Educação

Estudantes do MT utilizam recursos digitais para produzir conhecimento

Os estudantes produziram jornais impressos, colocaram em funcionamento programas de rádio e de variedades voltados para Internet

Portal Amazônia, com informações do Governo de MT

jornalismo@portalamazonia.com


Criado para estimular os estudantes a explorar as potencialidades pedagógicas dos recursos digitais, o projeto Educomunicação, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Educação, Esporte Lazer de Mato Grosso (Seduc), chegou a 126 escolas em 2016 – dez a mais do que no ano anterior. Ao todo, 80 mil alunos de 56 municípios foram atingidos.


Nas unidades de ensino onde foram realizadas as atividades, os estudantes e professores envolvidos confeccionaram jornais impressos e colocaram em funcionamento programas de rádio e de variedades voltados para Internet. Incentivados a utilizar as redes sociais e websites para divulgação de todos os assuntos relacionados ao cotidiano escolar, alunos e educadores criaram também endereços virtuais próprios para as escolas, além de páginas no Facebook.

 

 

Foto: Mayke Toscano/Governo MT

 


“É possível identificar, nas unidades onde há esse aproveitamento das mídias em favor da educação, um maior engajamento dos alunos, o que fica demonstrado no aumento da frequência escolar e na maior participação deles nos eventos da escola”, observou Leandro Resende, técnico-pedagógico da Seduc e um dos responsáveis pelo Educomunicação.

Na Escola Estadual Francisco Ferreira Mendes, no bairro Boa Esperança, em Cuiabá, os estudantes deram início, em novembro, ao FM Net, um programa de variedades que divulga as atividades da unidade e aborda temas relacionados à cultura e educação, promovendo a aproximação entre os alunos e educadores. O programa pode ser acessado via YouTube.

“O passo inicial foi dado, agora nos resta vestir a camisa e, com muita dedicação, continuar preparando um programa com a identidade da escola. Esperamos melhorar o projeto para o ano de 2017 e assim continuar estimulando a criatividade, a autonomia e a produção de materiais inovadores”, afirma o educomunicador da escola, professor Mizael Teixeira Silva.
 

 

 

Foto: Mayke Toscano/Governo MT

 


Nas redes sociais, a escola possui uma página no Facebook que serve para divulgar as atividades do projeto e para promover o debate sobre temas relacionados à comunidade escolar. “É uma forma de buscar uma interação com os pais, pois muitos utilizam a rede social diariamente”, diz Mizael.

Já na Escola Estadual Boa Esperança, em Curvelândia, aproximadamente 50 alunos do Ensino Médio e do 6º ao 9º Ano do Ensino Fundamental se responsabilizam pela Rádio Recreio. A programação exclusiva – que vai ao ar em todos os intervalos – é desenvolvida, desde o roteiro, produção e apresentação, pelos próprios estudantes. Um dos entrevistados pelos jovens, em 2016, foi o governador Pedro Taques, durante visita à unidade. A escola é uma das que possuem site próprio.

A adolescente Camila Eduarda dos Santos, do 3º Ano do Ensino Médio, faz parte da equipe que produz as pautas, faz locução e escolha das músicas.

“Após a implantação do projeto da rádio, os intervalos ficaram mais atrativos, interessantes. Antes, cada aluno ouvia suas músicas nos fones de ouvidos e não havia interação entre nós. Hoje, todos curtem as músicas, fazem pedidos, e os colegas são ouvintes assíduos. A rádio transformou os recreios em um espaço de cultura”, enfatiza.

Parceria com a UFMT

Em 2016, uma parceria entre a Seduc e Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) reforçou a realização do Educomunicação em dez escolas da rede estadual. Todo o conteúdo audiovisual e fotográfico produzido pelos alunos, após a realização de oficinas com acadêmicos da UFMT, foi disponibilizado na Plataforma + 10, site criado exclusivamente para abrigar os trabalhos dos estudantes das 10 escolas, que já estão disponíveis para serem compartilhados livremente por toda a comunidade.

Nos jornais impressos confeccionados pelos alunos – que levam o nome das respectivas escolas em que estudam – é possível identificar textos e fotos de caráter crítico e cultural, sobre temas da realidade escolar.

 

 

Foto: Mayke Toscano/Governo MT

 


Mateus Fuin dos Reis, de 14 anos, estudante do 9º ano da Escola Estadual Alcebíades Calhao, em Cuiabá, foi um dos que mais se identificaram com o projeto. Convidado por um professor a conhecer a iniciativa enquanto disputava uma partida de futebol, não se interessou muito de início.

Porém, após as primeiras oficinas, descobriu que haviam possibilidades até mais divertidas e atraentes do que o futebol. “Comecei a fazer os vídeos, a escrever, a fotografar e a entrevistar pessoas e, desde então, gosto muito disso tudo”, relata. Mesmo novo no ofício, o garoto já coleciona entrevistados famosos, como o cantor Zeca Baleiro, que esteve em Cuiabá em agosto para se apresentar no “Vem pra Arena”.

“Ele foi bem atencioso e gente boa. Não conhecia muito as músicas dele, mas também passei a curtir depois”, disse Mateus, que já pensa em se aprofundar nos estudos de Comunicação para, futuramente, se aventurar profissionalmente no jornalismo.

Responsável pelo projeto do convêncio entre Seduc e UFMT, o professor Diélcio Moreira, doutor em Comunicação, destacou o envolvimento dos alunos e educadores em todas as fases das atividades. “É preciso dizer que o sucesso da iniciativa está muito relacionado ao compromisso e interesse demonstrado pelos professores. No geral, aprendemos muito. Viemos para ensinar alguma coisa, mas saímos com muito conhecimento”, pontua.

Todo o conteúdo produzido pelos alunos da Escola Estadual Alcebíades, assim como das demais unidades participantes da parceria entre Seduc e UFMT, pode ser conferido no link.

O Educomunicação é um projeto que faz parte do Pró-Escolas, programa idealizado pela Seduc, que abrange o desenvolvimento de ações em Estrutura, Ensino e Inovação, com foco na melhoria da aprendizagem. Para 2017, a expectativa é de expandir a iniciativa para outras escolas da rede estadual.


Educação

Estudantes do MT utilizam recursos digitais para produzir conhecimento

Os estudantes produziram jornais impressos, colocaram em funcionamento programas de rádio e de variedades voltados para Internet

Portal Amazônia, com informações do Governo de MT

jornalismo@portalamazonia.com


Criado para estimular os estudantes a explorar as potencialidades pedagógicas dos recursos digitais, o projeto Educomunicação, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Educação, Esporte Lazer de Mato Grosso (Seduc), chegou a 126 escolas em 2016 – dez a mais do que no ano anterior. Ao todo, 80 mil alunos de 56 municípios foram atingidos.


Nas unidades de ensino onde foram realizadas as atividades, os estudantes e professores envolvidos confeccionaram jornais impressos e colocaram em funcionamento programas de rádio e de variedades voltados para Internet. Incentivados a utilizar as redes sociais e websites para divulgação de todos os assuntos relacionados ao cotidiano escolar, alunos e educadores criaram também endereços virtuais próprios para as escolas, além de páginas no Facebook.

 

 

Foto: Mayke Toscano/Governo MT

 


“É possível identificar, nas unidades onde há esse aproveitamento das mídias em favor da educação, um maior engajamento dos alunos, o que fica demonstrado no aumento da frequência escolar e na maior participação deles nos eventos da escola”, observou Leandro Resende, técnico-pedagógico da Seduc e um dos responsáveis pelo Educomunicação.

Na Escola Estadual Francisco Ferreira Mendes, no bairro Boa Esperança, em Cuiabá, os estudantes deram início, em novembro, ao FM Net, um programa de variedades que divulga as atividades da unidade e aborda temas relacionados à cultura e educação, promovendo a aproximação entre os alunos e educadores. O programa pode ser acessado via YouTube.

“O passo inicial foi dado, agora nos resta vestir a camisa e, com muita dedicação, continuar preparando um programa com a identidade da escola. Esperamos melhorar o projeto para o ano de 2017 e assim continuar estimulando a criatividade, a autonomia e a produção de materiais inovadores”, afirma o educomunicador da escola, professor Mizael Teixeira Silva.
 

 

 

Foto: Mayke Toscano/Governo MT

 


Nas redes sociais, a escola possui uma página no Facebook que serve para divulgar as atividades do projeto e para promover o debate sobre temas relacionados à comunidade escolar. “É uma forma de buscar uma interação com os pais, pois muitos utilizam a rede social diariamente”, diz Mizael.

Já na Escola Estadual Boa Esperança, em Curvelândia, aproximadamente 50 alunos do Ensino Médio e do 6º ao 9º Ano do Ensino Fundamental se responsabilizam pela Rádio Recreio. A programação exclusiva – que vai ao ar em todos os intervalos – é desenvolvida, desde o roteiro, produção e apresentação, pelos próprios estudantes. Um dos entrevistados pelos jovens, em 2016, foi o governador Pedro Taques, durante visita à unidade. A escola é uma das que possuem site próprio.

A adolescente Camila Eduarda dos Santos, do 3º Ano do Ensino Médio, faz parte da equipe que produz as pautas, faz locução e escolha das músicas.

“Após a implantação do projeto da rádio, os intervalos ficaram mais atrativos, interessantes. Antes, cada aluno ouvia suas músicas nos fones de ouvidos e não havia interação entre nós. Hoje, todos curtem as músicas, fazem pedidos, e os colegas são ouvintes assíduos. A rádio transformou os recreios em um espaço de cultura”, enfatiza.

Parceria com a UFMT

Em 2016, uma parceria entre a Seduc e Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) reforçou a realização do Educomunicação em dez escolas da rede estadual. Todo o conteúdo audiovisual e fotográfico produzido pelos alunos, após a realização de oficinas com acadêmicos da UFMT, foi disponibilizado na Plataforma + 10, site criado exclusivamente para abrigar os trabalhos dos estudantes das 10 escolas, que já estão disponíveis para serem compartilhados livremente por toda a comunidade.

Nos jornais impressos confeccionados pelos alunos – que levam o nome das respectivas escolas em que estudam – é possível identificar textos e fotos de caráter crítico e cultural, sobre temas da realidade escolar.

 

 

Foto: Mayke Toscano/Governo MT

 


Mateus Fuin dos Reis, de 14 anos, estudante do 9º ano da Escola Estadual Alcebíades Calhao, em Cuiabá, foi um dos que mais se identificaram com o projeto. Convidado por um professor a conhecer a iniciativa enquanto disputava uma partida de futebol, não se interessou muito de início.

Porém, após as primeiras oficinas, descobriu que haviam possibilidades até mais divertidas e atraentes do que o futebol. “Comecei a fazer os vídeos, a escrever, a fotografar e a entrevistar pessoas e, desde então, gosto muito disso tudo”, relata. Mesmo novo no ofício, o garoto já coleciona entrevistados famosos, como o cantor Zeca Baleiro, que esteve em Cuiabá em agosto para se apresentar no “Vem pra Arena”.

“Ele foi bem atencioso e gente boa. Não conhecia muito as músicas dele, mas também passei a curtir depois”, disse Mateus, que já pensa em se aprofundar nos estudos de Comunicação para, futuramente, se aventurar profissionalmente no jornalismo.

Responsável pelo projeto do convêncio entre Seduc e UFMT, o professor Diélcio Moreira, doutor em Comunicação, destacou o envolvimento dos alunos e educadores em todas as fases das atividades. “É preciso dizer que o sucesso da iniciativa está muito relacionado ao compromisso e interesse demonstrado pelos professores. No geral, aprendemos muito. Viemos para ensinar alguma coisa, mas saímos com muito conhecimento”, pontua.

Todo o conteúdo produzido pelos alunos da Escola Estadual Alcebíades, assim como das demais unidades participantes da parceria entre Seduc e UFMT, pode ser conferido no link.

O Educomunicação é um projeto que faz parte do Pró-Escolas, programa idealizado pela Seduc, que abrange o desenvolvimento de ações em Estrutura, Ensino e Inovação, com foco na melhoria da aprendizagem. Para 2017, a expectativa é de expandir a iniciativa para outras escolas da rede estadual.

TAG CuiabaMato Grossoeducacaoprojetos