Osiris Silva

VII Fórum América Latina-China

O Fórum América Latina - China, pela primeira vez realizado na Amazônia.

Osíris Silva

osirisasilva@gmail.com


A Universidade Federal do Amazonas (Ufam) sediou o VII Fórum Acadêmico de Alto Nível América Latina-China levado a cabo de 19 a 22 de setembro. Na oportunidade, o reitor Sylvio Puga, da Ufam, anunciou a assinatura de um acordo de cooperação técnica com a Universidade de Hubei, da China, por meio do qual a Ufam expande sua presença internacional visando o fortalecimento das relações científicas e culturais com aquela que é a segunda maior economia do mundo e em produção científica.

O Fórum América Latina - China, pela primeira vez realizado na Amazônia,  reúne, desde 2012, pesquisadores chineses vinculados à Academia Chinesa de Ciências Sociais (CASS) e acadêmicos latino-americanos, vinculados a Universidades brasileiras, argentinas, chilenas e mexicanas para debater temas sobre a relação entre a China e a América Latina. A Inovação tecnológica em Biotecnologia e Segurança não-tradicional; os desafios políticos relacionados à presença da China na América Latina e as possibilidades de cooperação entre as sociedades da China e da América Latina estão entre os temas a serem debatidos nesta edição. 
 
Foto: Divulgação/UFAM
 
O Fórum, de caráter reservado, teve como organizadores, além do reitor e da assessora de Relações Internacionais da Ufam, à frente a professora Leda Brasil, os professores Marcos Cordeiro Pires e Luís Antônio Paulino, ambos da Universidade do Estado de São Paulo (Unesp); o professor José Luís Valenzuela, do Centro de Estudos Latino-americanos sobre a China junto à Universidade chilena Andrés Bello (CELC/Unab); o professor Gustavo Enrique Santillan, da Universidade Nacional de Córdoba/Argentina e do professor Zhou Zhiwei, do Instituto Confúcio, da Unesp.

Dentre os atores internacionais presentes ao Fórum, destacaram-se os pesquisadores Julio Cesar Montoya, da Universidade do Pacífico, no Peru; Mónica Ahumada, da Universidade Tecnológica do Chile; Han Qi, da Faculdade de História da Universidade de Nankai, na China e Li Han e Zhou Zhiwei, ambos do Instituto da América Latina (IAL), vinculado à Academia Nacional Chinesa de Ciências Sociais (CASS), a maior instituição de investigação sobre a América Latina na China.

Do lado dos debatedores que atuam no Brasil compartilharam os pesquisadores Marcos Cordeiro Pires, do Departamento de Ciências Políticas e Econômicas da Universidade do Estado de São Paulo (Unesp); o professor Marcos Fábio Martins, da Unimontes de Minas Gerais; o diretor do Museu da Amazônia Ennio Candotti, o economista amazonense Osíris Silva e o reitor da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Sylvio Puga.

O evento foi de grande significado para a região sobretudo por haver possibilitado examinar o ponto de vista chinês sobre a interação com a América Latina. Contexto expresso no livro 'Oportunidades em meio à transformação – uma análise multidimensional das perspectivas de cooperação entre China e América Latina', do professor Wu Baiyi, diretor geral do Instituto de Estudos Americanos da Academia Chinesa de Ciências Sociais. A obra foi lançada em português na manhã de sábado, 22, no auditório Rio Amazonas, na Universidade Federal do Amazonas (Ufam), como uma das atividades do último dia do VII Fórum Acadêmico de Alto Nível China e América Latina.

O chefe da casa Civil do Amazonas, Arthur Lins, representando o Governador do Amazonas, Amazonino Mendes, durante a solenidade de abertura do VII Fórum afirmou no seu discurso que a programação proporcionou reais oportunidades de convívio e aprendizado . “O Estado do Amazonas expressa sua felicidade por sediar esse evento; assim como temos o encontro das águas no Amazonas, temos, neste Fórum, um encontro de ideias”. Concitou todos a trabalhar duro para o fortalecimento de cooperações técnicas em relação a culturas milenares, como a chinesa. O vice-editor da Editora de Ciências Sociais da China, Li Hongyam, anunciou que a próxima edição do Fórum será realizada na cidade de  Fuzhou, Província chinesa de FuJian. Vastíssimo campo de trabalho à frente.

Osiris Silva

Home > Articulistas > Osiris-silva

VII Fórum América Latina-China

O Fórum América Latina - China, pela primeira vez realizado na Amazônia.

Osíris Silva

osirisasilva@gmail.com


A Universidade Federal do Amazonas (Ufam) sediou o VII Fórum Acadêmico de Alto Nível América Latina-China levado a cabo de 19 a 22 de setembro. Na oportunidade, o reitor Sylvio Puga, da Ufam, anunciou a assinatura de um acordo de cooperação técnica com a Universidade de Hubei, da China, por meio do qual a Ufam expande sua presença internacional visando o fortalecimento das relações científicas e culturais com aquela que é a segunda maior economia do mundo e em produção científica.

O Fórum América Latina - China, pela primeira vez realizado na Amazônia,  reúne, desde 2012, pesquisadores chineses vinculados à Academia Chinesa de Ciências Sociais (CASS) e acadêmicos latino-americanos, vinculados a Universidades brasileiras, argentinas, chilenas e mexicanas para debater temas sobre a relação entre a China e a América Latina. A Inovação tecnológica em Biotecnologia e Segurança não-tradicional; os desafios políticos relacionados à presença da China na América Latina e as possibilidades de cooperação entre as sociedades da China e da América Latina estão entre os temas a serem debatidos nesta edição. 
 
Foto: Divulgação/UFAM
 
O Fórum, de caráter reservado, teve como organizadores, além do reitor e da assessora de Relações Internacionais da Ufam, à frente a professora Leda Brasil, os professores Marcos Cordeiro Pires e Luís Antônio Paulino, ambos da Universidade do Estado de São Paulo (Unesp); o professor José Luís Valenzuela, do Centro de Estudos Latino-americanos sobre a China junto à Universidade chilena Andrés Bello (CELC/Unab); o professor Gustavo Enrique Santillan, da Universidade Nacional de Córdoba/Argentina e do professor Zhou Zhiwei, do Instituto Confúcio, da Unesp.

Dentre os atores internacionais presentes ao Fórum, destacaram-se os pesquisadores Julio Cesar Montoya, da Universidade do Pacífico, no Peru; Mónica Ahumada, da Universidade Tecnológica do Chile; Han Qi, da Faculdade de História da Universidade de Nankai, na China e Li Han e Zhou Zhiwei, ambos do Instituto da América Latina (IAL), vinculado à Academia Nacional Chinesa de Ciências Sociais (CASS), a maior instituição de investigação sobre a América Latina na China.

Do lado dos debatedores que atuam no Brasil compartilharam os pesquisadores Marcos Cordeiro Pires, do Departamento de Ciências Políticas e Econômicas da Universidade do Estado de São Paulo (Unesp); o professor Marcos Fábio Martins, da Unimontes de Minas Gerais; o diretor do Museu da Amazônia Ennio Candotti, o economista amazonense Osíris Silva e o reitor da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Sylvio Puga.

O evento foi de grande significado para a região sobretudo por haver possibilitado examinar o ponto de vista chinês sobre a interação com a América Latina. Contexto expresso no livro 'Oportunidades em meio à transformação – uma análise multidimensional das perspectivas de cooperação entre China e América Latina', do professor Wu Baiyi, diretor geral do Instituto de Estudos Americanos da Academia Chinesa de Ciências Sociais. A obra foi lançada em português na manhã de sábado, 22, no auditório Rio Amazonas, na Universidade Federal do Amazonas (Ufam), como uma das atividades do último dia do VII Fórum Acadêmico de Alto Nível China e América Latina.

O chefe da casa Civil do Amazonas, Arthur Lins, representando o Governador do Amazonas, Amazonino Mendes, durante a solenidade de abertura do VII Fórum afirmou no seu discurso que a programação proporcionou reais oportunidades de convívio e aprendizado . “O Estado do Amazonas expressa sua felicidade por sediar esse evento; assim como temos o encontro das águas no Amazonas, temos, neste Fórum, um encontro de ideias”. Concitou todos a trabalhar duro para o fortalecimento de cooperações técnicas em relação a culturas milenares, como a chinesa. O vice-editor da Editora de Ciências Sociais da China, Li Hongyam, anunciou que a próxima edição do Fórum será realizada na cidade de  Fuzhou, Província chinesa de FuJian. Vastíssimo campo de trabalho à frente.

TAG