Turismo

9 cenários que vão te dar vontade de conhecer a Amazônia

Para ver belezas naturais não é preciso ir muito longe. A Amazônia possui lugares que vão te dar vontade de curtir com familiares e amigos


Conhecer o mundo deve ser uma coisa maravilhosa, né? Mas você sabia que para ver belezas naturais não é preciso ir muito longe? A Amazônia é uma região cercada por cenários que poderiam estar em filmes de hollywood. O Portal Amazônia preparou um roteiro para quem deseja desbravar o melhor da nossa região. Confira:
         
 
         
Cachoeira do Eldorado. Foto: Kleber Bechara/Cedida
 
Cachoeira do El Dourado - Amazonas
A Cachoeira do El Dorado é a maior queda d'água livre do Brasil. Está localizada no monte Tantalita, na serra do Curupira, município de Barcelos, no extremo Norte do estado do Amazonas. Em linha, reta a cachoeira está distante 211 Km da sede do município. São mais de 353 metros de altura. Pra imaginar quão alto é isso considere um edifício de 126 andares.
Onde fica: Monte Tantalita, na serra do Curupira, município de Barcelos, no extremo Norte do estado do Amazonas
Quando ir: O ano todo (de maio a setembro é o período mais seco)
Como ir: Para visitar a cachoeira do El Dorado ainda é preciso organizar uma expedição. A região é selvagem e não existem tours rotineiros para lá. É preciso levar machados e facões.
Indicação: Pessoas que gostam de adrenalina e aventura na selva
Quem leva: Viagens e Expedições El Dorado, Expedição Katerre
           
 
           
Foto: Cedida/Brazil Amazon Turismo
 
Ilha de Marajó
Uma das maiores ilhas do mundo, seu território é recoberto por matas a oeste e grandes áreas de campos naturais inundáveis a leste, onde se pratica a criação de búfalos asiático. Maior arquipélago flúvio-marítimo do planeta, banhado pelo Oceano Atlântico e pelos rios Amazonas e Tocantins. Toda a ilha é rodeada por belas praias e manguezais e em seu interior, a rica fauna local pode ser facilmente observada.  Aqui eles são vistos tanto nas áreas rurais quanto nas urbanas. 
Onde fica: Na foz do rio Amazonas no arquipélago do Marajó
Quando ir: No mês de julho, agradável e concorrido, os turistas lotam a orla da praia do Pesqueiro
Como ir: Partindo de Belém de barco ou balsa se chega à Soure, conhecida como capital do local
Indicação: Famílias
Quem leva: Boeing - Viagens e Turismo, Brazil Amazon Turismo, TM Tour, Valeverde Turismo, Amazon Star Turismo e Vitória Régia Turismo
           
 
         
Serra do Tepequém. Foto: Cedida/Roraima Adventures
 
Serra do Tepequém
A Serra do Tepequém é um dos pontos turísticos mais procurados de Roraima. O local chama atenção por suas cachoeiras e pelo clima agradável das serras. Caminhadas, trilhas de bicicletas, motos e jipes também animam a Serra do Tepequém, que oferece diversas opções de pousadas e restaurantes. Uma conversa com os moradores locais, na maioria ex-garimpeiros, é uma boa forma de saber um pouco mais sobre a história da região. As cachoeiras mais conhecidas são as do Paiva, da Barata, do Sobral e do Funil.
Onde fica: No município de Amajarí, a 210 km de Boa Vista (recomendável que o veículo tenha tração 4×4)
Quando ir: Evitar os dias chuvosos
Como ir: O acesso a Serra de Tepequém é feita por estrada, o local fica a 210 quilômetros de Boa Vista
Indicação: Pessoas aventureiras
Quem leva: Roraima Adventures, Estrella Turismo, Makunaima Expedições
            
 
       
Vale das Cachoeiras. Foto: Divulgação
 
Vale das Cachoeiras
O Vale das Cachoeiras é um empreendimento turístico que passou a receber público somente a partir de 2007, quando os irmãos Paulino compraram a propriedade, pouco tempo depois de tê-la visitado num passeio ciclístico promovido por um grupo de Ouro Preto do Oeste. A pousada tem capacidade para hospedar 45 turistas por dia, podendo atender até 450 pessoas para confraternizações familiares e de funcionários de empresas.

A principal atração da pousada é a Cachoeira do Rio Mandi, a mais alta de Rondônia, com queda d’água livre de 32 metros de altura. O rio nasce dentro do Assentamento Margarida Alves, numa reserva legal de cinco mil hectares, localizada em Nova União.

Para chegar à cachoeira, a partir da pousada, o turista percorre um quilômetro de carro até a mata, mais 600 metros de trilha entre os arvoredos. No local, o visitante desfruta de duas áreas de banho e conta com dois mirantes para apreciar a exuberância da natureza. O vale é formado por pelo menos mais 10 cachoeiras menores com queda d’água livre de 3 a 10 metros de altura, onde se podem ver macacos, capivaras, veados e várias espécies de aves, entre outros animais silvestres.
Onde fica: Linha 81, Travessão 24 – Tríplice fronteira Nova União, Ouro Preto e Teixeiropolis – RO
Quando ir:  A melhor época do ano para curtir as belezas do Vale é no verão
Como ir: Linha 81, Travessão 24, lote 26, gleba 16 E. Tríplices fronteira Nova União, Teixeirópolis e Ouro Preto do Oeste, com sua área de 64% de reserva legal, 113,7 hectares, e área mais alta da base é de 117 metros de desnível
Indicação: Famílias
Quem leva: Informações sobre o espaço por meio dos telefones (69) 3461–1177, (69) 9247–1218 ou 9963-3899
           
         
       
Foto: Divulgação/Setur
 
  Cachoeira de Santo Antônio Dotada de extrema beleza, a Cachoeira de Santo Antônio é um dos principais pontos turísticos do município de Laranjal do Jari, em Macapá. Formada por processos vulcânicos as quedas d'água são um show à parte e possuem cerca de 30 metros de altura. Onde fica: Município de Laranjal do Jari (distante a 270 quilômetros de Macapá) Quando ir: No período de janeiro a junho, as águas da cachoeira ganham força por causa da chuva Como ir: Em Macapá, você pode pegar um ônibus, de qualquer empresa de transporte do Estado, até Laranjal do Jari, com saídas diárias em dois horários: 8h e 16h. Chegando ao município é necessário pegar um barco no Rio Jari que faz o trajeto até a cachoeira.  Indicação: Aventureiros

Quem leva: Poroc Turismo, Atakan Amazon
 
       
 
         
Foto: Edevilson Arneiro/Prefeitura de Barra das Garças
 
Águas Quentes Localizado no perímetro urbano de Barra do Garças, interior de Mato Grosso, o Parque é uma área de lazer com piscinas hidrotermais, toboágua, rio da preguiça, bar molhado, com temperaturas que variam de 31 a 43 graus com propriedades terapêuticas como a diminuição da viscosidade do sangue, aumento da vitalidade sexual, melhora da digestão gástrica e duodenal, servindo também à fisioterapia. Além dos banhos, o parque oferece uma estrutura com bares, restaurantes, duchas, vestiários e instrutores de hidroginástica e ginástica de alongamento. Tudo isto com a preservação da Mata Permanente original. Onde fica: No município de Barra do Garças (504 km da capital de Cuiabá) Quando ir: Os períodos de férias são os mais indicados para curtir as atrações do parque Indicação: Famílias e pessoas que procuram sossego Informações: (66) 3402-2024 ou 3402-2000.
       
 
         
Foto: Secretaria de Cultura do Maranhão
 
  Chapada das Mesas Criado em 2005, o Parque Nacional da Chapada das Mesas é um dos mais novos parques nacionais do Brasil. Florestas de buritizais, sertões, relevo de chapadas vermelhas, compõem um estonteante conjunto de curiosas formações rochosas, cânions, cavernas e cachoeiras. São inúmeras as surpresas e aventuras que uma visita a esse parque pode revelar. Onde fica: A cidade de Carolina é o ponto de partida para quase todos os passeios ao Parque Nacional da Chapada das Mesas Quando ir: Entre junho e dezembro, quando chove menos e os rios estão menos caudalosos e melhor para banhos Como ir: Por via aérea, a Sete faz voos três vezes por semana para a cidade,  mas o aeroporto de Imperatriz, distante 200 quilômetros, também é uma opção viável. Por via terrestre, a o Parque fica a 35 km, via BR 230, em direção a Estreito Indicação: Pessoas que gostem de aventura Quem leva: Cia do Cerrado, Kairos Tur, Adventure Club
           
 
         
Foto: Reprodução/Amazon Sat
 
  Balonismo em Rio Branco Os encantos e segredos do Acre vistos sob um novo ângulo: é isso que o voo de balão realizado nas proximidades da capital Rio Branco proporciona aos turistas que gostam de desafios a 300 metros do solo. Além da paisagem deslumbrante da floresta amazônica, com a maior biodiversidade do planeta, os viajantes podem se encantar com os geoglifos, formações no solo em formatos geométricos, como quadrados, círculos, linhas e espirais, descobertos na década de 1970, na região. Atualmente 391 sítios e 478 geoglifos, possivelmente feitos por populações que viveram na região há mais de mil anos, já foram catalogados na Amazônia e fazem parte do patrimônio arqueológico da região. Apesar dos estudos, pouco se sabe sobre o significado dos desenhos, ou com que tipo de ferramentas foram feitos. Mas a melhor forma de avistá-los é sobrevoando a região. Onde fica: Em Rio Branco, na capital do Acre Quando ir: Entre junho e dezembro, quando chove menos Indicação: Pessoas que não tenham medo de altura Quem leva: EME Amazônia Informação: (68) 3222-8838
       
 
       
Foto: Manoel Júnior/Governo de Tocantins
 
Jalapão Destino já conhecido pelos apaixonados pelo ecoturismo e turismo de aventura. Localizada no estado do Tocantins, a região encanta por suas águas abundantes, chapadões e serras com clima de savana, além da paisagem de cerrado, com direito a dunas alaranjadas, rios encachoeirados, nascentes e impressionantes formações rochosas. A cada ano, cresce o número de brasileiros e estrangeiros que se aventuram rumo ao Norte do Brasil em busca desse, que já é um dos principais destinos do ecoturismo do país. A maioria dos atrativos está localizada nas cidades de Mateiros, Novo Acordo, Ponte Alta do Tocantins e São Félix do Tocantins. Em meio a 34 mil Km² de paisagem árida, a região é cortada por uma imensa teia de rios, riachos e ribeirões, todos de águas transparentes e potáveis. Os atrativos garantem diversão o ano inteiro, seja no período chuvoso ou de estiagem, de acordo com o perfil e interesse do turista. Para os mais aventureiros, a região é ideal para prática de esportes, entre eles o rafting, a canoagem, o rapel e as trilhas a pé e de bicicleta. Onde fica: TO-255, s/n, Mateiros Quando ir: Diversão o ano inteiro, seja no período chuvoso ou de estiagem Como ir:  Partindo de Palmas, acesso pela TO-050 (até Porto Nacional) e TO-255 até Ponte Alta do Tocantins, a principal entrada do Jalapão.  Indicação: Pessoas que gostam de aventura Quem leva: Tocantur, Norte Tur, Livre Expedição, Jalapão Eco Tour, Jalapa Adventure Ecotour

Turismo

Home > Cultura > null

9 cenários que vão te dar vontade de conhecer a Amazônia

Para ver belezas naturais não é preciso ir muito longe. A Amazônia possui lugares que vão te dar vontade de curtir com familiares e amigos

Diego Oliveira

jornalismo@portalamazonia.com


Conhecer o mundo deve ser uma coisa maravilhosa, né? Mas você sabia que para ver belezas naturais não é preciso ir muito longe? A Amazônia é uma região cercada por cenários que poderiam estar em filmes de hollywood. O Portal Amazônia preparou um roteiro para quem deseja desbravar o melhor da nossa região. Confira:
         
 
         
Cachoeira do Eldorado. Foto: Kleber Bechara/Cedida
 
Cachoeira do El Dourado - Amazonas
A Cachoeira do El Dorado é a maior queda d'água livre do Brasil. Está localizada no monte Tantalita, na serra do Curupira, município de Barcelos, no extremo Norte do estado do Amazonas. Em linha, reta a cachoeira está distante 211 Km da sede do município. São mais de 353 metros de altura. Pra imaginar quão alto é isso considere um edifício de 126 andares.
Onde fica: Monte Tantalita, na serra do Curupira, município de Barcelos, no extremo Norte do estado do Amazonas
Quando ir: O ano todo (de maio a setembro é o período mais seco)
Como ir: Para visitar a cachoeira do El Dorado ainda é preciso organizar uma expedição. A região é selvagem e não existem tours rotineiros para lá. É preciso levar machados e facões.
Indicação: Pessoas que gostam de adrenalina e aventura na selva
           
 
           
Foto: Cedida/Brazil Amazon Turismo
 
Ilha de Marajó
Uma das maiores ilhas do mundo, seu território é recoberto por matas a oeste e grandes áreas de campos naturais inundáveis a leste, onde se pratica a criação de búfalos asiático. Maior arquipélago flúvio-marítimo do planeta, banhado pelo Oceano Atlântico e pelos rios Amazonas e Tocantins. Toda a ilha é rodeada por belas praias e manguezais e em seu interior, a rica fauna local pode ser facilmente observada.  Aqui eles são vistos tanto nas áreas rurais quanto nas urbanas. 
Onde fica: Na foz do rio Amazonas no arquipélago do Marajó
Quando ir: No mês de julho, agradável e concorrido, os turistas lotam a orla da praia do Pesqueiro
Como ir: Partindo de Belém de barco ou balsa se chega à Soure, conhecida como capital do local
Indicação: Famílias
           
 
         
Serra do Tepequém. Foto: Cedida/Roraima Adventures
 
Serra do Tepequém
A Serra do Tepequém é um dos pontos turísticos mais procurados de Roraima. O local chama atenção por suas cachoeiras e pelo clima agradável das serras. Caminhadas, trilhas de bicicletas, motos e jipes também animam a Serra do Tepequém, que oferece diversas opções de pousadas e restaurantes. Uma conversa com os moradores locais, na maioria ex-garimpeiros, é uma boa forma de saber um pouco mais sobre a história da região. As cachoeiras mais conhecidas são as do Paiva, da Barata, do Sobral e do Funil.
Onde fica: No município de Amajarí, a 210 km de Boa Vista (recomendável que o veículo tenha tração 4×4)
Quando ir: Evitar os dias chuvosos
Como ir: O acesso a Serra de Tepequém é feita por estrada, o local fica a 210 quilômetros de Boa Vista
Indicação: Pessoas aventureiras
            
 
       
Vale das Cachoeiras. Foto: Divulgação
 
Vale das Cachoeiras
O Vale das Cachoeiras é um empreendimento turístico que passou a receber público somente a partir de 2007, quando os irmãos Paulino compraram a propriedade, pouco tempo depois de tê-la visitado num passeio ciclístico promovido por um grupo de Ouro Preto do Oeste. A pousada tem capacidade para hospedar 45 turistas por dia, podendo atender até 450 pessoas para confraternizações familiares e de funcionários de empresas.

A principal atração da pousada é a Cachoeira do Rio Mandi, a mais alta de Rondônia, com queda d’água livre de 32 metros de altura. O rio nasce dentro do Assentamento Margarida Alves, numa reserva legal de cinco mil hectares, localizada em Nova União.

Para chegar à cachoeira, a partir da pousada, o turista percorre um quilômetro de carro até a mata, mais 600 metros de trilha entre os arvoredos. No local, o visitante desfruta de duas áreas de banho e conta com dois mirantes para apreciar a exuberância da natureza. O vale é formado por pelo menos mais 10 cachoeiras menores com queda d’água livre de 3 a 10 metros de altura, onde se podem ver macacos, capivaras, veados e várias espécies de aves, entre outros animais silvestres.
Onde fica: Linha 81, Travessão 24 – Tríplice fronteira Nova União, Ouro Preto e Teixeiropolis – RO
Quando ir:  A melhor época do ano para curtir as belezas do Vale é no verão
Como ir: Linha 81, Travessão 24, lote 26, gleba 16 E. Tríplices fronteira Nova União, Teixeirópolis e Ouro Preto do Oeste, com sua área de 64% de reserva legal, 113,7 hectares, e área mais alta da base é de 117 metros de desnível
Indicação: Famílias
Quem leva: Informações sobre o espaço por meio dos telefones (69) 3461–1177, (69) 9247–1218 ou 9963-3899
           
         
       
Foto: Divulgação/Setur
 
  Cachoeira de Santo Antônio Dotada de extrema beleza, a Cachoeira de Santo Antônio é um dos principais pontos turísticos do município de Laranjal do Jari, em Macapá. Formada por processos vulcânicos as quedas d'água são um show à parte e possuem cerca de 30 metros de altura. Onde fica: Município de Laranjal do Jari (distante a 270 quilômetros de Macapá) Quando ir: No período de janeiro a junho, as águas da cachoeira ganham força por causa da chuva Como ir: Em Macapá, você pode pegar um ônibus, de qualquer empresa de transporte do Estado, até Laranjal do Jari, com saídas diárias em dois horários: 8h e 16h. Chegando ao município é necessário pegar um barco no Rio Jari que faz o trajeto até a cachoeira.  Indicação: Aventureiros

Quem leva: Poroc Turismo, Atakan Amazon
 
       
 
         
Foto: Edevilson Arneiro/Prefeitura de Barra das Garças
 
Águas Quentes Localizado no perímetro urbano de Barra do Garças, interior de Mato Grosso, o Parque é uma área de lazer com piscinas hidrotermais, toboágua, rio da preguiça, bar molhado, com temperaturas que variam de 31 a 43 graus com propriedades terapêuticas como a diminuição da viscosidade do sangue, aumento da vitalidade sexual, melhora da digestão gástrica e duodenal, servindo também à fisioterapia. Além dos banhos, o parque oferece uma estrutura com bares, restaurantes, duchas, vestiários e instrutores de hidroginástica e ginástica de alongamento. Tudo isto com a preservação da Mata Permanente original. Onde fica: No município de Barra do Garças (504 km da capital de Cuiabá) Quando ir: Os períodos de férias são os mais indicados para curtir as atrações do parque Indicação: Famílias e pessoas que procuram sossego Informações: (66) 3402-2024 ou 3402-2000.
       
 
         
Foto: Secretaria de Cultura do Maranhão
 
  Chapada das Mesas Criado em 2005, o Parque Nacional da Chapada das Mesas é um dos mais novos parques nacionais do Brasil. Florestas de buritizais, sertões, relevo de chapadas vermelhas, compõem um estonteante conjunto de curiosas formações rochosas, cânions, cavernas e cachoeiras. São inúmeras as surpresas e aventuras que uma visita a esse parque pode revelar. Onde fica: A cidade de Carolina é o ponto de partida para quase todos os passeios ao Parque Nacional da Chapada das Mesas Quando ir: Entre junho e dezembro, quando chove menos e os rios estão menos caudalosos e melhor para banhos Como ir: Por via aérea, a Sete faz voos três vezes por semana para a cidade,  mas o aeroporto de Imperatriz, distante 200 quilômetros, também é uma opção viável. Por via terrestre, a o Parque fica a 35 km, via BR 230, em direção a Estreito Indicação: Pessoas que gostem de aventura Quem leva: Cia do Cerrado, Kairos Tur, Adventure Club
           
 
         
Foto: Reprodução/Amazon Sat
 
  Balonismo em Rio Branco Os encantos e segredos do Acre vistos sob um novo ângulo: é isso que o voo de balão realizado nas proximidades da capital Rio Branco proporciona aos turistas que gostam de desafios a 300 metros do solo. Além da paisagem deslumbrante da floresta amazônica, com a maior biodiversidade do planeta, os viajantes podem se encantar com os geoglifos, formações no solo em formatos geométricos, como quadrados, círculos, linhas e espirais, descobertos na década de 1970, na região. Atualmente 391 sítios e 478 geoglifos, possivelmente feitos por populações que viveram na região há mais de mil anos, já foram catalogados na Amazônia e fazem parte do patrimônio arqueológico da região. Apesar dos estudos, pouco se sabe sobre o significado dos desenhos, ou com que tipo de ferramentas foram feitos. Mas a melhor forma de avistá-los é sobrevoando a região. Onde fica: Em Rio Branco, na capital do Acre Quando ir: Entre junho e dezembro, quando chove menos Indicação: Pessoas que não tenham medo de altura Quem leva: EME Amazônia Informação: (68) 3222-8838
       
 
       
Foto: Manoel Júnior/Governo de Tocantins
 
Jalapão Destino já conhecido pelos apaixonados pelo ecoturismo e turismo de aventura. Localizada no estado do Tocantins, a região encanta por suas águas abundantes, chapadões e serras com clima de savana, além da paisagem de cerrado, com direito a dunas alaranjadas, rios encachoeirados, nascentes e impressionantes formações rochosas. A cada ano, cresce o número de brasileiros e estrangeiros que se aventuram rumo ao Norte do Brasil em busca desse, que já é um dos principais destinos do ecoturismo do país. A maioria dos atrativos está localizada nas cidades de Mateiros, Novo Acordo, Ponte Alta do Tocantins e São Félix do Tocantins. Em meio a 34 mil Km² de paisagem árida, a região é cortada por uma imensa teia de rios, riachos e ribeirões, todos de águas transparentes e potáveis. Os atrativos garantem diversão o ano inteiro, seja no período chuvoso ou de estiagem, de acordo com o perfil e interesse do turista. Para os mais aventureiros, a região é ideal para prática de esportes, entre eles o rafting, a canoagem, o rapel e as trilhas a pé e de bicicleta. Onde fica: TO-255, s/n, Mateiros Quando ir: Diversão o ano inteiro, seja no período chuvoso ou de estiagem Como ir:  Partindo de Palmas, acesso pela TO-050 (até Porto Nacional) e TO-255 até Ponte Alta do Tocantins, a principal entrada do Jalapão.  Indicação: Pessoas que gostam de aventura Quem leva: Tocantur, Norte Tur, Livre Expedição, Jalapão Eco Tour, Jalapa Adventure Ecotour

TAG AmazonasParaAmapaTocantinsRondoniaRoraimaMato GrossoMaranhaoAcreecoturismoturismoferias

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
VOCÊ VIU ?
TV