Variedades

Dia internacional da cerveja: Veja mitos e verdades sobre a bebida

Cervejas comuns têm menos calorias que um suco de laranja

Portal Amazônia, com informações do iBahia

jornalismo@portalamazonia.com


Nesta sexta-feira (4) é comemorado o dia internacional da cerveja. E para celebrar a data, o Portal Amazônia esclarece dez dúvidas comuns sobre uma das bebidas mais pedidas.
 

 

Foto:Reprodução/Shutterstock

 

- Misturar marcas de cerveja dá dor de cabeça:

Mito. A dor de cabeça vai em relação ao excesso de álcool que a pessoa consome.

- Cerveja dá barriga, celulite e engorda:

Mito. Cervejas comuns têm menos calorias que um suco de laranja. A cerveja dá fome e, normalmente, você a consome com alguma comida gordurosa.

- Cerveja só combina com comida de boteco:

Mito. Cada tipo de cerveja tem uma harmonização, para a experiência gastronômica tende a ser mais rica. Uma cerveja mais leve combina com uma comida japonesa ou uma salada caprese, por exemplo. Já as cervejas mais amargas ou mais alcoólicas podem ser consumidas com uma comida de boteco, para contrastar com a gordura.

- Cerveja deve ser consumida "estupidamente" gelada:

Mito. A cerveja nunca deve se consumida muito gelada, a não ser que sua intenção seja se refrescar. Um líquido estupidamente gelado vai anestesiar as papilas gustativas e mascarar os defeitos dele. A cerveja só precisa estar fria.

Deixar o copo no congelador pode prejudicar o sabor e o aroma da cerveja:

Verdade. O copo pode ficar com uma camada de gelo e até pegar impurezas do congelador. O recipiente pode absorver sujeiras e aromas indesejados de outros alimentos. Além disso, o copo muito gelado dificulta a formação de espuma, deixando a cerveja menos aromática. O que a pessoa pode fazer é molhar o copo com água e gelo filtrados para dar somente uma leve resfriada.

- Cerveja precisa de colarinho:

Verdade. A espuma ajuda a manter a temperatura. O colarinho também é cerveja e vai virar líquido depois.

- Cerveja em lata é pior que em garrafa:

Mito. A lata protege da luz, evitando uma oxidação por luminosidade, e também gela mais rápido. Ela é mais fina do que o vidro e mais prática.

- Não existe diferença para o produto entre garrafas âmbares, verdes e transparentes:

Mito. A cor da garrafa interfere na durabilidade do produto. Quanto mais clara for, maior a exposição da cerveja à luz, o que deteriora o líquido. A âmbar é a melhor opção por bloquear melhor a luz.

- Cerveja artesanal é muito alcoólica:

Mito. A cerveja artesanal pode ter de 0% de álcool até 22% ou mais. Uma cerveja mais aromática e saborosa dá a impressão de ser mais forte, mas não quer dizer que o teor alcoólico seja maior.

- Cervejas escuras são mais intensas:

Mito. A cor da cerveja é por causa dos adjuntos ou dos maltes especiais utilizados. Se não houver corante, o responsável por dar a cor é o malte. Quanto mais intensa a tosta do malte, mais escura será a cor da cerveja. Existem cervejas escuras e leves, suaves.

Para saber mais acesse o iBahia.


Variedades

Dia internacional da cerveja: Veja mitos e verdades sobre a bebida

Cervejas comuns têm menos calorias que um suco de laranja

Portal Amazônia, com informações do iBahia

jornalismo@portalamazonia.com


Nesta sexta-feira (4) é comemorado o dia internacional da cerveja. E para celebrar a data, o Portal Amazônia esclarece dez dúvidas comuns sobre uma das bebidas mais pedidas.
 

 

Foto:Reprodução/Shutterstock

 

- Misturar marcas de cerveja dá dor de cabeça:

Mito. A dor de cabeça vai em relação ao excesso de álcool que a pessoa consome.

- Cerveja dá barriga, celulite e engorda:

Mito. Cervejas comuns têm menos calorias que um suco de laranja. A cerveja dá fome e, normalmente, você a consome com alguma comida gordurosa.

- Cerveja só combina com comida de boteco:

Mito. Cada tipo de cerveja tem uma harmonização, para a experiência gastronômica tende a ser mais rica. Uma cerveja mais leve combina com uma comida japonesa ou uma salada caprese, por exemplo. Já as cervejas mais amargas ou mais alcoólicas podem ser consumidas com uma comida de boteco, para contrastar com a gordura.

- Cerveja deve ser consumida "estupidamente" gelada:

Mito. A cerveja nunca deve se consumida muito gelada, a não ser que sua intenção seja se refrescar. Um líquido estupidamente gelado vai anestesiar as papilas gustativas e mascarar os defeitos dele. A cerveja só precisa estar fria.

Deixar o copo no congelador pode prejudicar o sabor e o aroma da cerveja:

Verdade. O copo pode ficar com uma camada de gelo e até pegar impurezas do congelador. O recipiente pode absorver sujeiras e aromas indesejados de outros alimentos. Além disso, o copo muito gelado dificulta a formação de espuma, deixando a cerveja menos aromática. O que a pessoa pode fazer é molhar o copo com água e gelo filtrados para dar somente uma leve resfriada.

- Cerveja precisa de colarinho:

Verdade. A espuma ajuda a manter a temperatura. O colarinho também é cerveja e vai virar líquido depois.

- Cerveja em lata é pior que em garrafa:

Mito. A lata protege da luz, evitando uma oxidação por luminosidade, e também gela mais rápido. Ela é mais fina do que o vidro e mais prática.

- Não existe diferença para o produto entre garrafas âmbares, verdes e transparentes:

Mito. A cor da garrafa interfere na durabilidade do produto. Quanto mais clara for, maior a exposição da cerveja à luz, o que deteriora o líquido. A âmbar é a melhor opção por bloquear melhor a luz.

- Cerveja artesanal é muito alcoólica:

Mito. A cerveja artesanal pode ter de 0% de álcool até 22% ou mais. Uma cerveja mais aromática e saborosa dá a impressão de ser mais forte, mas não quer dizer que o teor alcoólico seja maior.

- Cervejas escuras são mais intensas:

Mito. A cor da cerveja é por causa dos adjuntos ou dos maltes especiais utilizados. Se não houver corante, o responsável por dar a cor é o malte. Quanto mais intensa a tosta do malte, mais escura será a cor da cerveja. Existem cervejas escuras e leves, suaves.

Para saber mais acesse o iBahia.

TAG cervejasetor bebidas