos anos de 1991 e 1992 foi senador.

Eduardo Braga (PMDB) é formado em engenharia e nasceu em  Belém, no Pará. Atualmente senador, foi eleito vereador em 1983, foi deputado estadual e federal, além de já ter governado o Amazonas em dois mandatos. Também foi vice-prefeito de Manaus. 

Posse

Conforme decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski, os vencedores do pleito não poderão ser diplomados pela Justiça Eleitoral até o julgamento do último recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que cassou o mandato do ex-governador José Melo e do ex-vice Henrique Oliveira, por compra de votos na campanha de 2014 e determinou a realização das eleições suplementares. 

Durante coletiva na tarde deste domingo em Manaus, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes informou que as providências para a posse estão sendo tomadas e acredita que "dentro de uma ou duas semanas" o entrave será resolvido. 

O presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas, David Almeida (PSD), assumiu o governo interinamente durante o período de campanha estabelecido aos candidatos ao governo. 

Concorreram também Liliane Araújo (PPS) e Cabo Lobo; Wilker Barreto (PHS) e Professora Jacqueline (PHS); Marcelo Serafim (PSB) e Sirlan Cohen (PMN); José Ricardo (PT) e Sinésio Campos (PT); Jardel (PPL) e Fabiana Campos (PPL); Luiz Castro (Rede) e João Victor Tayah (PSOL).

*Mais informações em instantes
  

 

 

TAG Amazonaseleicao suplementargovernoTRE