Arte

Quadrinho 'Forasteiros da Amazônia' tem sessão de autógrafos em Manaus

Desenhistas de renome internacional venderão prints de suas artes e ainda entregarão aos visitantes sketch cards feitos na hora

Emyle Araújo


MANAUS - O grupo de desenhistas da House 137 promove, no próximo dia 30 de janeiro, a segunda sessão de autógrafos da exposição de histórias de quadrinhos 'Forasteiros da Amazônia'. Em cartaz no Museu Paço da Liberdade, a exposição está aberta ao público de segunda-feira a sábado, das 9h às 16h30, com entrada gratuita.

Paulo Teles, um dos organizadores da exposição, explica que a abertura da nova sessão de autógrafos, surgiu a partir da solicitação dos próprios fãs de quadrinhos. Durante o bate-papo com o público, os desenhistas de renome internacional venderão prints (impressos) de suas artes e ainda entregarão aos visitantes sketch cards feitos na hora.

"Teremos obras diversas, dentre as quais destacam-se nossos principais trabalhos para Marvel, DC, Dynamite, independentes e muitas artes de acervos pessoais dos próprios artistas.Teremos ainda quatro obras dos nossos artistas convidados, Carlos Furuzono, Ronilson Freire, Manuel Preitano e Catherine Koht" afirma um dos organizadores.

Além de Paulo, também estarão na sessão Jucylande Junior ('Avengers 2', 'Ant Man', 'Hyper Comix'), Emanuel Braga ('Ant Man', 'Chakra'), Diego Mendes ('El Santo') e Janilson Cardoso ('Van Helsing', 'Women of Marvel'). "A ideia é abrir oportunidade para quem não pôde ir da primeira vez, que agora compareça. Os que foram também podem ir novamente nos prestigiar", comenta o  artista.
Foto: Divulgação

Estilo que faz sucesso na hora de definir o próprio traço, Paulo destaca que tem várias influências em cada aspecto do seu estilo. "Gosto de dizer que peguei bastante dos artistas que mais admiro, como a força de Joe Madureira, a elegância de Chris Bachalo, a graciosidade de Alessandro Barbucci e, principalmente a narrativa fenomenal de Will Eisner, o pai dos quadrinhos. Além de toda essa gama de artistas, o movimento Art Nouvéau também é muito presente nas linhas e formas que uso".Mercado de quadrinhos

"Recentemente tive conversas com artistas, autores e editores nacionais que me expressaram opiniões interessantes, fora o fato de que testemunhei, em eventos como o FIQ (Festival Internacional de Quadrinhos) em BH e CCXP (Comic Con Experience) em SP, o quanto o mercado independente brasileiro está crescendo”, diz o artista.

De acordo com ele, são muitos os  autores que estão produzindo e publicando por conta própria, e destaca o papel facilitador que as editoras nacionais têm assumido. "Posso estar enganado, mas suspeito (isso é uma opinião pessoal) que devido à crise, as editoras deram uma freada nos títulos licenciados devido à alta do dólar e resolveram apostar no que é mais 'barato', e finalmente se atentaram à qualidade dos quadrinhos nacionais", arrisca.Artistas internacionais

A mostra iniciou no dia 14 de dezembro de 2015 e deve permanecer em cartaz até meados de fevereiro de 2016. As artes expostas serão periodicamente trocadas, com o objetivo de manter a exposição sempre com novidades, com diversas faces do trabalho do House 137. Ao todo, mais de cem desenhos serão expostos. Além disso, quatro artistas internacionais convidados pelo grupo também terão suas obras expostas no Paço da Liberdade.

"A curto prazo queremos lançar um de nossos próprios títulos independentes, via crowdfunding, junto a editoras nacionais e/ou internacionais, graças a meus contatos no exterior, e publicá-lo como uma série regular com destaque para artistas famosos do mercado internacional em nossas capas principais", avisa Teles.

A médio prazo, o objetivo é promover o próprio estúdio em exposições, palestras e oficinas em eventos em Manaus e no Brasil. Pensando mais no futuro, o desejo é transformar a capital amazonense em um polo de criação de quadrinhos, com artistas que trabalham tanto para o mercado nacional e internacional.

Arte

Home > Cultura > null

Quadrinho 'Forasteiros da Amazônia' tem sessão de autógrafos em Manaus

Desenhistas de renome internacional venderão prints de suas artes e ainda entregarão aos visitantes sketch cards feitos na hora

Emyle Araújo


MANAUS - O grupo de desenhistas da House 137 promove, no próximo dia 30 de janeiro, a segunda sessão de autógrafos da exposição de histórias de quadrinhos 'Forasteiros da Amazônia'. Em cartaz no Museu Paço da Liberdade, a exposição está aberta ao público de segunda-feira a sábado, das 9h às 16h30, com entrada gratuita.

Paulo Teles, um dos organizadores da exposição, explica que a abertura da nova sessão de autógrafos, surgiu a partir da solicitação dos próprios fãs de quadrinhos. Durante o bate-papo com o público, os desenhistas de renome internacional venderão prints (impressos) de suas artes e ainda entregarão aos visitantes sketch cards feitos na hora.

"Teremos obras diversas, dentre as quais destacam-se nossos principais trabalhos para Marvel, DC, Dynamite, independentes e muitas artes de acervos pessoais dos próprios artistas.Teremos ainda quatro obras dos nossos artistas convidados, Carlos Furuzono, Ronilson Freire, Manuel Preitano e Catherine Koht" afirma um dos organizadores.

Além de Paulo, também estarão na sessão Jucylande Junior ('Avengers 2', 'Ant Man', 'Hyper Comix'), Emanuel Braga ('Ant Man', 'Chakra'), Diego Mendes ('El Santo') e Janilson Cardoso ('Van Helsing', 'Women of Marvel'). "A ideia é abrir oportunidade para quem não pôde ir da primeira vez, que agora compareça. Os que foram também podem ir novamente nos prestigiar", comenta o  artista.
Foto: Divulgação

Estilo que faz sucesso na hora de definir o próprio traço, Paulo destaca que tem várias influências em cada aspecto do seu estilo. "Gosto de dizer que peguei bastante dos artistas que mais admiro, como a força de Joe Madureira, a elegância de Chris Bachalo, a graciosidade de Alessandro Barbucci e, principalmente a narrativa fenomenal de Will Eisner, o pai dos quadrinhos. Além de toda essa gama de artistas, o movimento Art Nouvéau também é muito presente nas linhas e formas que uso".Mercado de quadrinhos

"Recentemente tive conversas com artistas, autores e editores nacionais que me expressaram opiniões interessantes, fora o fato de que testemunhei, em eventos como o FIQ (Festival Internacional de Quadrinhos) em BH e CCXP (Comic Con Experience) em SP, o quanto o mercado independente brasileiro está crescendo”, diz o artista.

De acordo com ele, são muitos os  autores que estão produzindo e publicando por conta própria, e destaca o papel facilitador que as editoras nacionais têm assumido. "Posso estar enganado, mas suspeito (isso é uma opinião pessoal) que devido à crise, as editoras deram uma freada nos títulos licenciados devido à alta do dólar e resolveram apostar no que é mais 'barato', e finalmente se atentaram à qualidade dos quadrinhos nacionais", arrisca.Artistas internacionais

A mostra iniciou no dia 14 de dezembro de 2015 e deve permanecer em cartaz até meados de fevereiro de 2016. As artes expostas serão periodicamente trocadas, com o objetivo de manter a exposição sempre com novidades, com diversas faces do trabalho do House 137. Ao todo, mais de cem desenhos serão expostos. Além disso, quatro artistas internacionais convidados pelo grupo também terão suas obras expostas no Paço da Liberdade.

"A curto prazo queremos lançar um de nossos próprios títulos independentes, via crowdfunding, junto a editoras nacionais e/ou internacionais, graças a meus contatos no exterior, e publicá-lo como uma série regular com destaque para artistas famosos do mercado internacional em nossas capas principais", avisa Teles.

A médio prazo, o objetivo é promover o próprio estúdio em exposições, palestras e oficinas em eventos em Manaus e no Brasil. Pensando mais no futuro, o desejo é transformar a capital amazonense em um polo de criação de quadrinhos, com artistas que trabalham tanto para o mercado nacional e internacional.

TAG