Osiris Silva

AmazonLog, segurança e P&D na PanAmazônia

Osiris Silva

osirisasilva@gmail.com


O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) idealizou e apresentou durante a realização da operação militar AmazonLog 2017 ampla exposição nas áreas de saúde (leishmaniose, malária e dengue), nutrição, recursos hídricos e tecnologias sociais. O exercício, envolvendo países da tríplice fronteira Brasil, Peru e Colômbia foi promovido e realizado pelo Comando Logístico (Colog) do Exército Brasileiro, com apoio do CMA, em Tabatinga, na semana de 6 a 13 do mês corrente. Segundo Portal da Assessoria de Comunicação Social (Ascom), do Inpa, a simulação aconteceu no Posto de Espera do Centro de Controle de Evacuação (CCE), que funcionou no Colégio GM3.
 

Foto:Reprodução

 

De acordo com a Coordenadoria de Tecnologia Social do Inpa, a exposição mostrou a importância dos conhecimentos que o Instituto gera, sobretudo nas áreas de doenças tropicais. O objetivo foi levar às comunidades da região conhecimentos básicos sobre as tecnologias desenvolvidas pelo Instituto que podem contribuir para a melhoria da qualidade de vida do homem interiorano. Na exposição, os grupos de nutrição, saúde e recursos hídricos levaram seus conhecimentos que podem contribuir com as ações humanísticas do AmazonLog, além das tecnologias sociais como o equipamento de purificação de água capaz de desinfectar águas poluídas nas mais remotas regiões e as tecnologias verdes para uso na construção civil (placas de forro e divisórias de resíduos florestais não madeireiros).

 

Equipe de pesquisadores do Laboratório de Leishmaniose e Doenças de Chagas, mostrou o trabalho desenvolvido nesse estratégico setor de pesquisa de doenças tropicais. Informa a Ascom/Inpa que estudos de eco epidemiologia, de levantamento de identificação de espécies transmissoras, detecção de infecção dos parasitas, caracterização por análise bioquímica e molecular, além de estudos voltados para descobertas de novas drogas utilizadas para o tratamento da leishmaniose foram apresentados pelo laboratório.  Atualmente, o laboratório está trabalhando com um equipamento que utiliza a radiofrequência no tratamento da doença capaz de cicatrizar a ferida em pouco tempo levando em conta que a doença é endêmica no Brasil e há uma grande circulação e uma grande diversidade de espécies de patógenos e também de vetores.

 

Na sexta-feira, 10, o Inpa participou do 1º Simpósio de Ajuda Humanitária e Desenvolvimento em Saúde do Alto Solimões. O evento aconteceu em Letícia (Colômbia), reunindo autoridades, pesquisadores, professores e alunos dos três países (Brasil, Peru e Colômbia) para discutir soluções viáveis para minimizar os problemas locais referentes à saúde e ao controle de endemias e catástrofes.  Despacho da Ascom/Inpa informa que, para o General Guilherme Theophilo, comandante de Logística do Exército Brasileiro, é de fundamental importância ter o Inpa participando do AmazonLog, trazendo sua expertise para as comunidades de Tabatinga, Benjamin Constant e Atalaia do Norte e também para o mundo inteiro.

 

“Esse intercâmbio com o Inpa é importante para transmitir nosso grau de conhecimento tecnológico sobre a região na área de biodiversidade, nutrição, saúde e nas diversas pesquisas que o Inpa desenvolve”, destaca o general. O general Theophilo enfatiza que, hoje, o mundo globalizado exige troca de informações entre países, seja com os Estados Unidos, com a Europa ou outros continentes. A evolução tecnológica é dinâmica e o país precisa estar aparelhado para acompanhar o processo. O Amazonas precisa juntar-se de forma efetiva a esse movimento. O que vem se tornando muito difícil dada a decisão (presumivelmente irreversível) de extinguir a Seplan, como já o fez em relação à Secretaria de Indústria e Comércio (SIC) e da Ciência e Tecnologia (Secti). Desta forma, certamente haverá de continuar distanciado de importantes discussões que se processam em fóruns especializados localmente, no Brasil ou no exterior. Como então pensar 2073? Muito preocupante.


Osiris Silva

AmazonLog, segurança e P&D na PanAmazônia

Osiris Silva

osirisasilva@gmail.com


O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) idealizou e apresentou durante a realização da operação militar AmazonLog 2017 ampla exposição nas áreas de saúde (leishmaniose, malária e dengue), nutrição, recursos hídricos e tecnologias sociais. O exercício, envolvendo países da tríplice fronteira Brasil, Peru e Colômbia foi promovido e realizado pelo Comando Logístico (Colog) do Exército Brasileiro, com apoio do CMA, em Tabatinga, na semana de 6 a 13 do mês corrente. Segundo Portal da Assessoria de Comunicação Social (Ascom), do Inpa, a simulação aconteceu no Posto de Espera do Centro de Controle de Evacuação (CCE), que funcionou no Colégio GM3.
 

Foto:Reprodução

 

De acordo com a Coordenadoria de Tecnologia Social do Inpa, a exposição mostrou a importância dos conhecimentos que o Instituto gera, sobretudo nas áreas de doenças tropicais. O objetivo foi levar às comunidades da região conhecimentos básicos sobre as tecnologias desenvolvidas pelo Instituto que podem contribuir para a melhoria da qualidade de vida do homem interiorano. Na exposição, os grupos de nutrição, saúde e recursos hídricos levaram seus conhecimentos que podem contribuir com as ações humanísticas do AmazonLog, além das tecnologias sociais como o equipamento de purificação de água capaz de desinfectar águas poluídas nas mais remotas regiões e as tecnologias verdes para uso na construção civil (placas de forro e divisórias de resíduos florestais não madeireiros).

 

Equipe de pesquisadores do Laboratório de Leishmaniose e Doenças de Chagas, mostrou o trabalho desenvolvido nesse estratégico setor de pesquisa de doenças tropicais. Informa a Ascom/Inpa que estudos de eco epidemiologia, de levantamento de identificação de espécies transmissoras, detecção de infecção dos parasitas, caracterização por análise bioquímica e molecular, além de estudos voltados para descobertas de novas drogas utilizadas para o tratamento da leishmaniose foram apresentados pelo laboratório.  Atualmente, o laboratório está trabalhando com um equipamento que utiliza a radiofrequência no tratamento da doença capaz de cicatrizar a ferida em pouco tempo levando em conta que a doença é endêmica no Brasil e há uma grande circulação e uma grande diversidade de espécies de patógenos e também de vetores.

 

Na sexta-feira, 10, o Inpa participou do 1º Simpósio de Ajuda Humanitária e Desenvolvimento em Saúde do Alto Solimões. O evento aconteceu em Letícia (Colômbia), reunindo autoridades, pesquisadores, professores e alunos dos três países (Brasil, Peru e Colômbia) para discutir soluções viáveis para minimizar os problemas locais referentes à saúde e ao controle de endemias e catástrofes.  Despacho da Ascom/Inpa informa que, para o General Guilherme Theophilo, comandante de Logística do Exército Brasileiro, é de fundamental importância ter o Inpa participando do AmazonLog, trazendo sua expertise para as comunidades de Tabatinga, Benjamin Constant e Atalaia do Norte e também para o mundo inteiro.

 

“Esse intercâmbio com o Inpa é importante para transmitir nosso grau de conhecimento tecnológico sobre a região na área de biodiversidade, nutrição, saúde e nas diversas pesquisas que o Inpa desenvolve”, destaca o general. O general Theophilo enfatiza que, hoje, o mundo globalizado exige troca de informações entre países, seja com os Estados Unidos, com a Europa ou outros continentes. A evolução tecnológica é dinâmica e o país precisa estar aparelhado para acompanhar o processo. O Amazonas precisa juntar-se de forma efetiva a esse movimento. O que vem se tornando muito difícil dada a decisão (presumivelmente irreversível) de extinguir a Seplan, como já o fez em relação à Secretaria de Indústria e Comércio (SIC) e da Ciência e Tecnologia (Secti). Desta forma, certamente haverá de continuar distanciado de importantes discussões que se processam em fóruns especializados localmente, no Brasil ou no exterior. Como então pensar 2073? Muito preocupante.

TAG amazonlog17ajuda humanitariasegurancaexercito brasileiroOsiris Silvaartigoarticulista