Cultura

A voz de Peteleco se cala: Amazonas perde patrimônio cultural

O ventríloquo Oscarino Varjão faleceu após parada cardíaca, neste domingo (15) em Manaus


Aos 81 anos de idade, o ventríloquo Oscarino Farias Varjão morreu e deixou um legado na história cultural do Amazonas. Criador do boneco Peteleco, Oscarino teve uma parada cardíaca na tarde deste domingo (15) na emergência do Hospital 28 de agosto, em Manaus.

O cineasta Anderson Mendes, que recentemente desenvolveu um documentário em homenagem a Oscarino e o boneco Peteleco falou da importância deles para a cultura do Amazonas.

"Oscarino foi um personagem marcante na cultura do Amazônida. Ele andou por toda nossa região levando diversão para o público. O reconhecimento do público ao trabalho dele é positivo. Oscarino deixa um legado de cultura da nossa região e parte para novas missões, e fica a saudade dos familiares, amigos e fãs, mas a memória ficou marcada através do documentário e que uma nova geração possa surgir com o mesmo espírito de Oscarino e povoar a região", disse. 
 
Foto: Reprodução/Facebook
 
Para o historiador Abrahim Baze, a perda de Oscarino foi irreparável.

"Foi uma perda irreparável, pois em vida ele representou o que o teatro oferece de entretenimento às pessoas. Na simplicidade de um boneco, tinha um poder de comunicação fantástico. Ele era um homem retraído e não tímido, um homem pacato, mas quando estrava no teatro com o Peteleco ele se transformava, pela capacidade que tinha de se comunicar com o público", disse.

Abrahim lembra que Oscarino recebeu reconhecimento em vida, quando o boneco se tornou patrimônio imaterial.

"Oscarino tinha textos específicos para falar aos seus públicos, se crianças e adultos. E embora a arte com o boneco fosse seu meio de sobrevivência, ele, por tantas vezes, quando o contrante não tinha o valor do cachê, fez o show de graça, inclusive em praças públicas, dando voz ao boneco negrinho que agradava todo mundo, e esse reconhecimento foi dado quando o boneco se tornou patrimônio cultural e imaterial do Amazonas", disse o historiador.  
 
Foto: Divulgação/Sec
 
Em nota, a Secretaria de Estado de Cultura (SEC), lamentou o falecimento do ventríloquo Oscarino Farias Varjão, criador do boneco Peteleco e apresentou condolências a todos os familiares e amigos.

História

O boneco Peteleco foi criado na década de 50, época em que Oscarino tinha 20 anos e já fazia shows nas ruas de Manaus.

Em 2016, o boneco Peteleco foi reconhecido como Patrimônio Cultural e Imaterial do Amazonas. O projeto de lei foi de autoria do então deputado estadual Bosco Saraiva, que na época, presidia a Comissão da Cultura da Assembleia Legislativa do Amazonas.

Além do reconhecimento como patrimônio cultural, Oscarino e o boneco Peteleco participaram de vários programas de televisão, entre eles, o Programa do Jô, da Rede Globo, o que lhe rendeu destaque nacional e, mais recente, um documentário produzido pelo cineasta Anderson Mendes. Assista.


O AmazonSat também está prestando homenagens a Oscarino e Peteleco durante a programação. Na próxima quinta-feira (19) terá a apresentação do Cine AmazonSat especial com a exibição do documentário Oscarino & Peteleco, a partir das 8h30.

Cultura

Home > Cultura > null

A voz de Peteleco se cala: Amazonas perde patrimônio cultural

O ventríloquo Oscarino Varjão faleceu após parada cardíaca, neste domingo (15) em Manaus

William Costa

william.costa@portalamazonia.com


Aos 81 anos de idade, o ventríloquo Oscarino Farias Varjão morreu e deixou um legado na história cultural do Amazonas. Criador do boneco Peteleco, Oscarino teve uma parada cardíaca na tarde deste domingo (15) na emergência do Hospital 28 de agosto, em Manaus.

O cineasta Anderson Mendes, que recentemente desenvolveu um documentário em homenagem a Oscarino e o boneco Peteleco falou da importância deles para a cultura do Amazonas.

"Oscarino foi um personagem marcante na cultura do Amazônida. Ele andou por toda nossa região levando diversão para o público. O reconhecimento do público ao trabalho dele é positivo. Oscarino deixa um legado de cultura da nossa região e parte para novas missões, e fica a saudade dos familiares, amigos e fãs, mas a memória ficou marcada através do documentário e que uma nova geração possa surgir com o mesmo espírito de Oscarino e povoar a região", disse. 
 
Foto: Reprodução/Facebook
 
Para o historiador Abrahim Baze, a perda de Oscarino foi irreparável.

"Foi uma perda irreparável, pois em vida ele representou o que o teatro oferece de entretenimento às pessoas. Na simplicidade de um boneco, tinha um poder de comunicação fantástico. Ele era um homem retraído e não tímido, um homem pacato, mas quando estrava no teatro com o Peteleco ele se transformava, pela capacidade que tinha de se comunicar com o público", disse.

Abrahim lembra que Oscarino recebeu reconhecimento em vida, quando o boneco se tornou patrimônio imaterial.

"Oscarino tinha textos específicos para falar aos seus públicos, se crianças e adultos. E embora a arte com o boneco fosse seu meio de sobrevivência, ele, por tantas vezes, quando o contrante não tinha o valor do cachê, fez o show de graça, inclusive em praças públicas, dando voz ao boneco negrinho que agradava todo mundo, e esse reconhecimento foi dado quando o boneco se tornou patrimônio cultural e imaterial do Amazonas", disse o historiador.  
 
Foto: Divulgação/Sec
 
Em nota, a Secretaria de Estado de Cultura (SEC), lamentou o falecimento do ventríloquo Oscarino Farias Varjão, criador do boneco Peteleco e apresentou condolências a todos os familiares e amigos.

História

O boneco Peteleco foi criado na década de 50, época em que Oscarino tinha 20 anos e já fazia shows nas ruas de Manaus.

Em 2016, o boneco Peteleco foi reconhecido como Patrimônio Cultural e Imaterial do Amazonas. O projeto de lei foi de autoria do então deputado estadual Bosco Saraiva, que na época, presidia a Comissão da Cultura da Assembleia Legislativa do Amazonas.

Além do reconhecimento como patrimônio cultural, Oscarino e o boneco Peteleco participaram de vários programas de televisão, entre eles, o Programa do Jô, da Rede Globo, o que lhe rendeu destaque nacional e, mais recente, um documentário produzido pelo cineasta Anderson Mendes. Assista.


O AmazonSat também está prestando homenagens a Oscarino e Peteleco durante a programação. Na próxima quinta-feira (19) terá a apresentação do Cine AmazonSat especial com a exibição do documentário Oscarino & Peteleco, a partir das 8h30.

TAG oscarino varjao boneco petelecopeteleco patrimonio cultural imaterial amazonas

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
VOCÊ VIU ?