Agenda

Show celebra 60 anos da Bossa Nova no Teatro Amazonas

Lucilene, Elias e Márcia vão assumir os vocais e serão acompanhados pela Orquestra de Câmara do Amazonas.


       
Foto: Divulgação/Lucilene Castro 
 
Lucilene Castro, Elias Moreira e Márcia Siqueira se juntam à Orquestra de Câmara do Amazonas para uma homenagem aos 60 anos da Bossa Nova. O show acontece nos dias 16 e 17 de novembro, sexta e sábado, no Teatro Amazonas (Largo de São Sebastião, s/n, Centro), às 20h.

Os ingressos já estão à venda, nos preços de R$ 50 (inteira/plateia/frisa e 1º pavimento), R$ 30 (inteira/2º pavimento) e R$ 20 (inteira/3º pavimento), e estão disponíveis na bilheteria do teatro ou nos pontos de vendas físicos da Alô Ingressos nos shopping Amazonas, Manauara, Sumaúma e Via Norte.

Lucilene, Elias e Márcia vão assumir os vocais e serão acompanhados pela Orquestra de Câmara do Amazonas, que será regida pelo maestro Marcelo de Jesus, contando ainda com músicos convidados: Sérvio Túlio no contrabaixo, Paulo Marinho no piano, Aldenor Honorato e Aécio Bezerra dividindo o sax e flauta, e, na bateria, Airton Silva.

O show, que celebra a bodas de diamante do estilo musical que ganhou o mundo em meados da década de 50, terá arranjos especiais escritos por Paulo Marinho e Aécio Bezerra e tem produção executiva de Mari Vilhena, com realização da ON Produção Cultural.

Os grandes clássicos da bossa nova estão no repertório, como “Chega de Saudades”, “Garota de Ipanema” e “Wave”, e grandes músicas compostas principalmente por Tom Jobim. Além de sucessos, o show terá ainda algumas interpretações de canções que influenciados pela “sessentona”, como “Lusis”, do cantor e compositor amazonense Cileno, e ainda, “Faz Parte do Meu Show”, canção de sucesso do cantor Cazuza.

Outras composições que ganharam releituras contemporâneas estão na lista de músicas do show, como “Rock With You”, famosa canção na voz de Michael Jackson, e “The Look of Love”, de Eric Clapton.

Movimento descompromissado

Nascida na década de 1950, a Bossa Nova ganhou o mundo há 60 anos, com composições como “Chega de Saudade” e “Garota de Ipanema”. O nome da praia foi cantado por vozes consagradas, dos compositores Vinícius de Moraes e Tom Jobim ao lendário Frank Sinatra.

Movimento que ficou associado ao crescimento urbano brasileiro – impulsionado pela fase desenvolvimentista da presidência de Juscelino Kubitschek (1955-1960) -, a bossa nova se iniciou, para muitos críticos, quando foi lançado, em agosto de 1958, um compacto simples do violonista baiano João Gilberto, contendo as canções “Chega de Saudade”, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, e “Bim Bom”, do próprio cantor.

O movimento da Bossa Nova durou pouco mais de uma década e terminou em 1966. Entretanto, seu valor artístico e cultural foi considerado pelo novo estilo que surgia no Brasil, a MPB, Música Popular Brasileira. Importante ressaltar que o término do movimento não significou o fim da criação musical da Bossa Nova, uma vez que muitos compositores e músicos atualmente buscam unir os tons melódicos e o samba brasileiro, como Roberto Menescal, Carlos Lyra, Wanda Sá, Joyce Moreno.

Serviço O quê: Show “Bossa Nova – 60 anos”, com Lucilene Castro, Elias Moreira e Márcia Siqueira Quando: 16 e 17 de novembro (sexta e sábado), às 20h Onde: Teatro Amazonas – Largo de São Sebastião, s/n, Centro Quanto: R$ 50 (inteira/plateia/frisa e 1º pavimento); R$ 30 (inteira/2º pavimento); R$ 20 (inteira/3º pavimento) Pontos de venda: Estandes da Alô Ingressos (Shoppings Manauara, Amazonas, Sumaúma e Via Norte) e Opens external link in new windowsite Informações: (92) 99277-3441

Agenda

Home > Cultura > null

Show celebra 60 anos da Bossa Nova no Teatro Amazonas

Lucilene, Elias e Márcia vão assumir os vocais e serão acompanhados pela Orquestra de Câmara do Amazonas.

Redação

jornalismo@portalamazonia.com


       
Foto: Divulgação/Lucilene Castro 
 
Lucilene Castro, Elias Moreira e Márcia Siqueira se juntam à Orquestra de Câmara do Amazonas para uma homenagem aos 60 anos da Bossa Nova. O show acontece nos dias 16 e 17 de novembro, sexta e sábado, no Teatro Amazonas (Largo de São Sebastião, s/n, Centro), às 20h.

Os ingressos já estão à venda, nos preços de R$ 50 (inteira/plateia/frisa e 1º pavimento), R$ 30 (inteira/2º pavimento) e R$ 20 (inteira/3º pavimento), e estão disponíveis na bilheteria do teatro ou nos pontos de vendas físicos da Alô Ingressos nos shopping Amazonas, Manauara, Sumaúma e Via Norte.

Lucilene, Elias e Márcia vão assumir os vocais e serão acompanhados pela Orquestra de Câmara do Amazonas, que será regida pelo maestro Marcelo de Jesus, contando ainda com músicos convidados: Sérvio Túlio no contrabaixo, Paulo Marinho no piano, Aldenor Honorato e Aécio Bezerra dividindo o sax e flauta, e, na bateria, Airton Silva.

O show, que celebra a bodas de diamante do estilo musical que ganhou o mundo em meados da década de 50, terá arranjos especiais escritos por Paulo Marinho e Aécio Bezerra e tem produção executiva de Mari Vilhena, com realização da ON Produção Cultural.

Os grandes clássicos da bossa nova estão no repertório, como “Chega de Saudades”, “Garota de Ipanema” e “Wave”, e grandes músicas compostas principalmente por Tom Jobim. Além de sucessos, o show terá ainda algumas interpretações de canções que influenciados pela “sessentona”, como “Lusis”, do cantor e compositor amazonense Cileno, e ainda, “Faz Parte do Meu Show”, canção de sucesso do cantor Cazuza.

Outras composições que ganharam releituras contemporâneas estão na lista de músicas do show, como “Rock With You”, famosa canção na voz de Michael Jackson, e “The Look of Love”, de Eric Clapton.

Movimento descompromissado

Nascida na década de 1950, a Bossa Nova ganhou o mundo há 60 anos, com composições como “Chega de Saudade” e “Garota de Ipanema”. O nome da praia foi cantado por vozes consagradas, dos compositores Vinícius de Moraes e Tom Jobim ao lendário Frank Sinatra.

Movimento que ficou associado ao crescimento urbano brasileiro – impulsionado pela fase desenvolvimentista da presidência de Juscelino Kubitschek (1955-1960) -, a bossa nova se iniciou, para muitos críticos, quando foi lançado, em agosto de 1958, um compacto simples do violonista baiano João Gilberto, contendo as canções “Chega de Saudade”, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, e “Bim Bom”, do próprio cantor.

O movimento da Bossa Nova durou pouco mais de uma década e terminou em 1966. Entretanto, seu valor artístico e cultural foi considerado pelo novo estilo que surgia no Brasil, a MPB, Música Popular Brasileira. Importante ressaltar que o término do movimento não significou o fim da criação musical da Bossa Nova, uma vez que muitos compositores e músicos atualmente buscam unir os tons melódicos e o samba brasileiro, como Roberto Menescal, Carlos Lyra, Wanda Sá, Joyce Moreno.

Serviço O quê: Show “Bossa Nova – 60 anos”, com Lucilene Castro, Elias Moreira e Márcia Siqueira Quando: 16 e 17 de novembro (sexta e sábado), às 20h Onde: Teatro Amazonas – Largo de São Sebastião, s/n, Centro Quanto: R$ 50 (inteira/plateia/frisa e 1º pavimento); R$ 30 (inteira/2º pavimento); R$ 20 (inteira/3º pavimento) Pontos de venda: Estandes da Alô Ingressos (Shoppings Manauara, Amazonas, Sumaúma e Via Norte) e Opens external link in new windowsite Informações: (92) 99277-3441

TAG manausamazonasshowTeatro Amazonas