Publicidade

Gastronomia

Home > Cultura > null

Cresce o reconhecimento de Belém como Cidade Criativa da Gastronomia

Antes, somente 26 cidades de todo o mundo eram Cidades Criativas, agora, serão 36, com a entrada de mais dez cidades do mundo todo para a lista

Portal Amazônia, com informações da Agência Belém

jornalismo@portalamazonia.com


Em 2015,  Belém conquistou o título mundial de Cidade Criativa da Gastronomia, concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). O título tem a finalidade de impulsionar o turismo gastronômico, a sustentabilidade, o intercâmbio de informações, além da pesquisa e geração de emprego e renda.

 

A Unesco tem uma agenda de compromissos que precisam ser cumpridos pelas Cidades Criativas até 2030. Na última agenda, realizada entre os dias 30 de outubro e 4 de novembro, Belém aumentou os reconhecimentos que acumula como Cidade Criativa. 

 

A chefe de cozinha Ângela Sicília (Foto: Fernando Sette/Comus)

Durante a reunião que ocorreu na China, Belém teve a oportunidade de apresentar todos os eventos que vêm sendo realizados. Somente neste semestre, a Prefeitura de Belém qualificou as boieiras de Mosqueiro e do Mercado Francisco Bolonha, realizou eventos como o Igara, entre outros. Qualificações, empoderamento, movimentação da economia e do turismo, iniciativas que se tornaram uma forma de revalidar a cidade das mangueiras como Cidade Criativa da Gastronomia.

 

"Durante essa reunião na China, Belém se destacou mais uma vez como uma cidade que está pensando realmente a gastronomia. Eu como ponto focal tive a oportunidade de fazer as apresentações dos nossos trabalhos na Unesco para as demais cidades criativas que estavam lá. Isso é uma forma de reconhecimento do nosso trabalho, do trabalho da gestão do prefeito Zenaldo Coutinho, em nível nacional e internacional", explicou a ponto focal de Belém na Unesco, Claudia Sadalla.

 

Coordenação

 

Antes, somente 26 cidades de todo o mundo eram Cidades Criativas, agora, serão 36, com a entrada de mais dez cidades do mundo todo para a lista. "A Unesco vai trabalhar com cinco coordenações perante as cidades que entraram, uma dessas coordenações será Belém, com a coordenação de Belo Horizonte (MG)", disse Claudia. 

 

Para Claudia Sadalla, a coordenação vem como forma de reconhecimento do trabalho realizado pela Prefeitura de Belém. "Com a valorização do trabalho, a nossa cidade será coordenadora para a Unesco da mais nova cidade criativa do Brasil, que é Belo Horizonte. Isso significa que Belém se destacou, isso é um reconhecimento enorme que nos honra como Cidade Criativa", ressaltou. 

 

E os reconhecimentos não param por aí, durante a reunião, na China, a chefe de cozinha Ângela Sicília ganhou uma medalha de reconhecimento e consolidação como chefe de Belém nos eventos da Unesco, por levar a gastronomia e os sabores paraenses para vários lugares do mundo, usando os temperos do Pará. 

 

"Eu venho representando Belém em vários eventos, em diversos lugares do mundo, e me sinto apenas como uma pequena parte de um todo. Estou muito honrada em poder representar nossa cidade e nossa gastronomia", contou a chefe Ângela Sicília, sobre a premiação que recebeu no dia 1 de novembro. 

 

Valorizar os temperos do Pará é uma das marcas da chefe. Foi assim que ela criou o "ravióli de maniçoba", um prato que mistura um dos mais amados sabores do Pará em um prato  de origem italiana.

 

"Profissionalmente estou à frente da cozinha há 12 anos, comecei a fazer cozinha ‘ítalo-amazônica’ em 2012, me propus a fazer essa fusão das minhas duas identidades, pois eu sou paraense, filha de italiano. Juntei as duas cozinhas e comecei a fazer pratos com as influências das duas culinárias. Eu faço a maniçoba de maneira tradicional, cozinho ela por sete dias, depois separo a maniva e recheio o ravióli, e sirvo ele com o caldo da maniçoba. Não altera em nada o sabor da maniçoba, o que altera é a forma de apresentação", explicou Ângela.

 

A chefe de cozinha Ângela Sicília (Foto: Fernando Sette/Comus)

Encontro

 

Promovido pela Prefeitura de Belém, por meio da Companhia de Desenvolvimento e Administração da Área Metropolitana de Belém (Codem), em outubro de 2019, um encontro latino-americano reuniu 15 cidades da rede internacional da Unesco.

 

A programação foi mais uma das iniciativas de fomento da gastronomia na capital: garantiu uma intensa troca de conhecimentos, experiências e negócios para Belém, com uma programação diversificada que reuniu outras cidades que possuem o título de criatividade em diversos campos.

 

Gastronomia

Cresce o reconhecimento de Belém como Cidade Criativa da Gastronomia

Antes, somente 26 cidades de todo o mundo eram Cidades Criativas, agora, serão 36, com a entrada de mais dez cidades do mundo todo para a lista

Portal Amazônia, com informações da Agência Belém

jornalismo@portalamazonia.com


Em 2015,  Belém conquistou o título mundial de Cidade Criativa da Gastronomia, concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). O título tem a finalidade de impulsionar o turismo gastronômico, a sustentabilidade, o intercâmbio de informações, além da pesquisa e geração de emprego e renda.

 

A Unesco tem uma agenda de compromissos que precisam ser cumpridos pelas Cidades Criativas até 2030. Na última agenda, realizada entre os dias 30 de outubro e 4 de novembro, Belém aumentou os reconhecimentos que acumula como Cidade Criativa. 

 

A chefe de cozinha Ângela Sicília (Foto: Fernando Sette/Comus)

Durante a reunião que ocorreu na China, Belém teve a oportunidade de apresentar todos os eventos que vêm sendo realizados. Somente neste semestre, a Prefeitura de Belém qualificou as boieiras de Mosqueiro e do Mercado Francisco Bolonha, realizou eventos como o Igara, entre outros. Qualificações, empoderamento, movimentação da economia e do turismo, iniciativas que se tornaram uma forma de revalidar a cidade das mangueiras como Cidade Criativa da Gastronomia.

 

"Durante essa reunião na China, Belém se destacou mais uma vez como uma cidade que está pensando realmente a gastronomia. Eu como ponto focal tive a oportunidade de fazer as apresentações dos nossos trabalhos na Unesco para as demais cidades criativas que estavam lá. Isso é uma forma de reconhecimento do nosso trabalho, do trabalho da gestão do prefeito Zenaldo Coutinho, em nível nacional e internacional", explicou a ponto focal de Belém na Unesco, Claudia Sadalla.

 

Coordenação

 

Antes, somente 26 cidades de todo o mundo eram Cidades Criativas, agora, serão 36, com a entrada de mais dez cidades do mundo todo para a lista. "A Unesco vai trabalhar com cinco coordenações perante as cidades que entraram, uma dessas coordenações será Belém, com a coordenação de Belo Horizonte (MG)", disse Claudia. 

 

Para Claudia Sadalla, a coordenação vem como forma de reconhecimento do trabalho realizado pela Prefeitura de Belém. "Com a valorização do trabalho, a nossa cidade será coordenadora para a Unesco da mais nova cidade criativa do Brasil, que é Belo Horizonte. Isso significa que Belém se destacou, isso é um reconhecimento enorme que nos honra como Cidade Criativa", ressaltou. 

 

E os reconhecimentos não param por aí, durante a reunião, na China, a chefe de cozinha Ângela Sicília ganhou uma medalha de reconhecimento e consolidação como chefe de Belém nos eventos da Unesco, por levar a gastronomia e os sabores paraenses para vários lugares do mundo, usando os temperos do Pará. 

 

"Eu venho representando Belém em vários eventos, em diversos lugares do mundo, e me sinto apenas como uma pequena parte de um todo. Estou muito honrada em poder representar nossa cidade e nossa gastronomia", contou a chefe Ângela Sicília, sobre a premiação que recebeu no dia 1 de novembro. 

 

Valorizar os temperos do Pará é uma das marcas da chefe. Foi assim que ela criou o "ravióli de maniçoba", um prato que mistura um dos mais amados sabores do Pará em um prato  de origem italiana.

 

"Profissionalmente estou à frente da cozinha há 12 anos, comecei a fazer cozinha ‘ítalo-amazônica’ em 2012, me propus a fazer essa fusão das minhas duas identidades, pois eu sou paraense, filha de italiano. Juntei as duas cozinhas e comecei a fazer pratos com as influências das duas culinárias. Eu faço a maniçoba de maneira tradicional, cozinho ela por sete dias, depois separo a maniva e recheio o ravióli, e sirvo ele com o caldo da maniçoba. Não altera em nada o sabor da maniçoba, o que altera é a forma de apresentação", explicou Ângela.

 

A chefe de cozinha Ângela Sicília (Foto: Fernando Sette/Comus)

Encontro

 

Promovido pela Prefeitura de Belém, por meio da Companhia de Desenvolvimento e Administração da Área Metropolitana de Belém (Codem), em outubro de 2019, um encontro latino-americano reuniu 15 cidades da rede internacional da Unesco.

 

A programação foi mais uma das iniciativas de fomento da gastronomia na capital: garantiu uma intensa troca de conhecimentos, experiências e negócios para Belém, com uma programação diversificada que reuniu outras cidades que possuem o título de criatividade em diversos campos.

 


TAG belemevento gastronomicoGastronomia paraensegastronomia amazonia