Flávia Frota Cavalcanti

Finados?

Morto? Como assim? O amor é eterno e por isso não morre nunca. A morte é uma passagem, uma continuação, uma nova etapa

Flávia Frota Cavalcanti

jornalismo@portalamazonia.com


Hoje é dia de lembrarmos os mortos. Lembrar como, se nunca os esquecemos? Mortos, mas como assim? O amor é eterno e por isso não morre nunca. Finados vem de fim, mas não há final, a morte é somente uma passagem, uma continuação, uma nova etapa.

As lembranças nos acompanham por todos os dias e horas, fazem parte da história que vivemos juntos, nos pertencem e não dizem respeito a mais ninguém.

“A felicidade não é deste mundo”, sim eu entendo! Temos um futuro brilhante pela frente, a oportunidade de vivenciarmos o amor mais puro, sublime e descompromissado. E essa magnitude de sentimentos, não conseguimos ter na terra.

Aqui, por maior e mais verdadeiro que seja o afeto, precisamos conviver com nossos defeitos, fraquezas e egoísmo, além de todos os problemas e desafios terrenos.

“Há seu tempo tudo compreenderás”, assim nos ensinou Dom Bosco. Aqui mesmo, neste planeta, o tempo nos esclarece muita coisa. Com isso podemos imaginar que no outro plano, teremos compreensão de muito mais.

O que pode nos parecer injusto e sofrido, na verdade faz parte do nosso amadurecimento terreno, da nossa evolução moral e espiritual. Por isso, se tivermos fé, mesmo sofrendo de saudades, chorando de arrependimento pelos erros cometidos, teremos esperança, consolo e alívio.

Nossos entes queridos permanecem ligados a nós pelo amor, sentimento sublime que jamais permite o fim, o desgaste ou a decepção. Pertencemos uns aos outros, sem posse, ciúme, egoísmo ou orgulho. Somos irmãos, filhos do mesmo Pai. Ele só deseja a nossa felicidade verdadeira e plena, e isso infelizmente ainda não é possível aqui na terra.

Então, hoje, Dia de Finados e todos os dias do ano, pensemos em quem amamos – mortos e vivos – com a certeza de que se há amor, há eternidade. Nem sempre precisamos de tempo, espaço, proximidade e contato físico para vivenciarmos o sentimento mais forte e puro do mundo, a sintonia já é suficiente.

Para estarmos juntos, basta estabelecer uma conexão mental, através do pensamento e da prece. Pensamento é tudo, nos leva a qualquer pessoa em qualquer lugar. A prece transmite nossos mais puros sentimentos, o desejo de que a pessoa querida fique em paz e nós também.

Estaremos unidos pela eternidade, estamos próximos porque nos amamos ontem, hoje e sempre. Podemos trocar “emoções criativas e maravilhosas no simples”* ato de pensar, usufruindo o magnetismo da mente.

*livro Retornaram Contando - Chico Xavier

---------

Dedico este texto a todas as pessoas que já amei e ainda amo. Obrigada por estarem comigo e fazerem parte da minha história eternamente. Sou grata por me inspirarem a pensar, escrever e viver.

Retornaram Contando:

“A sintonia mental entre os que se amam é uma realidade que a morte não desfaz”.

“Eu e você já sofremos o suficiente para aprender a esperar”.

“Espere-me como a espero, com a certeza de que o Sol de Deus a todos nos ilumina e de que, pelo pensamento e pela oração, nunca estaremos separados”.

O Evangelho Segundo o Espiritismo:

Prece pelas pessoas a quem tivemos afeição (trecho).

[...]"Oh! quão doce e consoladora é a certeza de que não há entre nós mais do que um véu material que te oculta às minhas vistas! De que podes estar aqui, ao meu lado, a me ver e ouvir como outrora, senão ainda melhor do que outrora; de que não me esqueces, do mesmo modo que eu te não esqueço; de que os nossos pensamentos constantemente se entrecruzam e que o teu sempre me acompanha e ampara".


Flávia Frota Cavalcanti

Finados?

Morto? Como assim? O amor é eterno e por isso não morre nunca. A morte é uma passagem, uma continuação, uma nova etapa

Flávia Frota Cavalcanti

jornalismo@portalamazonia.com


Hoje é dia de lembrarmos os mortos. Lembrar como, se nunca os esquecemos? Mortos, mas como assim? O amor é eterno e por isso não morre nunca. Finados vem de fim, mas não há final, a morte é somente uma passagem, uma continuação, uma nova etapa.

As lembranças nos acompanham por todos os dias e horas, fazem parte da história que vivemos juntos, nos pertencem e não dizem respeito a mais ninguém.

“A felicidade não é deste mundo”, sim eu entendo! Temos um futuro brilhante pela frente, a oportunidade de vivenciarmos o amor mais puro, sublime e descompromissado. E essa magnitude de sentimentos, não conseguimos ter na terra.

Aqui, por maior e mais verdadeiro que seja o afeto, precisamos conviver com nossos defeitos, fraquezas e egoísmo, além de todos os problemas e desafios terrenos.

“Há seu tempo tudo compreenderás”, assim nos ensinou Dom Bosco. Aqui mesmo, neste planeta, o tempo nos esclarece muita coisa. Com isso podemos imaginar que no outro plano, teremos compreensão de muito mais.

O que pode nos parecer injusto e sofrido, na verdade faz parte do nosso amadurecimento terreno, da nossa evolução moral e espiritual. Por isso, se tivermos fé, mesmo sofrendo de saudades, chorando de arrependimento pelos erros cometidos, teremos esperança, consolo e alívio.

Nossos entes queridos permanecem ligados a nós pelo amor, sentimento sublime que jamais permite o fim, o desgaste ou a decepção. Pertencemos uns aos outros, sem posse, ciúme, egoísmo ou orgulho. Somos irmãos, filhos do mesmo Pai. Ele só deseja a nossa felicidade verdadeira e plena, e isso infelizmente ainda não é possível aqui na terra.

Então, hoje, Dia de Finados e todos os dias do ano, pensemos em quem amamos – mortos e vivos – com a certeza de que se há amor, há eternidade. Nem sempre precisamos de tempo, espaço, proximidade e contato físico para vivenciarmos o sentimento mais forte e puro do mundo, a sintonia já é suficiente.

Para estarmos juntos, basta estabelecer uma conexão mental, através do pensamento e da prece. Pensamento é tudo, nos leva a qualquer pessoa em qualquer lugar. A prece transmite nossos mais puros sentimentos, o desejo de que a pessoa querida fique em paz e nós também.

Estaremos unidos pela eternidade, estamos próximos porque nos amamos ontem, hoje e sempre. Podemos trocar “emoções criativas e maravilhosas no simples”* ato de pensar, usufruindo o magnetismo da mente.

*livro Retornaram Contando - Chico Xavier

---------

Dedico este texto a todas as pessoas que já amei e ainda amo. Obrigada por estarem comigo e fazerem parte da minha história eternamente. Sou grata por me inspirarem a pensar, escrever e viver.

Retornaram Contando:

“A sintonia mental entre os que se amam é uma realidade que a morte não desfaz”.

“Eu e você já sofremos o suficiente para aprender a esperar”.

“Espere-me como a espero, com a certeza de que o Sol de Deus a todos nos ilumina e de que, pelo pensamento e pela oração, nunca estaremos separados”.

O Evangelho Segundo o Espiritismo:

Prece pelas pessoas a quem tivemos afeição (trecho).

[...]"Oh! quão doce e consoladora é a certeza de que não há entre nós mais do que um véu material que te oculta às minhas vistas! De que podes estar aqui, ao meu lado, a me ver e ouvir como outrora, senão ainda melhor do que outrora; de que não me esqueces, do mesmo modo que eu te não esqueço; de que os nossos pensamentos constantemente se entrecruzam e que o teu sempre me acompanha e ampara".

TAG artigoarticulista