Turismo

Projeto leva aventureiros para caminhar em floresta do Amazonas

Travessia de Fátima acontecerá na comunidade Nossa Senhora de Fátima, às margens do Tarumã

Evaldo Ferreira

eferreira@jcam.com.br


 

 

 


Quem estiver a fim de caminhar, por cerca de cinco horas, suar muito com o calor amazônico, mas tudo isso em meio a uma floresta nativa, cercado pela sombra das árvores e supervisionado por especialistas, uma dica é a Travessia para Fátima, que acontecerá no neste domingo (18), com partida da Marina do Davi, atrás do Tropical Hotel, às 7h, e retorno para o mesmo local. Os participantes irão embarcar em lanchas rumando para a comunidade e a partir de lá começará a marcha, com paradas estratégicas para descanso.

Um roteiro mais explicado é dado pelo organizador da marcha, Kleist Mendonça. "A comunidade de N. Sra. de Fátima está localizada no rio Tarumã Mirim, há 30 minutos da marina. Chegando lá, começaremos uma marcha de 15 km pela selva, onde os participantes farão o percurso dentro de trilhas de floresta ou mata primária, e transporão relevos naturais, pequenos igarapés e floresta inundada. Realmente é uma aventura, porém, revestida de toda a segurança para os participantes", falou Mendonça que é professor da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e graduado em Educação Física.

 

 

 

 

Foto: Diego Oliveira/Portal Amazônia

 


Kleist é figura conhecida entre os atletas de esportes de aventura, pois já os realiza há 20 anos em Manaus. "Nossos eventos são eminentemente esportes de natureza ambiental, onde existe competição, classificação e performance. O que acontece é que, devido ao ambiente em que se desenvolve, recebe a classificação errônea de radical, mas sua correta denominação é esportes de aventura", explicou.

O professor tem orgulho de dizer que foi o criador dos esportes de aventura no Amazonas. Em 1989, introduziu no Estado a prática geral da Orientação (esporte em que o competidor precisa descobrir sua trilha através de mapas e bússolas), e em 1996, organizou o 1° Circuito Amazonense de Orientação, hoje Campeonato de Orientação no Amazonas, já em sua 20ª edição, além das Corridas Off Road (através de trilhas). 

Em 2001, realizou a 1ª Corrida de Aventuras do Amazonas, o Jungle Man, em parceria com o Cigs (Centro de Instrução de Guerra na Selva). Tudo em meio à floresta. Desde 1998, quando foi criado o Campeonato Brasileiro de Orientação, Kleist participa das provas. "Em 20 anos realizamos uma média de dez eventos esportivos por ano, totalizando uns 200 dentro da floresta amazônica. Penso ser a maior incidência de eventos esportivos do mundo dentro de um ambiente de floresta", disse.

As ilhas verdes que ainda resistem na capital e as floretas da  Região Metgropolitana de Manaus (RMM) e múnicipios criam um ambiente favorável à prática do esporte, diz Mendonça. "Com certeza percorremos todos os locais de floresta natural de Manaus e arredores: Campus da Ufam, Reserva Ducke, matas da Ponta Negra, Ulbra, CMA, Cirmman, 1° BIS, área verde do Parque do Mindú, Parque dos Bilhares, Bosque da Ciência, bacias fluviais do Tarumã Açu e Mirim, Puraquequara, florestas do entorno de Tefé, Rio Preto da Eva, Parintins e Tabatinga. Teve floresta, estamos lá com nossos esportes", garantiu.

Tão numerosos quanto os locais de provas, são os treinos. "Este ano já realizamos seis Treinões, tipo a Travessia de Fátima, que iremos fazer no domingo. Também já aconteceram duas corridas Jungle Girl, em março (somente para mulheres), e a 1ª Corrida de Obstáculos Jungle Man, em abril", listou. Desde que não haja nenhuma restrição, qualquer pessoa de qualquer idade pode fazer uma caminhada. Para isso, basta usar uma roupa e um calçado confortável, de preferência um par de tênis que seja adequado ao seu tipo de pisada. Além dos benefícios para a saúde, que contribuem para a longevidade, pesquisas mostram que essa atividade física combate a depressão.

E de longevidade e pique, o organizador entende. Aos 54 anos e pai de três filhos, Kleist, Lívia e Bianca, todos atletas, Mendonça não troca a sua saúde pela de nenhum jovem. 

Especializado em Treino Desportivo e com mestrado em biomecânica, o professor e atleta, aconselha. "O esporte é uma manifestação cultural e social de menor custo ao praticante e de retorno imediato e a longo prazo, onde estes benefícios são projetados tanto no corpo quanto na sociedade em torno dos que o praticam. Praticar esportes é a forma mais barata e eficaz de formar cidadãos aptos a serem bem sucedidos socialmente", finaliza.


Turismo

Projeto leva aventureiros para caminhar em floresta do Amazonas

Travessia de Fátima acontecerá na comunidade Nossa Senhora de Fátima, às margens do Tarumã

Evaldo Ferreira

eferreira@jcam.com.br


 

 

 


Quem estiver a fim de caminhar, por cerca de cinco horas, suar muito com o calor amazônico, mas tudo isso em meio a uma floresta nativa, cercado pela sombra das árvores e supervisionado por especialistas, uma dica é a Travessia para Fátima, que acontecerá no neste domingo (18), com partida da Marina do Davi, atrás do Tropical Hotel, às 7h, e retorno para o mesmo local. Os participantes irão embarcar em lanchas rumando para a comunidade e a partir de lá começará a marcha, com paradas estratégicas para descanso.

Um roteiro mais explicado é dado pelo organizador da marcha, Kleist Mendonça. "A comunidade de N. Sra. de Fátima está localizada no rio Tarumã Mirim, há 30 minutos da marina. Chegando lá, começaremos uma marcha de 15 km pela selva, onde os participantes farão o percurso dentro de trilhas de floresta ou mata primária, e transporão relevos naturais, pequenos igarapés e floresta inundada. Realmente é uma aventura, porém, revestida de toda a segurança para os participantes", falou Mendonça que é professor da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e graduado em Educação Física.

 

 

 

 

Foto: Diego Oliveira/Portal Amazônia

 


Kleist é figura conhecida entre os atletas de esportes de aventura, pois já os realiza há 20 anos em Manaus. "Nossos eventos são eminentemente esportes de natureza ambiental, onde existe competição, classificação e performance. O que acontece é que, devido ao ambiente em que se desenvolve, recebe a classificação errônea de radical, mas sua correta denominação é esportes de aventura", explicou.

O professor tem orgulho de dizer que foi o criador dos esportes de aventura no Amazonas. Em 1989, introduziu no Estado a prática geral da Orientação (esporte em que o competidor precisa descobrir sua trilha através de mapas e bússolas), e em 1996, organizou o 1° Circuito Amazonense de Orientação, hoje Campeonato de Orientação no Amazonas, já em sua 20ª edição, além das Corridas Off Road (através de trilhas). 

Em 2001, realizou a 1ª Corrida de Aventuras do Amazonas, o Jungle Man, em parceria com o Cigs (Centro de Instrução de Guerra na Selva). Tudo em meio à floresta. Desde 1998, quando foi criado o Campeonato Brasileiro de Orientação, Kleist participa das provas. "Em 20 anos realizamos uma média de dez eventos esportivos por ano, totalizando uns 200 dentro da floresta amazônica. Penso ser a maior incidência de eventos esportivos do mundo dentro de um ambiente de floresta", disse.

As ilhas verdes que ainda resistem na capital e as floretas da  Região Metgropolitana de Manaus (RMM) e múnicipios criam um ambiente favorável à prática do esporte, diz Mendonça. "Com certeza percorremos todos os locais de floresta natural de Manaus e arredores: Campus da Ufam, Reserva Ducke, matas da Ponta Negra, Ulbra, CMA, Cirmman, 1° BIS, área verde do Parque do Mindú, Parque dos Bilhares, Bosque da Ciência, bacias fluviais do Tarumã Açu e Mirim, Puraquequara, florestas do entorno de Tefé, Rio Preto da Eva, Parintins e Tabatinga. Teve floresta, estamos lá com nossos esportes", garantiu.

Tão numerosos quanto os locais de provas, são os treinos. "Este ano já realizamos seis Treinões, tipo a Travessia de Fátima, que iremos fazer no domingo. Também já aconteceram duas corridas Jungle Girl, em março (somente para mulheres), e a 1ª Corrida de Obstáculos Jungle Man, em abril", listou. Desde que não haja nenhuma restrição, qualquer pessoa de qualquer idade pode fazer uma caminhada. Para isso, basta usar uma roupa e um calçado confortável, de preferência um par de tênis que seja adequado ao seu tipo de pisada. Além dos benefícios para a saúde, que contribuem para a longevidade, pesquisas mostram que essa atividade física combate a depressão.

E de longevidade e pique, o organizador entende. Aos 54 anos e pai de três filhos, Kleist, Lívia e Bianca, todos atletas, Mendonça não troca a sua saúde pela de nenhum jovem. 

Especializado em Treino Desportivo e com mestrado em biomecânica, o professor e atleta, aconselha. "O esporte é uma manifestação cultural e social de menor custo ao praticante e de retorno imediato e a longo prazo, onde estes benefícios são projetados tanto no corpo quanto na sociedade em torno dos que o praticam. Praticar esportes é a forma mais barata e eficaz de formar cidadãos aptos a serem bem sucedidos socialmente", finaliza.

TAG ManausAmazonastrilhafloresta