Publicidade

Arte

Plumária indígena atrai visitantes no Museu de Arte do Rio de Janeiro

A exposição é assinada por Luis Carlos Antonelli, Paulo Herkenhoff e Solange Godoy


O Museu do Índio/Funai exibe parte do seu acervo de plumária na exposição 'Leopoldina, a princesa da Independência, das artes e da ciência' no Museu de Arte do Rio (MAR). São 17 peças que ilustram a produção cultural dos povos indígenas brasileiros visitados pela expedição científica de Carl von Martius e Johann Baptiste von Spix.
As peças estão na exposição 'Leopoldina'. Foto: Divulgação
Os naturalistas participaram da Missão Científica Austro-Alemã, entre os anos de 1817 e 1820, no período da Independência. A missão enviada pelos reinos da Áustria e da Baviera tinha como finalidade acompanhar a princesa Leopoldina ao Brasil para se casar com o futuro imperador D. Pedro I. Von Martius e Spix estudaram e documentaram diversas línguas indígenas do País, demonstrando interesse pelo conhecimento desses povos.
A exposição, assinada por Luis Carlos Antonelli, Paulo Herkenhoff e Solange Godoy, sob a curadoria adjunta de Pieter Tjabbes, vem atraindo variados tipos de público. Outras instituições também participam da mostra, entre elas o Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE/USP) e Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB).

Arte

Home > Cultura > null

Plumária indígena atrai visitantes no Museu de Arte do Rio de Janeiro

A exposição é assinada por Luis Carlos Antonelli, Paulo Herkenhoff e Solange Godoy

Redação

jornalismo@portalamazonia.com


O Museu do Índio/Funai exibe parte do seu acervo de plumária na exposição 'Leopoldina, a princesa da Independência, das artes e da ciência' no Museu de Arte do Rio (MAR). São 17 peças que ilustram a produção cultural dos povos indígenas brasileiros visitados pela expedição científica de Carl von Martius e Johann Baptiste von Spix.
As peças estão na exposição 'Leopoldina'. Foto: Divulgação
Os naturalistas participaram da Missão Científica Austro-Alemã, entre os anos de 1817 e 1820, no período da Independência. A missão enviada pelos reinos da Áustria e da Baviera tinha como finalidade acompanhar a princesa Leopoldina ao Brasil para se casar com o futuro imperador D. Pedro I. Von Martius e Spix estudaram e documentaram diversas línguas indígenas do País, demonstrando interesse pelo conhecimento desses povos.
A exposição, assinada por Luis Carlos Antonelli, Paulo Herkenhoff e Solange Godoy, sob a curadoria adjunta de Pieter Tjabbes, vem atraindo variados tipos de público. Outras instituições também participam da mostra, entre elas o Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE/USP) e Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB).

TAG exposiçãoarteplumaria indígenaAmazônia