Publicidade

Variedades

Festival de Ópera do Theatro da Paz traz novidades para o público em sua 18ª edição

Em 2019, o Festival de Ópera deixará de ser uma mostra de ópera ao apresentar um modelo mais amplo e contínuo, distribuído ao longo de seis meses (de agosto a dezembro)


Criado em 2002, o Festival de Ópera do Theatro da Paz tem o objetivo de apresentar montagens de óperas tradicionais no planeta, totalizando 42 produções montadas até 2018. Neste ano, o Theatro da Paz e a Igreja de Santo Alexandre serão os palcos do XVIII Festival de Ópera do Theatro da Paz, que envolverá cerca de 350 profissionais na montagem de três óperas.


Em 2019, o Festival de Ópera deixará de ser uma mostra de ópera ao apresentar um modelo mais amplo e contínuo, distribuído ao longo de seis meses (de agosto a dezembro), em cinco ações distintas: Temporada de Ópera, Formação, Temporada de Concertos, Teatro Musical e Itinerância, com o Teatro Itinerante da Paz (TIP). 
   
Foto:Divulgação/Agência Pará
 

Esse novo formato muda o conceito da produção do Festival e propõe, ainda, a diversificação temática abordada nos libretos das obras - em montagens tradicionais e contemporâneas - que serão selecionadas contemplando o drama, a ópera bufa, o verismo, temas políticos e infantis, entre outros.


O novo formato do Festival de Ópera - que em 2020 será realizado durante o ano todo - ampliará o campo de trabalho para todos os artistas e técnicos envolvidos nas produções. A seleção do elenco e do corpo técnico priorizou a valorização de artistas locais, que já alcançaram grau de excelência em montagens de ópera. Grandes nomes do cenário operístico nacional e internacional também participarão do XVIII Festival de Ópera, promovendo o intercâmbio de experiências e oferecendo ao público paraense espetáculos de elevado nível artístico.


Temporada


Serão produzidos três títulos consagrados do repertório operístico internacional: Il Matrimonio Segreto, do compositor Domenico Cimarosa (1749-1801); Suor Angelica, de Giacomo Puccini (1858–1924) e Amahl e os Visitantes da Noite, de Gian Carlo Menotti (1911–2007).


Abaixo, a ficha técnica de cada uma das óperas que serão encenadas nesta edição do Festival:


Il Matrimonio Segreto


Ópera em dois atos, ambientada em Bolonha (Itália), que narra a história de Geronimo, um comerciante que propõe um dote ao Conde Robinson para que ele se case com sua filha mais velha, Elisetta, e assim torne-se parte da nobreza. Robinson, contudo, apaixona-se por Carolina, a filha mais nova. Carolina, entretanto, está enamorada de Paolino, empregado de seu pai, e ambos se casam secretamente. A obra será encenada nos dias 06, 8 e 10 de setembro, no Theatro da Paz.


Suor Angelica


A jovem Angelica teve um filho fora do casamento, ato considerado imperdoável para a sociedade da época e sua família aristocrática, que decide enclausurá-la em um convento. Apesar de ter sido obrigada a ingressar na vida religiosa, Angelica conquista todas as irmãs com sua doçura e bondade. Torna-se uma especialista em ervas medicinais, com as quais cura as aflições de todas. Carrega o desejo de rever o filho, arrancado de seus braços ao nascer. A paz do convento é abalada com a chegada da Tia, que vem trazer a notícia da morte de seu filho, levando-a ao suicídio. A obra será encenada nos dias 21, 23 e 25 de outubro, na Igreja de Santo Alexandre.


Amahl e os Visitantes da Noite


Passa-se numa aldeia, dentro de uma cabana, onde mora uma criança deficiente e sua mãe, desesperançada pela pobreza. Seguindo a estrela, batem à porta os Três Reis Magos e um pajem, em busca de hospedagem. Os viajantes são acolhidos. Sabendo da notícia, os moradores da aldeia chegam para cantar e festejar. Depois, quando todos dormem, a mãe tenta se apossar das joias, presentes para o menino que vai nascer. O Pajem reage, mas o menino a defende. Os Reis explicam-lhe que a criança a quem procuram nada possui. Amahl, então, oferece sua bengala, e faz-se o milagre: Amahl é curado. Feliz, pede à mãe que o deixe seguir com os Reis Magos. A ópera será apresentada nos dias 17, 19 e 21 de dezembro, no Theatro da Paz e no Teatro Itinerante da Paz.


Formação


Para que a ação de formação se concretizasse, a Secult lançou edital para o "I Curso de Formação em Ópera", com o objetivo de selecionar profissionais que receberão capacitação necessária - musical e cênica - para que, ao final de quatro anos, estejam preparados com excelência para formar um corpo fixo de cantores líricos no Theatro da Paz.


Dos 52 candidatos inscritos no edital, 20 foram classificados. A avaliação foi baseada em critérios técnicos, estilísticos, performáticos e artísticos. Os candidatos aprovados receberão como prêmio a participação no Curso de Formação em Ópera e uma ajuda de custo, no valor de R$ 3.240,00, divididos em seis parcelas mensais.


Cantores líricos que participarão do I Curso de Formação em Ópera:


Classificados - Registro Vocal - Bairro
Hosana Souza Neves Ramos - Soprano - Guamá
Késia Andrade Soares Saraiva - Soprano - Cabanagem/Castanheira
Juliana Carvalho Kreling - Soprano - Batista Campos
José Idaías Gomes Sauto Júnior - Barítono - Terra Firme
Gertrude Elizabeth Ferreira de Melo - Soprano - Terra Firme
Mário Ícaro Ferreira da Silva - Tenor - Marituba
Dulcianne Ribeiro de Souza Lima - Soprano - Terra Firme
Alexsandro Souza de Brito - Tenor - Nazaré
Ione Carvalho da Silva - Soprano - PedreiraAdriane
Gabriele A. de Souza Leite - Soprano - Sacramenta
Ytanaã Moraes Figueiredo - Barítono - Nazaré
Rebeca da Silva Leitão - Soprano - Manaus (AM)
Marcos Antonio Vigário da Costa - Tenor - Terra Firme
Denise Dacier Lobato Aymoré Santos - Mezzo - Batista Campos
Hugo Harley Ferreira Barbosa - Tenor - Jurunas
João Carlos dos Santos Prata - Tenor - Val de Cans
Josué Silva Costa - Tenor - Santa Izabel do Pará
Andrew Jorge da Costa Lima - Tenor - Terra Firme
Milton José Athayde Monte - Barítono - Cremação
Edilana Maciel dos Santos Bastos (Lanna Bastos) - Soprano - Guamá


O curso terá 150 horas, distribuídas em sete oficinas, que já iniciam nesta quarta-feira (10):

Esgrima artística e combate de época - Afonso Galvão – 10 a 31/07

Oficina de Dança - Aline Dias – 24/07 a 09/08

Masterclass de Técnica Vocal - Ednéia de Oliveira – 12 a 14/08

Miguelangelo Cavalcanti – 19 a 23/08

Coaching Vocal - Gabriel Rhein-Schirato – Expressão Vocal e Interpretação Musical do Repertório

Operístico– 16 a 20/09


Oficina de Teatro


Alberto Silva – Dramaturgia pessoal do ator I – 28/10 a 22/11

Cláudio Barros – Dramaturgia pessoal do ator II – 25/11 a 20/12


Ação Concertos Líricos


Esta ação é composta de recitais de canto em diversos formatos: com a Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz, quarteto de cordas, cenas de ópera com piano e com o coro e a orquestra. A temporada 2019 terá os seguintes concertos:


Miguelangelo Cavalcanti (barítono) e OSTP - Theatro da Paz - Dia 15/08
Quarteto de Cordas - Carla Rincón - Villa Lobos - Theatro da Paz - Dia 01/09
Alunos do I Curso de Formação em Ópera - Encerramento da Oficina de Gabriel Rhein-Schirato - Theatro da Paz - Dia 20/09
Lanna Bastos (soprano) e OSTP - Theatro da Paz - Dia 31/10
Alunos do I Curso de Formação em Ópera e OSTP - Dia 07/11
Concerto Coro e OSTP - Theatro Itinerante - Dia 18/12


Ação Itinerância


O grande diferencial do novo formato do Festival de Ópera é a Ação Itinerância, que consiste em levar o Theatro da Paz para além de seus limites físicos, difundindo ainda mais a arte operística, atuando na criação de novas plateias e permitindo o acesso às políticas públicas de cultura.


Para a realização desta ação foi criado o Theatro Itinerante da Paz - uma carreta-palco com capacidade para comportar, simultaneamente, a OSTP, o coro e os solistas.


O TIP estará equipado com sistema completo de iluminação cênica e sistema de sonorização, para atender até 20 mil pessoas. Com gerador próprio e varas para três cenários distintos, possibilitará a montagem completa de óperas e espetáculos em diversos formatos, como concertos líricos com orquestra, óperas completas, cenas de ópera, highlights de ópera, óperas de bolso e concertos orquestrais.


Ação Teatro Musical


A Ação Teatro Musical vai proporcionar apresentações de obras deste gênero, a fim de fomentar o movimento crescente de produções de musicais no Estado, profissionalizando cantores e técnicos para atuação nesses espetáculos.


O Festival almeja - em suas futuras edições - oferecer oficinas, master classes e workshops para capacitação dos profissionais desta área, ofertando cursos de formação específica, bem como montagens completas de musicais.


Em novembro próximo será apresentado o espetáculo Árvores que Tocam, do compositor Thiago D'Albuquerque, com direção musical do maestro Vanildo Monteiro.


Variedades

Home > Cultura > null

Festival de Ópera do Theatro da Paz traz novidades para o público em sua 18ª edição

Em 2019, o Festival de Ópera deixará de ser uma mostra de ópera ao apresentar um modelo mais amplo e contínuo, distribuído ao longo de seis meses (de agosto a dezembro)

Divulgação

jornalismo@portalamazonia.com


Criado em 2002, o Festival de Ópera do Theatro da Paz tem o objetivo de apresentar montagens de óperas tradicionais no planeta, totalizando 42 produções montadas até 2018. Neste ano, o Theatro da Paz e a Igreja de Santo Alexandre serão os palcos do XVIII Festival de Ópera do Theatro da Paz, que envolverá cerca de 350 profissionais na montagem de três óperas.


Em 2019, o Festival de Ópera deixará de ser uma mostra de ópera ao apresentar um modelo mais amplo e contínuo, distribuído ao longo de seis meses (de agosto a dezembro), em cinco ações distintas: Temporada de Ópera, Formação, Temporada de Concertos, Teatro Musical e Itinerância, com o Teatro Itinerante da Paz (TIP). 
   
Foto:Divulgação/Agência Pará
 

Esse novo formato muda o conceito da produção do Festival e propõe, ainda, a diversificação temática abordada nos libretos das obras - em montagens tradicionais e contemporâneas - que serão selecionadas contemplando o drama, a ópera bufa, o verismo, temas políticos e infantis, entre outros.


O novo formato do Festival de Ópera - que em 2020 será realizado durante o ano todo - ampliará o campo de trabalho para todos os artistas e técnicos envolvidos nas produções. A seleção do elenco e do corpo técnico priorizou a valorização de artistas locais, que já alcançaram grau de excelência em montagens de ópera. Grandes nomes do cenário operístico nacional e internacional também participarão do XVIII Festival de Ópera, promovendo o intercâmbio de experiências e oferecendo ao público paraense espetáculos de elevado nível artístico.


Temporada


Serão produzidos três títulos consagrados do repertório operístico internacional: Il Matrimonio Segreto, do compositor Domenico Cimarosa (1749-1801); Suor Angelica, de Giacomo Puccini (1858–1924) e Amahl e os Visitantes da Noite, de Gian Carlo Menotti (1911–2007).


Abaixo, a ficha técnica de cada uma das óperas que serão encenadas nesta edição do Festival:


Il Matrimonio Segreto


Ópera em dois atos, ambientada em Bolonha (Itália), que narra a história de Geronimo, um comerciante que propõe um dote ao Conde Robinson para que ele se case com sua filha mais velha, Elisetta, e assim torne-se parte da nobreza. Robinson, contudo, apaixona-se por Carolina, a filha mais nova. Carolina, entretanto, está enamorada de Paolino, empregado de seu pai, e ambos se casam secretamente. A obra será encenada nos dias 06, 8 e 10 de setembro, no Theatro da Paz.


Suor Angelica


A jovem Angelica teve um filho fora do casamento, ato considerado imperdoável para a sociedade da época e sua família aristocrática, que decide enclausurá-la em um convento. Apesar de ter sido obrigada a ingressar na vida religiosa, Angelica conquista todas as irmãs com sua doçura e bondade. Torna-se uma especialista em ervas medicinais, com as quais cura as aflições de todas. Carrega o desejo de rever o filho, arrancado de seus braços ao nascer. A paz do convento é abalada com a chegada da Tia, que vem trazer a notícia da morte de seu filho, levando-a ao suicídio. A obra será encenada nos dias 21, 23 e 25 de outubro, na Igreja de Santo Alexandre.


Amahl e os Visitantes da Noite


Passa-se numa aldeia, dentro de uma cabana, onde mora uma criança deficiente e sua mãe, desesperançada pela pobreza. Seguindo a estrela, batem à porta os Três Reis Magos e um pajem, em busca de hospedagem. Os viajantes são acolhidos. Sabendo da notícia, os moradores da aldeia chegam para cantar e festejar. Depois, quando todos dormem, a mãe tenta se apossar das joias, presentes para o menino que vai nascer. O Pajem reage, mas o menino a defende. Os Reis explicam-lhe que a criança a quem procuram nada possui. Amahl, então, oferece sua bengala, e faz-se o milagre: Amahl é curado. Feliz, pede à mãe que o deixe seguir com os Reis Magos. A ópera será apresentada nos dias 17, 19 e 21 de dezembro, no Theatro da Paz e no Teatro Itinerante da Paz.


Formação


Para que a ação de formação se concretizasse, a Secult lançou edital para o "I Curso de Formação em Ópera", com o objetivo de selecionar profissionais que receberão capacitação necessária - musical e cênica - para que, ao final de quatro anos, estejam preparados com excelência para formar um corpo fixo de cantores líricos no Theatro da Paz.


Dos 52 candidatos inscritos no edital, 20 foram classificados. A avaliação foi baseada em critérios técnicos, estilísticos, performáticos e artísticos. Os candidatos aprovados receberão como prêmio a participação no Curso de Formação em Ópera e uma ajuda de custo, no valor de R$ 3.240,00, divididos em seis parcelas mensais.


Cantores líricos que participarão do I Curso de Formação em Ópera:


Classificados - Registro Vocal - Bairro
Hosana Souza Neves Ramos - Soprano - Guamá
Késia Andrade Soares Saraiva - Soprano - Cabanagem/Castanheira
Juliana Carvalho Kreling - Soprano - Batista Campos
José Idaías Gomes Sauto Júnior - Barítono - Terra Firme
Gertrude Elizabeth Ferreira de Melo - Soprano - Terra Firme
Mário Ícaro Ferreira da Silva - Tenor - Marituba
Dulcianne Ribeiro de Souza Lima - Soprano - Terra Firme
Alexsandro Souza de Brito - Tenor - Nazaré
Ione Carvalho da Silva - Soprano - PedreiraAdriane
Gabriele A. de Souza Leite - Soprano - Sacramenta
Ytanaã Moraes Figueiredo - Barítono - Nazaré
Rebeca da Silva Leitão - Soprano - Manaus (AM)
Marcos Antonio Vigário da Costa - Tenor - Terra Firme
Denise Dacier Lobato Aymoré Santos - Mezzo - Batista Campos
Hugo Harley Ferreira Barbosa - Tenor - Jurunas
João Carlos dos Santos Prata - Tenor - Val de Cans
Josué Silva Costa - Tenor - Santa Izabel do Pará
Andrew Jorge da Costa Lima - Tenor - Terra Firme
Milton José Athayde Monte - Barítono - Cremação
Edilana Maciel dos Santos Bastos (Lanna Bastos) - Soprano - Guamá


O curso terá 150 horas, distribuídas em sete oficinas, que já iniciam nesta quarta-feira (10):

Esgrima artística e combate de época - Afonso Galvão – 10 a 31/07

Oficina de Dança - Aline Dias – 24/07 a 09/08

Masterclass de Técnica Vocal - Ednéia de Oliveira – 12 a 14/08

Miguelangelo Cavalcanti – 19 a 23/08

Coaching Vocal - Gabriel Rhein-Schirato – Expressão Vocal e Interpretação Musical do Repertório

Operístico– 16 a 20/09


Oficina de Teatro


Alberto Silva – Dramaturgia pessoal do ator I – 28/10 a 22/11

Cláudio Barros – Dramaturgia pessoal do ator II – 25/11 a 20/12


Ação Concertos Líricos


Esta ação é composta de recitais de canto em diversos formatos: com a Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz, quarteto de cordas, cenas de ópera com piano e com o coro e a orquestra. A temporada 2019 terá os seguintes concertos:


Miguelangelo Cavalcanti (barítono) e OSTP - Theatro da Paz - Dia 15/08
Quarteto de Cordas - Carla Rincón - Villa Lobos - Theatro da Paz - Dia 01/09
Alunos do I Curso de Formação em Ópera - Encerramento da Oficina de Gabriel Rhein-Schirato - Theatro da Paz - Dia 20/09
Lanna Bastos (soprano) e OSTP - Theatro da Paz - Dia 31/10
Alunos do I Curso de Formação em Ópera e OSTP - Dia 07/11
Concerto Coro e OSTP - Theatro Itinerante - Dia 18/12


Ação Itinerância


O grande diferencial do novo formato do Festival de Ópera é a Ação Itinerância, que consiste em levar o Theatro da Paz para além de seus limites físicos, difundindo ainda mais a arte operística, atuando na criação de novas plateias e permitindo o acesso às políticas públicas de cultura.


Para a realização desta ação foi criado o Theatro Itinerante da Paz - uma carreta-palco com capacidade para comportar, simultaneamente, a OSTP, o coro e os solistas.


O TIP estará equipado com sistema completo de iluminação cênica e sistema de sonorização, para atender até 20 mil pessoas. Com gerador próprio e varas para três cenários distintos, possibilitará a montagem completa de óperas e espetáculos em diversos formatos, como concertos líricos com orquestra, óperas completas, cenas de ópera, highlights de ópera, óperas de bolso e concertos orquestrais.


Ação Teatro Musical


A Ação Teatro Musical vai proporcionar apresentações de obras deste gênero, a fim de fomentar o movimento crescente de produções de musicais no Estado, profissionalizando cantores e técnicos para atuação nesses espetáculos.


O Festival almeja - em suas futuras edições - oferecer oficinas, master classes e workshops para capacitação dos profissionais desta área, ofertando cursos de formação específica, bem como montagens completas de musicais.


Em novembro próximo será apresentado o espetáculo Árvores que Tocam, do compositor Thiago D'Albuquerque, com direção musical do maestro Vanildo Monteiro.

TAG belemfestival de opera