Variedades

Luta dos Munduruku contra hidrelétrica vira quadrinho na Amazônia

Intitulada de O Jabuti Resiste, quadrinho é produzido pelo Greenpeace em parceria com o artista Alexandre de Maio, e a roteirista Julia Zanolli

Isaac Guerreiro


MANAUS - Povo de tradução guerreira, os Mundurukus são uma tribo indígena moradora do Vale do Tapajós, no Oeste do Pará. Desde o início das obras de construção da hidrelétrica de São Luiz de Tapajós, realizadas pelo Governo Federal, o povo luta pela garantia do direito à terra. Para retratar a história, o Greenpeace em parceria com o artista Alexandre de Maio, e a roterista Julia Zanolli, fizeram uma história em quadrinhos online.
Intitulada de 'O Jabuti Resiste', o gibi online retrata com detalhes a luta entre hidrelétrica, Governo Federal e a tribo. O Portal Amazônia disponibiliza o primeiro capítulo da série.Usina de São LuizDe acordo com o projeto, a usina de São Luiz do Tapajós, será a terceira maior do país com potência máxima de 8.040 megawatts, no valor de R$ 30 bilhões. Entretanto, o projeto prevê o alagamento de partes da terra indígena Sawré Muybu e de acordo com o Greenpeace, responsável pelo projeto, impediria o acesso ao local. Como solução, estudos realizados pela usina sugeriram que os Munduruku sejam removidos da área.

Variedades

Home > Cultura > null

Luta dos Munduruku contra hidrelétrica vira quadrinho na Amazônia

Intitulada de O Jabuti Resiste, quadrinho é produzido pelo Greenpeace em parceria com o artista Alexandre de Maio, e a roteirista Julia Zanolli

Isaac Guerreiro


MANAUS - Povo de tradução guerreira, os Mundurukus são uma tribo indígena moradora do Vale do Tapajós, no Oeste do Pará. Desde o início das obras de construção da hidrelétrica de São Luiz de Tapajós, realizadas pelo Governo Federal, o povo luta pela garantia do direito à terra. Para retratar a história, o Greenpeace em parceria com o artista Alexandre de Maio, e a roterista Julia Zanolli, fizeram uma história em quadrinhos online.
Intitulada de 'O Jabuti Resiste', o gibi online retrata com detalhes a luta entre hidrelétrica, Governo Federal e a tribo. O Portal Amazônia disponibiliza o primeiro capítulo da série.Usina de São LuizDe acordo com o projeto, a usina de São Luiz do Tapajós, será a terceira maior do país com potência máxima de 8.040 megawatts, no valor de R$ 30 bilhões. Entretanto, o projeto prevê o alagamento de partes da terra indígena Sawré Muybu e de acordo com o Greenpeace, responsável pelo projeto, impediria o acesso ao local. Como solução, estudos realizados pela usina sugeriram que os Munduruku sejam removidos da área.

TAG