Publicidade

Paola Guidobono

Home > Opiniao > Paola-guidobono
Paola Guidobono

Você precisa experimentar a sutileza dos Florais de Bach

"A popularidade dessa terapia é resultado da maneira sutil de transformar traços de personalidade, caráter e condições psíquicas negativas em qualidades"

Paola Guidobono

paola.guidobono@gmail.com


Belas e singelas, as flores estão presentes em nossa vida, principalmente nos momentos mais marcantes, como casamentos, nascimentos, falecimentos e todos os tipos de festas.

Jardins tornam-se alegres e vivos quando floridos, a casa ganha cor e as mulheres ruborizam-se de amor ao receberem buquês. Afinal, uma planta só floresce quando está em seu melhor momento, repleta de vitalidade e energia.

Mas por que falar de flores?
 
     
Foto: Divulgação 
 
Nas farmácias de manipulação em Manaus, provavelmente você reparou nos frasquinhos de vidro rotulados com “ansiedade”, “insônia”, “insegurança”, etc, estas são as essências de flores ou Florais.

Dentre tantos tipos de Florais, o mais conhecido, sem dúvida, é o criado pelo Dr Bach, bacteriologista e imunologista inglês, que depois de anos dedicado a medicina alopática, convenceu-se de que o medo, egoísmo, ódio, orgulho e ambição, bem como a presença e persistência desses sentimentos é que permitem o enfraquecimento vital e a desarmonia do corpo, abrindo caminho para as doenças físicas de todos os sentidos ou seja, como disse o médico francês Claude Bernard: “O germe não é nada, o terreno é tudo”.

Questionando-se sobre o próprio "terreno”, Bach reavaliou a sua vida e isolou-se durante anos  para pesquisar e experimentar seus remédios alternativos, dedicando seu tempo e conhecimento para criar um tratamento suave, que utiliza a essência sutil de flores para curar  o estado de espírito e combater as emoções negativas.

Em 1930 nasceram os “Remédios Florais do Dr Bach” hoje conhecidos como Florais de Bach. Trinta e oito essências, que combinadas corrigem o equilíbrio emocional e atuam nas categorias estipuladas por Bach: medo; indecisão; solidão; sensibilidade excessiva a influências e opiniões alheia;, desespero e apatia; e preocupação excessiva com o bem estar dos outros.

Muitos anos antes, Paracelsus, médico e místico, recolheu o orvalho das flores para tratar desequilíbrios emocionais de seus pacientes, e em todos os tempos houve quem se dedica-se ao estudo das flores, mas Bach deu o pontapé inicial para os estudos de florais. E em 1976 a OMS (Organização Mundial de Saúde) incorporou a terapia floral e se posicionou “Cada remédio (essência floral) trata uma determinada pessoa e uma condição particular. O uso de todos estes remédios está amplamente distribuído pelo mundo em uma pequena escala. Eles são excelentes para o autocuidado, sendo totalmente sem efeitos colaterais e não oferecem perigo caso um remédio errado seja prescrito”.

Nas últimas décadas a terapia com florais passou a ser amplamente difundida e estudada. Hoje podemos encontrar outros pesquisadores com novas essências espalhados pelo mundo.

A popularidade dessa terapia é resultado da maneira sutil de transformar traços de personalidade, caráter, impulsos e condições psíquicas negativas em qualidades do nosso eu mais profundo.

Certa vez uma paciente disse-me “Não sei como explicar, mas me sinto feliz”. Esta é a principal mudança, a felicidade inexplicável, singela e genuína, mas não é o única.
 
     
Foto: Divulgação 
 
Em quatro meses de tratamento, uma paciente que não tinha forças para se desvencilhar de um relacionamento abusivo que se estendia a 7 anos, conseguiu separar-se e iniciar um acompanhamento psicológico para ajudá-la a recuperar-se dos traumas gerados pela relação. Mais do que a felicidade, a coragem e autoestima voltaram a fazer parte da vida dessa mulher.

Contudo, se você passou anos no padrão do medo, por exemplo, não será em mês ou dois que a transformação acontecerá de forma eficiente e duradoura, por isso é preciso comprometer-se com o tratamento, que pode chegar a 12 meses.

Mas a melhor forma de descobrir qual a duração e a(s) essência (s) para a sua condição é através de uma consulta com anamnese (um questionário), isso porque muitos pacientes chegam reclamando de ansiedade ou insegurança, e é preciso compreender onde nasce esse sentimento, será na preocupação exacerbada com o próximo, na dificuldade de lidar com o passado, ou a persistência em viver no mundo da fantasia? 

E a chave para a escolha certa, é a visão holística de um Terapeuta com essa formação!

Siga Paola Guidobono, Psicoterapeuta Transpessoal, no Instagram: @paolaguidobono


Você precisa experimentar a sutileza dos Florais de Bach

"A popularidade dessa terapia é resultado da maneira sutil de transformar traços de personalidade, caráter e condições psíquicas negativas em qualidades"

Paola Guidobono

paola.guidobono@gmail.com


Belas e singelas, as flores estão presentes em nossa vida, principalmente nos momentos mais marcantes, como casamentos, nascimentos, falecimentos e todos os tipos de festas.

Jardins tornam-se alegres e vivos quando floridos, a casa ganha cor e as mulheres ruborizam-se de amor ao receberem buquês. Afinal, uma planta só floresce quando está em seu melhor momento, repleta de vitalidade e energia.

Mas por que falar de flores?
 
     
Foto: Divulgação 
 
Nas farmácias de manipulação em Manaus, provavelmente você reparou nos frasquinhos de vidro rotulados com “ansiedade”, “insônia”, “insegurança”, etc, estas são as essências de flores ou Florais.

Dentre tantos tipos de Florais, o mais conhecido, sem dúvida, é o criado pelo Dr Bach, bacteriologista e imunologista inglês, que depois de anos dedicado a medicina alopática, convenceu-se de que o medo, egoísmo, ódio, orgulho e ambição, bem como a presença e persistência desses sentimentos é que permitem o enfraquecimento vital e a desarmonia do corpo, abrindo caminho para as doenças físicas de todos os sentidos ou seja, como disse o médico francês Claude Bernard: “O germe não é nada, o terreno é tudo”.

Questionando-se sobre o próprio "terreno”, Bach reavaliou a sua vida e isolou-se durante anos  para pesquisar e experimentar seus remédios alternativos, dedicando seu tempo e conhecimento para criar um tratamento suave, que utiliza a essência sutil de flores para curar  o estado de espírito e combater as emoções negativas.

Em 1930 nasceram os “Remédios Florais do Dr Bach” hoje conhecidos como Florais de Bach. Trinta e oito essências, que combinadas corrigem o equilíbrio emocional e atuam nas categorias estipuladas por Bach: medo; indecisão; solidão; sensibilidade excessiva a influências e opiniões alheia;, desespero e apatia; e preocupação excessiva com o bem estar dos outros.

Muitos anos antes, Paracelsus, médico e místico, recolheu o orvalho das flores para tratar desequilíbrios emocionais de seus pacientes, e em todos os tempos houve quem se dedica-se ao estudo das flores, mas Bach deu o pontapé inicial para os estudos de florais. E em 1976 a OMS (Organização Mundial de Saúde) incorporou a terapia floral e se posicionou “Cada remédio (essência floral) trata uma determinada pessoa e uma condição particular. O uso de todos estes remédios está amplamente distribuído pelo mundo em uma pequena escala. Eles são excelentes para o autocuidado, sendo totalmente sem efeitos colaterais e não oferecem perigo caso um remédio errado seja prescrito”.

Nas últimas décadas a terapia com florais passou a ser amplamente difundida e estudada. Hoje podemos encontrar outros pesquisadores com novas essências espalhados pelo mundo.

A popularidade dessa terapia é resultado da maneira sutil de transformar traços de personalidade, caráter, impulsos e condições psíquicas negativas em qualidades do nosso eu mais profundo.

Certa vez uma paciente disse-me “Não sei como explicar, mas me sinto feliz”. Esta é a principal mudança, a felicidade inexplicável, singela e genuína, mas não é o única.
 
     
Foto: Divulgação 
 
Em quatro meses de tratamento, uma paciente que não tinha forças para se desvencilhar de um relacionamento abusivo que se estendia a 7 anos, conseguiu separar-se e iniciar um acompanhamento psicológico para ajudá-la a recuperar-se dos traumas gerados pela relação. Mais do que a felicidade, a coragem e autoestima voltaram a fazer parte da vida dessa mulher.

Contudo, se você passou anos no padrão do medo, por exemplo, não será em mês ou dois que a transformação acontecerá de forma eficiente e duradoura, por isso é preciso comprometer-se com o tratamento, que pode chegar a 12 meses.

Mas a melhor forma de descobrir qual a duração e a(s) essência (s) para a sua condição é através de uma consulta com anamnese (um questionário), isso porque muitos pacientes chegam reclamando de ansiedade ou insegurança, e é preciso compreender onde nasce esse sentimento, será na preocupação exacerbada com o próximo, na dificuldade de lidar com o passado, ou a persistência em viver no mundo da fantasia? 

E a chave para a escolha certa, é a visão holística de um Terapeuta com essa formação!

Siga Paola Guidobono, Psicoterapeuta Transpessoal, no Instagram: @paolaguidobono

TAG Terapia HolisticaholisticaPaola Guidobonoartigo