Publicidade

Saúde

Acre terá diagnóstico de brucelose e tuberculose em bovinos

As doenças bovina acarretam prejuízos, já que diminuem a produtividade do rebanho no estado

Portal Amazônia, com informações da Agência Acre


RIO BRANCO - O Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf) deu início ao Inquérito Epidemiológico de Prevalência de Tuberculose e Brucelose Bovina no Acre, na última semana. O rebanho bovino acreano está estimado em 2,8 milhões de animais. O objetivo é levantar a incidência dessas duas doenças no rebanho acreano. 
Doenças podem ser transmitidas para humanos. Foto: Divulgação/Semcom
O primeiro passo para a construção do estudo no Acre foi dado com a chegada do médico veterinário da Universidade de São Paulo (USP) e coordenador do Centro Colaborador do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em saúde animal, José Soares Ferreira Neto. “Esse é apenas o início de todo o processo. Vamos começar a discutir como serão os passos aqui no Acre, a preparação das equipes de campo e as outras ações necessárias para a realização do inquérito”, afirmou.
Depois da coleta de sangue nos bovinos, o material é enviado para um laboratório, onde fica em um banco de dados para passar por análise.
O gerente de Defesa Sanitária Animal do Idaf, José Barbosa, destaca a importância do inquérito. “Vamos encontrar a taxa de incidência e prevalência dessas duas doenças no nosso rebanho. Dependendo desse resultado, o estado sanitário do estado pode se elevar ainda mais, aumentando a confiança nos produtos oriundos do Acre”, afirmou.

Saúde

Home > Noticias > null

Acre terá diagnóstico de brucelose e tuberculose em bovinos

As doenças bovina acarretam prejuízos, já que diminuem a produtividade do rebanho no estado

Portal Amazônia, com informações da Agência Acre


RIO BRANCO - O Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf) deu início ao Inquérito Epidemiológico de Prevalência de Tuberculose e Brucelose Bovina no Acre, na última semana. O rebanho bovino acreano está estimado em 2,8 milhões de animais. O objetivo é levantar a incidência dessas duas doenças no rebanho acreano. 
Doenças podem ser transmitidas para humanos. Foto: Divulgação/Semcom
O primeiro passo para a construção do estudo no Acre foi dado com a chegada do médico veterinário da Universidade de São Paulo (USP) e coordenador do Centro Colaborador do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em saúde animal, José Soares Ferreira Neto. “Esse é apenas o início de todo o processo. Vamos começar a discutir como serão os passos aqui no Acre, a preparação das equipes de campo e as outras ações necessárias para a realização do inquérito”, afirmou.
Depois da coleta de sangue nos bovinos, o material é enviado para um laboratório, onde fica em um banco de dados para passar por análise.
O gerente de Defesa Sanitária Animal do Idaf, José Barbosa, destaca a importância do inquérito. “Vamos encontrar a taxa de incidência e prevalência dessas duas doenças no nosso rebanho. Dependendo desse resultado, o estado sanitário do estado pode se elevar ainda mais, aumentando a confiança nos produtos oriundos do Acre”, afirmou.

TAG