Publicidade

Música

Home > Cultura > null

Orquestra do Theatro da Paz homenageia 150 anos do Museu Goeldi em Belém

Museu Paraense Emílio Goeldi completou 150 anos dia 6 de outubro

Portal Amazônia, com informações da Agência Pará

jornalismo@portalamazonia.com


       
Foto: Carlos Sodré/Agência Pará 
 
A Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz (OSTP) fará homenagem aos 150 anos do Museu Paraense Emílio Goeldi, que fez aniversário no dia 6 de outubro, nesta quinta-feira (27). A homenagem é uma iniciativa do Governo do Estado do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult). Os ingressos poderão ser retirados gratuitamente na bilheteria do teatro a partir das 9h. Cada espectador pode retirar até dois ingressos. Com regência de Miguel Campos Neto e participação da solista Kézia Andrade (soprano), a “Celebração do Sesquicentenário do Museu Paraense Emílio Goeldi” inicia às 20h e terá 1h30 de duração no Theatro da Paz, localizado na Rua da Paz, s/n, Campina.

Na programação estão composições de artistas renomados, como Carlos Gomes (1836-1896), Ettore Bosio (1862-1936), Heitor Villa-Lobos (1887-1959), Alberto Nepomuceno (1864-1920), Oscar Lorenzo Fernández (1897-1948) e Waldemar Henrique (1905-1995).

O Museu Paraense Emílio Goeldi foi fundado em 1866 como primeira instituição científica do Norte do País. Surgiu originalmente como “Associação Filomática”, criada pelo próprio Estado do Pará, por iniciativa do mineiro Domingos Soares Ferreira. Já o Theatro da Paz foi aberto em 1878, como a primeira casa de ópera da Amazônia. Ambos surgiram motivados pelas transformações urbanísticas e culturais pelas quais Belém passava, financiadas pelos recursos do chamado Ciclo da Borracha, na segunda metade do século XIX.

Atualmente, o Museu Paraense Emílio Goeldi é um instituto de pesquisa federal, ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações do Brasil. Além de sua faceta mais conhecida do público local - o Parque Zoobotânico -, a instituição conta com outras três bases físicas - duas no Pará e uma no Mato Grosso -, oferece seis cursos de pós-graduação, tem ações em toda a Amazônia Legal e mantém 18 coleções científicas com mais de 4,5 milhões de itens tombados. É uma referência mundial em pesquisa e difusão sobre a sociobiodivesidade amazônica.

Já a Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz completa 20 anos em 2016, com elogios da crítica especializada e reconhecimento da imprensa nacional. Realiza temporada de concertos mensais no Theatro da Paz, mantém um programa de concertos didáticos, um projeto de interiorização, concertos ao ar livre, uma série de câmara, além de participar do Festival Internacional de Música da Fundação Carlos Gomes e do Festival de Ópera do Theatro da Paz.
Música

Orquestra do Theatro da Paz homenageia 150 anos do Museu Goeldi em Belém

Museu Paraense Emílio Goeldi completou 150 anos dia 6 de outubro

Portal Amazônia, com informações da Agência Pará

jornalismo@portalamazonia.com


       
Foto: Carlos Sodré/Agência Pará 
 
A Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz (OSTP) fará homenagem aos 150 anos do Museu Paraense Emílio Goeldi, que fez aniversário no dia 6 de outubro, nesta quinta-feira (27). A homenagem é uma iniciativa do Governo do Estado do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult). Os ingressos poderão ser retirados gratuitamente na bilheteria do teatro a partir das 9h. Cada espectador pode retirar até dois ingressos. Com regência de Miguel Campos Neto e participação da solista Kézia Andrade (soprano), a “Celebração do Sesquicentenário do Museu Paraense Emílio Goeldi” inicia às 20h e terá 1h30 de duração no Theatro da Paz, localizado na Rua da Paz, s/n, Campina.

Na programação estão composições de artistas renomados, como Carlos Gomes (1836-1896), Ettore Bosio (1862-1936), Heitor Villa-Lobos (1887-1959), Alberto Nepomuceno (1864-1920), Oscar Lorenzo Fernández (1897-1948) e Waldemar Henrique (1905-1995).

O Museu Paraense Emílio Goeldi foi fundado em 1866 como primeira instituição científica do Norte do País. Surgiu originalmente como “Associação Filomática”, criada pelo próprio Estado do Pará, por iniciativa do mineiro Domingos Soares Ferreira. Já o Theatro da Paz foi aberto em 1878, como a primeira casa de ópera da Amazônia. Ambos surgiram motivados pelas transformações urbanísticas e culturais pelas quais Belém passava, financiadas pelos recursos do chamado Ciclo da Borracha, na segunda metade do século XIX.

Atualmente, o Museu Paraense Emílio Goeldi é um instituto de pesquisa federal, ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações do Brasil. Além de sua faceta mais conhecida do público local - o Parque Zoobotânico -, a instituição conta com outras três bases físicas - duas no Pará e uma no Mato Grosso -, oferece seis cursos de pós-graduação, tem ações em toda a Amazônia Legal e mantém 18 coleções científicas com mais de 4,5 milhões de itens tombados. É uma referência mundial em pesquisa e difusão sobre a sociobiodivesidade amazônica.

Já a Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz completa 20 anos em 2016, com elogios da crítica especializada e reconhecimento da imprensa nacional. Realiza temporada de concertos mensais no Theatro da Paz, mantém um programa de concertos didáticos, um projeto de interiorização, concertos ao ar livre, uma série de câmara, além de participar do Festival Internacional de Música da Fundação Carlos Gomes e do Festival de Ópera do Theatro da Paz.

TAG BelémParáAmazôniaOrquestra Sinfônica do Theatro da PazhomenagemMuseu Paraense Emílio Goeldi